Oi pessoal, o Folheando voltou! Se você está meio perdido, esta nova coluna será um espaço onde falaremos de assuntos literários em geral, onde poderemos trocar ideias e opiniões. E hoje o assunto será Edições Brasileiras VS Edições Estrangeiras
Mas vejam bem, nós falaremos apenas das diferenças físicas, não entraremos em outros quesitos como custos de impressão, compra de direitos autorais, impostos e todos os argumentos que as editoras podem usar para se defende, isso pode até ser assunto para outro post! Mas não hoje.

Sabemos bem as diferenças entre um livro lançado lá fora com as edições que as editoras brasileiras lançam aqui, certo?!A principal característica que notamos ao pegar ambas versões em mãos, sem dúvidas, é a capa. A maioria dos livros estrangeiros são feitos em hardcover, ou seja, capa dura e pode conter também a inclusão da jacket, que é a arte da capa impressa para envolver o livro. 

Uma forma de obter um livro de capa dura por aqui, é comprando as edições especiais, como as comemorativas. E o fato de um livro ser em capa dura eleva o valor lá nas alturas, e as vezes sem jacket, daquele modo simples mesmoAqui em casa eu tenho quatro livros de capa dura sem jacket, são O Chamado do Cuco, O Morro dos Ventos Uivantes, o Assassinato no Expresso do Oriente e O Cavaleiro dos Sete Reinos, são todos exatamente como a versão em paperback, os chamados brochura, apenas com a capa dura sem nenhum outro plus e em todos eu paguei um preço significativo.
Atualmente, a mais nova editora parceira aqui do blog, a Novo Conceito está formulando todos os livros do selo Irado em hardcover e eu estou achando o máximo, pois todos que vi são de capas lindas demais.
O que me parece, é que lá fora, as editoras apostam bem mais na impressão de várias edições dos livros, possibilitando assim o alcance de vários tipos de leitores. Podemos encontrar livros em edições para todos os gostos, mas sinceramente? Quem não gostaria de uma versão, linda de capa dura e que dure muito mais na estante?
Convenhamos, se você, meu amigo e amiga brasileira é muito fã de algo, e deseja investir nisso, você não escolheria algo mais durável e bonito? Eu concordo plenamente que o preço por uma edição melhor vai ser maior, eu não me importaria comprar uma edição mais cara se a mesma fosse de qualidade. E as vezes não é nossa realidade no Brasil, o que é uma pena.
Vou comparar meus 3 livros da biblioteca de Hogwarts, eu tenho as edições brasileiras e as americanas e gostaria muito que vocês opinassem sobre o assunto. Eu acredito, sinceramente, que a Editora Rocco está perdendo um bom dinheiro por não fazerem versões mais apresentareis desses livros, ainda mais que parte da renda vai para instituições de caridade, já que foi este o propósito da J.K quando os lançou.

Bastante diferença né gente? E um capricho muito maior, sem dúvidas! Ah, não se esqueçam que para trazer um livro importado não pagamos impostos, não importa quanto ele custa, pode comprar quantos livros quiserem, o governo não interfere em seu valor. Então para quem não se importa em esperar um pouquinho e consegue ler em inglês, se joga nas comprinhas online, mesmo para aqueles que só querem como itens colecionáveis.

rela
ciona
dos

Confira o teaser do novo filme da saga “Jogos Vorazes” Stranger Things: Livros que expandem o universo Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário”