Título Original: Hopeless
Autora: Colleen Hoover
Ano: 2014
Editora: Galera Record
Páginas: 384
Compre aqui
Pensei que não encontraria tão cedo algum livro que me tocasse tanto quanto Entre o Agora e o Nunca já resenhado aqui no blog, mas eu estava enganada, a escrita de Colleen é igualmente tocante assim como da J.A Redmerski e isso mais que me surpreendeu, me viciou. A facilidade em que a autora te toca é impressionante, toda a profundidade das palavras usadas nos prende a essa história do início ao fim. O livro agitou todos meus sentimentos. 
Sky é uma menina de 18 anos, aos 5 foi adotada por Karen, quem ela sempre considerou sua mãe. Os métodos de criação de Karen sempre foram bem diferentes e nada convencionais. Em sua casa não era permitido nenhum tipo de tecnologia, desde celulares, televisão e internet. Sky sabia que isso não era nada “normal”, mas não se importava com isso, já que desde cedo se habituou aos métodos. Sua melhor amiga e vizinha, Six faz com que sua rotina não fique tão tediosa e ao lado dela, Sky tem a autorização para curtir sua adolescência como quer que fosse desde que, voltasse para casa no horário marcado. O “problema” é que Six arranja um namorado diferente a cada quinze dias o que a deixava com a fama de vadia pela vizinhança e é claro que a mesma fama atingia Sky, mas na real? Ela nunca se importou.

Sky e Six tentam convencer Karen a permitir que Sky estude no colégio público da cidade (ela também sempre estudou em casa), elas conseguem, mas não contavam que Six havia ganhado uma oportunidade de intercâmbio para fora do país e passaria os próximos 6 meses fora. Mesmo assim, Sky não desiste e resolveu enfrentar o colégio agora, sozinha. Acompanhada de sua má fama, Sky não é bem vinda entre seus novos colegas e rapidamente já é presenteada com insultos e recadinhos maliciosos em seu armário. Por este motivo, Sky acaba conhecendo Breckin um menino que parece enfrentar “quase” que o mesmo tipo de hostilidade e preconceito no colégio. Breckin é gay e mórmon!
Inesperadamente Sky conhece Holder, um rapaz também acompanhado de uma má fama, com cara de badboy e esquentadinho, mas que além disso é lindo e atraente. O passado o assombra, pois só fazia um ano que Holder havia sido acusado de bater em um estudante e acabou sendo preso por isso. Mas será mesmo? Bem… pelo menos é isso que pensamos logo de cara.

Antes de conhecer Holder, Sky nunca havia sentido nenhum sentimento em relação a outro rapaz, mas quais seriam os mistérios dele? E por que ele deixava Sky tão atraída? Sky é uma personagem forte e determinada. Meu Deus! Ela me encantou e eu a admiro muito. Por muitas vezes, me coloquei em seu lugar em diversas situações e acho que não conseguiria passar por metade delas. Six e Breckin são igualmente marcantes, com personalidades fortes, eu não poderia imaginar amigos melhores para estar ao lado de Sky.
E Holder, o que falar dele? Será que existe mesmo um cara como este no planeta? É muita perfeição, sempre pronto para agir como Sky precisa e sempre pronto para falar tudo que ela quer ouvir nas horas certas. Holder faz isso com muita facilidade e isso é tudo que admiro em um homem, ele tem total crença em Sky e é daí que ela tira parte de suas forças. Além disso, Holder também carrega seus próprios fantasmas e juntos, os dois enfrentariam o que fosse. Na minha opinião, juntos, os dois definem o significado de um amor verdadeiro.

“Você não merece palavras, Sky. Merece ações.”

Cada capítulo do livro é detalhado com data e hora, para que possamos acompanhar tudo o que acontece com estes personagens, entender como os acontecimentos passados conseguem ainda refletir no presente e futuro. O assunto abordado no livro é perturbador, mas igualmente reflexivo, é real e assim o nosso envolvimento e entendimento da trama é de fácil entrega. Nos dias de hoje me pergunto, quantas pessoas ao meu redor tem uma história como a de Sky para contar? Não vou me estender muito para evitar spoilers, mas o principal tema do livro aborda todas as consequências disso e como podemos superá-lo mesmo com uma dor tremenda. 
O amor sempre se faz necessário para curar algumas feridas, mesmo para aquelas que consideramos como um caso perdido, é o amor que sustenta o casal. Os mesmos motivos que fazem estes dois caírem é os mesmos que os fazem se reerguer e ter a certeza que o amor deles é tudo que eles precisam para seguir em frente. Ao longo da história é revelado como e por que Sky e Holder sempre tiveram uma ligação, por mais que fosse inesperada.
Eu entendi os motivos da editora em trocar o título do livro, mas acredito que se mantivessem o título original não perderia tanto a identidade e significado, para quem já leu sabe do que estou falando e é incrível como apenas esta palavra – Hopeless, me faz sentir uma certa dor e também orgulho de Holder. Também senti falta de Six no final da história, mas fiquei feliz em saber que teremos mais sobre ela no spin-off Em Busca de Cinderela.
Um Caso Perdido conta com uma “continuação” que se trata, na realidade, da mesma história mas contada por Holder. Acompanhar tudo pelos olhos desse personagem tão belo (de todos os ângulos) será incrível e tenho certeza que me tocará de uma forma arrebatadora. Ele já fez isso em Hopeless imagina agora, contado por ele? O livro chegou no Brasil com o nome de Sem Esperanças.
Ainda não li Métrica e Pausa mas depois de Um Caso Perdido, Colleen Hoover ganhou mais uma fã, e se eu puder indicar o livro a quem quer que seja, o seu nome será citado. Um livro desses não pode ficar parado em prateleira alguma, merece ser lido por todos que apreciam uma boa história, e por mais que o assunto abordado seja “pesado” a autora a trata com muita sutileza e sem rodeios mesmo com todos os dramas familiares.
O livro não me tirou lágrimas, talvez por que ainda estivesse anestesiada pelo efeito de A Culpa é das Estrelas que vi nos cinemas, mas a trama e a autora tocaram meu coração de uma forma que chega a ser difícil de colocar em palavras, o que posso dizer é que sentimentos complexos cresceram no meu peito e o livro me proporcionou momentos fofos, tensos, felizes e alguns extremamente tristes, por vezes, virei uma página devastada e com o coração em pedaços. Hoje coloco estas duas mulheres no pico máximo no meu rank pessoal de autores preferidos, Colleen Hoover e J.A Redmerski estão de mãos dadas dando tchauzinho lá de cima.


rela
ciona
dos