Travessuras da Minha Menina Má | Otávio Bravo

Título Original: Travessuras da Minha Menina Má #1 - Avant Les Seasons
Autor: Otávio Bravo
Ano: 2018
Editora: Chiado
Páginas: 360

Travessuras da Minha Menina Má é o romance de estreia do autor Otávio Bravo, que fora dividido em três volumes. O primeiro, Avant Les Saisons, se passará entre os anos de 1984 e 2007, o segundo livro, Les Saisons, entre 2007 e 2013 e o último, Aprés Les Saisons de 2014 a 2053.

Neste primeiro volume conheceremos Victor, um jovem em aprendizado com suas descobertas sobre a vida e o amadurecimento que isso requer. Nesta leitura, apesar de estarmos ávidos para conhecer a "menina má", é importante dizer que apesar do narrador a apresentá-la como alguém que irá cruzar o seu caminho no futuro, neste primeiro livro isso não acontece efetivamente, além de detalhes sobre seu nascimento e criação. Porém a presença de Maria Eduarda é sentida durante todo o relato, mas o foco do livro se prende a adolescência e início da vida adulta de Victor, antes dele conhecer a menina má.

Sendo assim, conheceremos inúmeras histórias da adolescência de Victor, do seu irmão mais querido e do grupo de amigos que compõem grande parte das suas aventuras na juventude e a descoberta do seu primeiro amor, Marcella. Ao longo da leitura acompanharemos uma história mais divertida que a outra, todas carregadas com aquela essência nostálgica dos bons tempos que não são mais iguais. Tempos em que a tecnologia, os smartphones e a internet ainda quase nem existiam no mundo inteiro, quem dirá no Rio de Janeiro do final dos anos 80.

"No aeroporto, aguardando o voo de retorno, sacara da pequena bolsinha [...] a foto amarelada dos pais. Num movimento único de zanga incontida, a rasgara pela metade, guardando apenas a parte da mãe e jogando o resto fora. E aprendera a não esperar mais nada de homem algum." 


O narrador foca muito em apresentar também sua família, sua mãe, seu irmão mais velho, seu pai, um ex-militar durão e também seu irmão mais novo e prodígio da família, Caíque. Entender o apego e relação de Victor por cada membro é importantíssimo para que entendamos suas atitudes no futuro e aqui, Otávio Bravo presenteia o leitor com inúmeros detalhes. Com a mesma precisão e sutileza, o autor também irá abordar temas como o abandono, o preconceito e o racismo. Da mesma forma ele irá fazer um ótimo apanhado de referências dos anos 80 e 90, tanto sobre a história e situação política do Brasil, quanto referências a música, arte e livros da época. 

Entre relatos, descobertas, grandes passos e inseguranças, Victor vai narrando ao leitor sua jornada, suas aventuras, suas relações, suas decisões acadêmicas e profissionais, a construção da sua família, a sua partida do Brasil até lidar, pela primeira vez, com a perda. Aos poucos vamos conhecendo todas os esconderijos do personagem principal, desvendando seus receios e avançando com ele ao longo dos anos. Por este motivo a leitura de Travessuras da Minha Menina Má pode parecer, num primeiro momento, truncada demais devido os mínimos detalhes que recebemos, porém é interessante perceber, que, sem estas descrições, não seria possível adentrar tão bem na cabeça do personagem.



Acompanhar a narrativa desta forma é como se estivéssemos, nós, escrevendo esta trama. Analisar a complexidade de Victor se formando, me deixa bastante entusiasmada para conhecer em qual rumo Victor irá percorrer após o final deste volume, visto o homem que ele se transforma decorrente suas vivências e amadurecimento. 

Esta é uma leitura que eu recomendo se você procura algo bem construído, pensado e apresentado para o público final. A leitura é muito reflexiva e transpõe sentimentos densos ao longo das páginas, mas que refletem nas diversas surpresas e reviravoltas da vida. Travessuras da Minha Menina Má é uma leitura mais introspectiva porque precisa ser, para que você viva a vida e sinta tudo que Victor sente, nos mínimos detalhes e na mesma intensidade.

Um fato bastante curioso sobre a criação da obra vem de uma experiência do autor. Uma ex-namorada do comparou certa vez com Ricardo Somocurcio, personagem do livro Travessuras da Menina Má do autor Mario Vargas Llosa, obra que inspira a de Otávio Bravo, como está destacado na capa. Muito provavelmente, Travessuras da Minha Menina Má tem muito das experiências de Otávio Bravo. o que me faz pensar o quanto de Otávio, Victor tem.

14 comentários

  1. Oi, Joi.

    Não conhecia a obra, mas vemos que esse livro tem uma base no qual foi dimensionada a partir da exploração da fase de vida do personagem. O que torna o livro objetivo.

    O livro não chamou muito a minha atenção, mas tem um bom enredo. Primordial, eu diria.

    ResponderExcluir
  2. Deve ser gostoso acompanhar as historias do personagem ainda mais por serem divertidas, devem lembrar muito a vida real. Adorei que relembra os bons tempos de antigamente onde as coisas eram muito diferentes de hoje, era uma época muito melhor. A leitura deve mexer com as emoções do leitor.

    ResponderExcluir
  3. Oiii Joi

    É um livro diferente, realmente parece ser mais profundo, jeito de nuances que fogem de qualquer estereótipo. Eu não conhecia a trilogia, achei charmosa e me agrada o que se aprsenta ao leitor, com certeza daria uma oportunidade. Esse detalhe da narrativa íntima e gostosa e os detalhes que deixam a trama mais reflexiva devem prender e encantar à sua maneira. Adorei a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ah nossa literatura nacional que nos enche de orgulho!!!Como não conhecia nem o autor e nem o livro, estou aqui encantada com a resenha acima.
    Adoro histórias que trazem este tipo de reflexão, que fazem literalmente que a gente se jogue dentro de nós e com isso, nos coloque na torrente da vida, refletindo, simplesmente.
    Mais bacana ainda é saber que este é apenas um comecinho de uma trilogia que deve ser incrível.
    Vai para a lista de desejados.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá Joi!
    Por ser nacional já me agradou, leio mtos nacionais e cada vez mais gosto e fico feliz por estar crescendo e sendo reconhecidos...
    Adorei a obra, me chamou bastante atenção, vou add na listinha com toda ctz.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi Joi, fiquei feliz em saber que o livro te agradou tanto e é nacional, ver os autores daqui crescendo e ganhando visibilidade é muito bom. Ainda não tinha ouvido falar do autor, mas achei interessante a história do livro e a comparação entre autor e personagem. ;)

    ResponderExcluir
  7. Não sei se seria um livro que leria fácil, algo que pegasse com aquela ânsia de ler. Mas achei interessante isso de se construir a pessoa com todas as mudanças que ela vai tendo ao longo da vida. Desde o começo, depois de uma perda, depois de uma nova experiencia, novos lugares, de pessoas que entram na vida dela...Como essas coisas afetam ela e o que muda. Isso chamou atenção porque no fim das contas é o que acontece com todo mundo e poder perceber isso melhor numa leitura é algo interessante. Mas talvez tanto detalhe pese, talvez demorasse demais pra mim. Não sei. Chamou atenção, mas ao mesmo tempo não sei se leria fácil mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Oi Joi,
    Eu sempre digo que adoro conhecer os personagens a fundo, mesmo curiosa para conhecer a personagem que o título do livro remete, gostei dessa divisão que o autor fez, e em como deu importância a história de vida de Victor, Bacana também mostrar bem a situação da época, são referências que deixam o livro mãos vívido.
    Eu realmente gostei de tudo que foi apresentado, normalmente compro livros pela capa, não seria o caso desse, mais o enredo merece toda atenção!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Joi,
    Que livro curioso, não me lembro de já ter visto por ai, mas achei interessante essa premissa.
    Gostei de saber que o foco desse primeiro volume esta no aprofundamento do personagem em si, onde acompanhamos o amadurecimento e as descobertas do Victor. Esse estilo de narrativa onde o protagonista é construído de uma forma intensa, nos permitindo entrar na mente do personagem, conhecendo seus medos, inseguranças e sentimentos, torna a leitura mais envolvente e realista.
    Gostei também de saber que é abordando, mesmo que de uma maneira mais sutil, temas importantes, ainda mais se levarmos em consideração o cenário e a época em que se passa essa história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, Joi
    Não conhecia o livro e nem o autor, sendo essa a primeira resenha que leio.
    Gostei que nesse primeiro livro o autor conta tudo da vida de Victor de uma maneira tão encantadora que o leitor se envolve e sente tudo o que se passa.
    Quero ter oportunidade de ler ainda mais livro nacional.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Que incrível!
    Ainda não li nada da Chiado e nem conhecia o autor, mas gostei de saber desse livro.
    Gostei dessa divisão; é interessante saber que vamos acompanhar o personagem por um bom tempo; e com detalhes.
    Pensei ser algo de terror por conta do título, mas parece que me enganei.
    Leituras reflexivas são sempre bem-vindas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Joi,
    Adoro histórias que se passam ao longo de anos, pois faz a relação leitor/personagem mais íntima. Para seu primeiro romance, Otávio Bravo foi fundo na trama e nos dá algo diferente e bem curioso. Para quem é anterior aos anos 2000, imagino que sentirá muita nostalgia com as referências. A precisão dos detalhes, principalmente na descrição das relações familiares e de amizade fazem com que este livro tenha um peso emocional maior, pelo menos, para mim, ter este tipo de abordagem em um enredo trás uma sensação de vivência pessoal. Também fiquei curiosa para saber como será Victor na vida adulta e espero ter a oportunidade de conferir.

    ResponderExcluir
  13. Oi Joi.
    Não conhecia esse livro nem autor.
    Parece que é uma história mais densa e intricada, mas muito interessante.
    Adoro quando os autores trabalham a trama ao longo dos anos. Assim podemos acompanhar o amadurecimentos dos personagens, como lidam com as situações adversas e a construção do seu caráter.
    Já vai para a lista de desejados.
    Adorei a capa!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Joi!
    Fazer a leitura de um livro bem construído, mostrando a evolução da personagem, bem como suas vivências e experiências pessoais, é um deleite, afinal, podemos nos identificar com Victor por causa de tudo que passa e torná-lo bem próximo, trazendo uma grande identificação.
    Gostei.
    Bom final de semana!
    “A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir