O ano é 2008, Marie é uma adolescente de apenas 18 anos, moradora de Lynnwood, uma cidade com menos de 40.000 habitantes no estado de Washington. Naquela noite um homem encapuzado invadiu seu apartamento e a estuprou. Alguns dias depois ela vai até a polícia afim de relatar o abuso.

Mas a polícia de Lynnwood desconfiou da história, achou que Marie estava sendo muito fantasiosa, mas mesmo assim acatou o relato. O problema foi que não foram apenas os policiais que duvidaram da sua história, seus vizinhos, seus amigos e até a sua família achavam que ela estava mentindo sobre os fatos e contestaram tanto a situação que a própria Marie passou a duvidar de tudo. Por este motivo ela acaba retornando à polícia e retira a acusação, dizendo que ela não viveu aquilo e que não deve mais haver um processo sobre o assunto. Os policiais passam a tratá-la como bicho, falando como se ela fosse a criminosa.

Além de perder a credibilidade com a polícia Marie é abandonada pela família e pelos amigos e agora, se vê sozinha na frente do maior problema da sua vida.

Em paralelo à essa história, outros detetives começam a investigar casos parecidos com o que fora relatado por Marie. Stacy Galbraith e Edna Hendershot são as responsáveis por elaborar o perfil de um estuprador em série, chamado Marc Patrick O’Leary, as duas descobrem que o estuprador também é responsável pelo crime de Washington e que Marie sempre falara a verdade.

Os desdobramentos da reportagem com os relatos minuciosos dessa investigação renderam aos escritores o Prêmio Pulitzer e foram aprofundados para virarem esse livro incrível, lançado recentemente pela Editora Leya.

Falsa Acusação começa com a confusa história da denúncia de Marie, passando em seguida para relatos de outras mulheres atacadas que passaram pela mesma situação, de acabar negando todos os acontecimentos posteriormente. Após os relatos, a história chega à parte da investigação, da descoberta de quem era o estuprador e vai até o momento em que ele é de fato preso, para finalizar com a redenção de Marie perante a polícia e ao estado.

Falsa Acusação nunca foi tão atual, o caso Neymar trouxe tudo isso à tona para o Brasil, uma mulher denunciando um grande jogador de futebol, mundialmente famoso e idolatrado por grande parte da população, a opinião pública obviamente já decidiu que ela é mentirosa e culpada por inventar uma história tão absurda, como a família, a polícia e os amigos de Marie fizeram quando souberam do seu caso.

A obra aborda a visão da sociedade sobre a mulher e seu corpo, faz uma análise da maneira ultrajante como as mulheres são tratadas quando denunciam casos de violência sexual, fala as consequências que há em dizer não perante um homem, mais forte, mais incisivo e muitas vezes bruto, violento e insaciável. Além de mostrar como a população ainda condena facilmente a mulher por tentar defender o próprio corpo, principalmente quando quem está do outro lado, o possível estuprador, parece ser alguém com credibilidade, conhecido e bem quisto por todos.

Todos americanos que sabiam da história de Marie a condenaram, todos os brasileiros que estão acompanhando o caso Najila x Neymar já decidiram quem está mentindo, mesmo não cabendo a nós fazermos isso, já que é a justiça que precisa decidir sobre o fato. Justiça essa que vai se abraçar aos relatos investigados pela polícia e nos depoimentos dos envolvidos, e esse foi um ponto extremamente importante no caso Marie, a polícia tinha decidido que ela estava mentindo, a polícia fez a própria Marie acreditar que não havia sofrido o estupro, então, como a justiça poderá julgar corretamente o fato, se quem é responsável pelas investigações já decidiu de qual lado está?

A sorte de Marie foi que uma outra policial valorizou a história de outras mulheres, foi atrás, investigou, e quando descobriu o verdadeiro culpado, se preocupou em ir atrás de outras pessoas que pudessem ter sido atacadas pelo agressor. Estes dois jornalistas tiveram a grandiosidade de tornar essa história pública ao levá-la ao grande público.

Precisamos refletir sobre a posição das mulheres em nossa sociedade, chega de pensar que o homem tem sempre a razão, que a mulher precisa que alguém do sexo oposto lhe indicando onde deve estar situada a sua vida. Essa época já passou, as mulheres sofreram demais, já foram bruxas, loucas, subjugadas e constantemente castigadas. Precisamos aprender com essas histórias e exigir uma postura diferente da nossa justiça, da nossa polícia e das pessoas que compõe a nossa sociedade, está na hora de mudar, e quem duvida disso precisa ler Falsa Acusação, após isso não terá como manter o pensamento que tem e se sentirá golpeado pela realidade.

Falsa Acusação me proporcionou uma leitura incrível e cheia de reviravoltas. O livro ganhou uma edição maravilhosa, com inícios de capítulos imitando os cabeçalhos de arquivos policiais e com várias notas de rodapé importantíssimas. A veia jornalística da obra é evidente, extremamente competente e apresentada de forma primorosa. O desenvolvimento é eletrizante, é narrado em formato de thriller e a maneira como as informações são passadas ao leitor é perturbadora, o choque que ele provoca é tremendo, por isso vale aqui a minha recomendação, é uma pena que só posso dar cinco estrelas pra esse livro, ele merecia muito mais.

Vale ressaltar que este livro ganhará uma série na Netflix com previsão de estreia para 2019, ela se chamara Unbelivable.


Agora uma curiosidade sobre a minha leitura, deixei de ler o livro várias vezes, porém acabei tendo uma aula da faculdade sobre feminismo e a batalha das mulheres em mudarem o mundo, que abordava exatamente os fatos sobre estupros. Como o caso Neymar havia “estourado” no fim de semana anterior, na mesma noite decidi que era hora de pegar o livro para ler e mais uma vez esse tipo de “coincidência literária” acabou acontecendo comigo, a de ler um livro sem conhecê-lo e ele ter muito haver com algo ou situação que esteja acontecendo naquele momento. Outro exemplo disso foi enquanto lia Vouyer de Gay Talese, que conta a história de um homem que colocou câmeras nos quartos do motel do qual era dono. Enquanto eu começava a leitura, na TV iniciava um episódio de Law & Order, baseado na história do livro. Parece que o destino corrobora com a ideia de que é aquela leitura que você deveria estar tendo naquele momento.

Mas e vocês, já pensaram sobre a posição da mulher na nossa sociedade? Já tiveram alguma coincidência literária como as minhas? Me contem, eu quero saber se é só comigo que acontece isso ou se é algo normal para todos.

  • Título Original: A False Report - A True Story
  • Autor: T. Christian Miller, Ken Armstrong
  • Tradução: Daniela Belmiro
  • Ano: 2018
  • Editora: Leya
  • Páginas: 336
  • Amazon

rela
ciona
dos