Confesso que mesmo me aventurando por diversos gêneros literários, ainda encontro problemas para desbravar as fórmulas e experiências dos livros interativos, daquelas obras diferentes que, apesar de apresentarem uma ideia bacana, se materializam através de uma formatação bem diferente e leve. Ainda assim, não sou do tipo que simplesmente aponta o dedo para os gêneros que desconheço, que critica algo que simplesmente não é para mim e, apesar de nem sempre sentir vontade ou curiosidade para seguir pelos terrenos mais calmos e engraçadinhos, às vezes, assim, de vez em quando, resolvo dar uma espiada no lado de lá e acabo encontrando obras bacanas que valem a pena o compartilhamento.
A Mulher Perfeita é Uma Vaca foi uma obra que surgiu no meu caminho por acaso. Como em diversos outros momentos, descobri essa obra através de seu lançamento fora do Brasil, e, desde então, fiquei esperando pacientemente para ver com meus próprios olhos o que aquele livro tinha de tão especial. Como em diversas outras situações não sabia, e acredito que se soubesse provavelmente nunca teria me arriscado a realmente buscar essa obra, é que ela se encaixa naquele estilo de livros que trazem um formato diferenciado, uma ideia bacana e tem um pé nos livros interativos (mas assim, bem de leve).

Se você veste M, não compre roupas P só por que a vendedora lhe lançou um olhar desafiador.

Não se deixe enganar pelo título do livro. Embora pareça uma afronta as “mulheres perfeitas”, sua intenção vai muito além do que a simples crítica para com aquela inalcançável busca pela perfeição, imposta ao público feminino após anos e anos de marketing pesado e estabelecimento de padrões. Poderia dizer que o livro inteiro é uma grande piada, o que não estaria longe da verdade, mas aqui, invés de simplesmente fazer graça com a condição das mulheres em sua busca incessante pela bunda perfeita, cabelos perfeitos, relacionamentos perfeitos, emprego perfeito, encontramos também uma mensagem forte de desligamento para com os padrões a que somos impostas.

Com muito bom humor, ironias e alguns tapas na cara, as autoras nos apresentam um “Guia de Sobrevivência para Mulheres Normais”, que vem a ser, nada mais nada menos, do que uma mensagem ligada aos mais diversos campos de nossas vidas. Uma mensagem para que sejamos capazes de parar de se cobrar tanto. O que realmente se destacou enquanto conferia essa obra foi a forma divertida de enxergar o mundo que Anne-Sophie e Marie-Aldine Girard possuem. Muito mais do que dar ouvidos a todas aquelas vozes que surgem em nossas mentes, muito mais do que seguir padrões, do que buscar a perfeição, as autoras nos mostram como é fácil rir de tudo aquilo que se estabeleceu como “verdadeiro”. Elas nos mostram que não existe problema algum em ser imperfeito, que é possível rir na cara da sociedade e de seus padrões confusos, além é claro, de mostrar que não precisamos, a todo momento e todo instante, levar a vida tão a sério.
A Mulher Perfeita é uma Vaca não é um livro para todos, é possível que o público masculino queira distância da obra (e está tudo bem, eu entendo perfeitamente a posição de vocês), mas aqueles leitores que buscam algo leve, uma formatação acertada e mensagens bacanas, com certeza irão curtir esse livro. Porque afinal de contas, mulher nenhuma é perfeita, e as perfeitas são umas vacas!

  • La Femme Parfaite est une connasse!
  • Autor: Anne-Sophie e Marie-Aldine Girard
  • Tradução: Carolina Selvatici
  • Ano: 2013
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 155
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween