Resenha: Dezesseis

Título Original: Brave New Girl
Autora: Rachel Vincent
Ano: 2017
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 240
Amazon - Saraiva

Olá leitores do Estante Diagonal! Meu nome é Laila Ribeiro e sou resenhistas desde 2010 e foi com muito orgulho que recebi o convite da lindona da Joice (sou fã dessa ruiva!) para dividir com vocês a minha opinião sobre o livro Dezesseis. Ao final desta resenha convido vocês para conhecerem mais sobre o meu cantinho e meu trabalho.

Dezesseis é o primeiro volume de uma série distópica chamada Brave New Girl, escrito pela autora norte-americana Rachel Vincent. O segundo volume está previsto para 2018 e se intitulará Strange New World. Aqui em terras tupiniquins é a editora Universo dos Livros quem retém os direitos autorais e rezo para que eles consigam fazer um lançamento simultâneo, porque está bem difícil esperar, viu? Que final Senhor, que final!

O livro é uma narrativa em primeira pessoa, e acompanhamos a protagonista Dahlia que tem 16 anos e está se preparando para se tornar uma agricultora hidropônica. Iguais a ela, existem 4.999 meninas. Sem brincadeira, existem 5.000 garotas com a exata aparência da Dahlia. Isso porque elas são clonadas, nascem em laboratórios e são destinadas a executar um trabalho específico que irá preencher uma necessidade da cidade.

"É fácil seguir as regras quando você nunca tem a oportunidade de infringi-las."


As regras são bem rígidas. Ninguém pode falar com profissionais fora da sua área. A alimentação, horários, atividades, tudo já foi previamente determinado. Ninguém tem qualquer poder de escolha. E caso alguém pense e tente agir diferente, todo o “lote” de clones é descartado. Dahlia 16 precisa tomar cuidado, afinal a satisfação pelos vegetais que cultiva e competitividade que a impulsiona são transgressões. Mas a verdade é que seus produtos são tão bons que chamaram a atenção de seus instrutores, e pior, da administração.

Dahlia então é chamada no prédio da administração e mesmo que o motivo seja bom – que tal uma promoção? – ela se pega aterrorizada com as complicações e consequências do convite. O que ela deve responder sem prejudicar suas irmãs e seu futuro? Enquanto pondera as implicações de se tornar uma futura instrutora, Dahlia fica presa em um elevador. Mas não está sozinha. Em plena crise de pânico, com o elevador às escuras e com terror do confinamento, Dahlia escuta o impossível. Um soldado conversa com ela, tentando acalmá-la. Essa é uma infração grave, que coloca em risco sua posição e de suas irmãs. 

Nossa protagonista não resiste e Dahlia acaba respondendo aos questionamentos do soldado. E quando finalmente é libertada, Dahlia precisará conviver com a culpa de colocar outras 4.999 garotas em risco por conversar com um soldado. O pior é que ela deseja conversar com ele de novo.

Calma! Não fiquem aí pensando que já sabem tudo que vai rolar no livro, pois eu contei só o começo, sem spoilers, para que vocês entendessem um pouco da minha empolgação com a história. Sim, o encontro da Dahlia 16 e do Trigger 17 – o soldado bonitão – pode até suscitar a ideia do “mais do mesmo”, mas preciso que acreditem em mim quando digo que o romance desperto nesses dois é uma ínfima parte dessa história – e necessária para dar um fôlego ao leitor, afinal o percurso da Dahlia é tenso.

A autora consegue nos surpreender inúmeras vezes, nós imaginamos como Dahlia vai reagir a determinadas situações por ela ser um clone, mas acreditem, ninguém aqui fará escolhas fáceis. Aqui temos uma história perturbadora, em que questionamos até onde o ser humano é capaz de ir para se aproveitar dos outros. Estou ansiosa para continuar desbravando essa história que me envolveu completamente e conquistou minha torcida. 

Dezesseis está com uma edição maravilhosa, as páginas são amareladas e a fonte em um tamanho bom, dando conforto ao leitor. Os capítulos são numerados e a capa, apesar de bem bonita, podia ter seguido melhor a história. Se repararem bem, as modelos da capa são diferentes uma da outra, um detalhe pequeno, mas importante. São 240 páginas de muita emoção. Indico a leitura para aqueles que gostam de uma narrativa fluída e empolgante. Para aqueles que apesar de um cenário nefasto, se deliciam com um romance fofo. Para aqueles que querem derrubar o sistema. Boa leitura!


Convido à todos que curtirem meu jeitinho mineirinho a acompanhar meu trabalho tanto no site Sobre Livros quanto no meu canal Laila Ribeiro, onde eu compartilho não somente minhas críticas literárias como também dicas para escritores - se você está escrevendo ou querendo ser escritor, bora pegar umas dicas com a Tia Laila, OK?

22 comentários

  1. Oi Laila, fui olhar a capa de novo depois do teu comentário pois eu não tinha reparado que as modelos eram diferentes rsrs, mas sim a capa é bonita e a premissa da história bem interessante e espero que a editora não deixe os leitores na mão e prossiga com os próximos, sempre fico com receio de iniciar uma trilogia ou série e a editora suspender os lançamentos. Você realmente entregou bem pouco e fiquei super curiosa pra saber mais da história de Dahlia 16 e Trigger 17 e vou incluir esse livro nos que quero ler.
    Tua resenha foi a primeira que li desse livro e gostei muito, parabéns !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ás vezes eu exagero no preciosismo, né... mas não consegui evitar o comentário sobre a capa. Elas são clones, então deveriam ser iguais, certo? hahahahahah...
      Falei com o pessoal da editora e todos estão confiantes com a publicação dos próximos livros, nossa espera, na verdade, vai depender da autora que ainda está escrevendo o segundo volume. Então bora torcer para que ela tenha dedinhos ligeiros pq a editora está apostando nessa!
      Obrigada! Fico feliz que tenha gostado! Fiquei super feliz quando a Joi me fez oconvite, e estou adorando conversar com os leitores do Estante Diagonal. Gravei uma resenha em vídeo do livro, se quiser conferir: https://youtu.be/hlTMmbi5-1k
      Vou adorar manter a conversa!
      Bjos!

      Excluir
  2. Esse livro já me deixou curiosa pela coisa dos clones. Já imaginou esse tanto de gente igual a você? Caramba, achei muito doida essa ideia e foi pela quantidade. O que elas fazem e qual o propósito disso me deixou com vontade de saber quando vi o livro.
    Num primeiro momento até soa um tanto clichê essa coisa do romance desses dois mesmo, mas já espero que a trama tenha muito mais porque vi umas coisas bem legais dessa história e fiquei animada. Ela parece surpreender e a jornada da garota, a situação em que ela está e todo esse universo da história é bem tenso e tem muito a ser explorado. Deu vontade de conhecer. Espero que os próximos volumes sejam legais também ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A autora consegue passar bem essa sensação no livro, Cristiane! De como é ter tanta gente igual a vc... Vc já sacou o livro, todas essas suas impressões estão na direção certa! :D
      A autora ainda está escrevendo o segundo volume, e não vejo a hora de ler. Também torço para que a história não desande...
      Bjoks!

      Excluir
  3. Laila!
    Tão bom ler um livro de ficção que parece crível, porque todo desenrolar da trama é bem escrita e fundamentada. E ainda traz uma protagonista que busca sua individualidade em um mundo que até então não sabia existir.
    Se a leitura é envolvente e traz um comportamento inesperado da protagonista, instiga, né?
    Quero poder ler.
    Desejo um mês repleto de realizações e um final de semana de alegrias.
    “A sabedoria é um adorno na prosperidade e um refúgio na adversidade.” (Aristóteles)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando ler, me conta o que achou! Fui surpreendida com essa história incrível.
      Tudo de bom! Muita energia positiva!
      Beijoks!

      Excluir
  4. Amei essa capa! Distopía é um dos meus gêneros favoritos da vida. Espero curtir o livro. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Capa linda demais! Tbm AMO distopias, ficção científica e fantasia. Quando ler, conta o que achou! Beijoks!

      Excluir
  5. Adorei a dica!!! Fiquei bem curiosa, e acredito realmente que não seja mais do mesmo.
    Obrigada pela dica e pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço! Prazer enorme poder dividir com vcs a minha opinião.
      Beijos!

      Excluir
  6. Oi Laila.
    Eu amo distopias, então fiquei bem animada com esse livro quando vi seu lançamento.
    Achei a trama bem interessante. 4.999 igualzinhas a você, fazendo a mesma coisa, tendo a mesma aparência. Deve ser estranho rs
    Parece que nessa sociedade há muitas regras rígidas! Quero ver como Dahlia e Trigger reagem a elas.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amo distopias, Pamela! A autora consegue mostrar para o leitor como é ser uma de 5 mil, ela descreve muito bem.
      Quando ler, me conta o que achou!
      Beijoks!

      Excluir
  7. Pensei que todas da capa eram iguais kkk. Quero ler esse livro a leitura parece ser interessante, fiquei intrigada que as pessoas são clonadas e se um comete algum erro todos iguais pagam, que crueldade. Parece que foi muito bem elaborada a historia e nos deixa anciosos pelo acontecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahha... tudo bem também! Às vezes é bom deixar passar esses detalhes...
      Bota crueldade nisso! Vc nem imagina...
      Eu estou louca pelo segundo volume, mas a autora ainda o está escrevendo. Então não tem jeito, só nos resta esperar.
      Beijos!

      Excluir
  8. Eu já tinha visto a capa desse livro e me interessado bastante por ele. E nem tinha reparada que as meninas da capa não eram exatamente iguais hahah
    Achei essa história super diferente e muito interessante, e já fiquei bem curiosa para saber mais desse enredo e desse romance da Dahlia 16 e do Trigger 17. O livro já está na minha listinha :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando ler, me conta o que achou! Tô doida para encontrar mais leitores dele para fofocar! ahahahahhaha...
      Beijoks!

      Excluir
  9. Eu já estou acostumada a ler distopias e a maioria são iguais, adorei a proposta desse livro.
    A capa está bem bacana e saber que existem 5000 meninas iguais e que uma delas quer se libertar e com isso provocar uma rebelião deve ser bem bacana saber como a história irá se desenrolar e ainda vai ter romance, adorooo.
    Já quero ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que possa gostar sim, Herica! Mas na verdade a Dahlia não quer se libertar... Tem romance sim, e os acontecimentos que se desenrolam que nos pegam de surpresa.
      Quando ler, me conta o que achou.
      Beijos!

      Excluir
  10. Oi Laila,
    Faz tempo que não leio uma distopia e estava ansiando por uma recomendação de um livro do gênero. A necessidade de poder e de controle pode ser tão extrema que uma cidade habitada por clone é tida como a melhor opção. O diferencial desta trama esta na forma como os habitantes são retratados: como produtos criados para um trabalho específico e basta um erro para que todos sejam descartados. Dahlia 16 terá grandes desafios pela frente, pois serão muitas escolhas a serem feitas e dúvidas a serem esclarecidas, sem falar nas consequências que tudo isso pode gerar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Gislaine!
      Postei um vídeo falando mais do livro, se quiser conferir: https://youtu.be/hlTMmbi5-1k
      Beijos!

      Excluir
  11. Olá querida!
    Amei sua resenha, esse livro já tinha me chamado bastante atenção quando teve seu lançamento. A história é bem diferente é interessante, a forma que a autora fez é bem original, mostrando como seria as pessoas clonadas e o que faria para não quebras as regras, gostei bastante da trama e tenho já desejo de ler ela.
    Com certeza estarei entrando no seu mundinho para conhecer melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lily! Quando ler, me conta o que achou!
      Seja muitíssimo bem vinda! Espero que goste do meu trabalho.
      Beijos!

      Excluir