Resenha: Eu Vejo Kate

Título Original: Eu Vejo Kate
Autora: Cláudia Lemes
Ano: 2015
Editora: Empíreo
Páginas: 352

Eu realmente acreditei que finalizaria o ano de 2015 frustrada. A minha melhor leitura, até então, foi feita em janeiro. Eu já estava me adaptando a ideia de que este ano seria mediano em relação a leitura. Até que veio a oportunidade de ler Eu Vejo Kate e fui totalmente surpreendida.

De antemão é importante dizer que este livro não é para qualquer um, é um livro forte, pesado, intenso, chocante. Cláudia Lemes vai abordar assassinatos em série de uma forma tão íntima que é impossível não imaginar todas as cenas descritas nesse livro.

Nathan Bardel é um serial killer já executado e que de alguma forma foi atraído de volta a vida. Isso ocorre por que Kate Dwyer, uma jovem escritora, depois de um ano da execução de Nathan resolve escrever sua biografia. Kate se entrega para o projeto, ela vai tão a fundo que cria um santuário de Nathan, de seus crimes e de suas vítimas na parede de sua própria casa. É uma verdadeira cena de horror, o que deixa Nathan cada vez mais orgulhoso sobre o trabalho dela, e é claro do dele.

O trabalho a perturba, mas ela vai em frente, sempre indo atrás de novas informações para encorpar seu livro. Para muitas dessas informações seria necessário entrevistar muitas das pessoas envolvidas com o caso de Nathan, dentre elas Ryan Owen, profiler do FBI responsável pela prisão, confissão e execução de Nathan, um especialista.


Diante sua pesquisa, Kate começa a receber ameaças, pedidos de desistência, até sua editora desiste de lançar seu livro. Alguém parece realmente disposto a fazer com que o livro não saia do papel. Paralelamente a isso, Kate não tinha noção que muito perto dali, sua pesquisa poderia estar despertando um novo serial killer, muito pior que Nathan e que aparentemente tem ela como uma obsessão. Um imitador de Nathan, que interliga todas suas novas vítimas a Kate.

É difícil falar sobre o livro, difícil expressar o tipo de sentimento que o livro transmite a cada página. Sem dúvidas, Eu Vejo Kate é pageturner! Por mais que por alguns momentos seja difícil continuar com a leitura, você precisa, você tem que saber o que vai acontecer na próxima página e assim que terminei o livro em poucas horas.

O livro é construindo de forma muito perfeita, Cláudia Lemes soube construir uma boa história, uma boa narrativa, um bom livro. O livro é narrado, principalmente, pelos três protagonistas da história, Kate, Ryan e também por Nathan, que dá toda a visão sombria do livro. A forma que os três narradores entrelaçam a história é muito concisa e enriquece o livro. Tudo nele está na dose certa, nada forçado, um livro digno de visibilidade nacional e quiçá internacional.


A autora usou a perspectiva do assassino como ferramenta para narrar tudo que apenas um poderia narrar, apenas ele poderia escrever, suas motivações, suas escolhas das vítimas e o modo de execução para cada uma delas. Uma jogada incrível de uma excelente escritora que surpreende os fãs do gênero.

O que mais me chamou atenção, sem dúvidas foi a construção dos personagens, a autora dá voz a diversas perspectivas durante o livro e todas elas têm suas peculiaridades. Todos têm suas características na narrativa e isso sem dúvidas foi o que facilitou ainda mais a leitura. Nathan apesar de ser o assassino cruel e frio que é, também consegue ser o narrador mais carismático, o que mais dá informação e entretêm o leitor.

Eu Vejo Kate é um livro que, de certa forma, te fará refletir sobre a sombria realidade que realmente existe entre nós. Nas inúmeras vítimas que perdem suas vidas nas mãos de pessoas como Nathan, das inúmeras pessoas que, ás vezes, só estão no lugar errado e na hora errada. Na maneira em que nós, principalmente as mulheres, estamos à mercê de tanta violência e em sua maioria tão indefesas. 

Cláudia Lemes traz em sua introdução, que sua intenção em publicar uma história dessas, jamais foi em incentivar o crime ou impressionar de forma cruel as pessoas, mas sim de trazer conhecimento ao leitor. Quanto mais histórias como esta serem compartilhadas, mais conhecimento e meios de capturar criminosos será possível, reduzindo assim, o número tão elevado que existem de vítimas.


É um livro forte, sórdido, tem cenas pesadas, vai ter sangue, vai ter violência e vai ter palavrões. Se você se impressiona muito com este tipo de leitura, provavelmente não será o livro ideal para você, mas se você quer se aventurar e sair da sua zona de conforto com certeza Eu Vejo Kate merece uma oportunidade. É um livro incrível, que deve sim ser compartilhado, ainda mais na sociedade doentia em que vivemos. Estamos diante de uma belíssima obra e também de uma grande autora em ascensão.

Concluindo, a experiência que tive ao ler Eu Vejo Kate, foi única, me proporcionou uma imersão quase que perturbadora, sem dúvidas sem precedentes. Cláudia traz personagens reais, a vida como ela é (infelizmente). Ela não engana o leitor, é sincera do início ao fim. Com certeza é uma leitura a ser apreciada, e que nos proporciona o desejo único de avaliar o que andamos lendo, e com o que andamos perdendo tempo. A vida é tão curta e também tão frágil, aproveite-a!

15 comentários

  1. Joi!
    Bem isso!
    Eu fiquei mal em algumas cenas e não conseguia parar de ler! a Claudia é um gênio, (do mal) mas um gênio!
    Bj da Le!
    www.leversosecontroversias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHhaha eu amei cada página. Como tu disse a Claudia é um gênio.

      Excluir
  2. Oi Joi, eu morro de vontade de ler esse livro desde que fiquei sabendo sobre o lançamento, eu adoro esses temas mais fortes que mexem com o leitor e digo de passagem que esse livro me deixa bem intrigada. Parabéns pela resenha maravilhosa!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Posso afirmar que nunca li nada parecido com o que você acabou de citar. A história parece ser muito chocante e eu ainda não tenho certeza se iria conseguir ler sem ficar com repulsa ou conseguir terminar.
    Beijos, http://lendocomabianca.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bianca, depende realmente se tu é mais sensível ou não. Mas te confesso que eu sou bem impressionável, mas não senti repulsa ao ler este livro pelo contrário. Bjs

      Excluir
  4. Nossa, acho que não conseguiria ler o livro, mas confesso que fiquei curiosa kk's. Ótima resenha!
    Beijos!
    http://yssagomes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Uau, fiquei mega curiosa com esse livro, a diagramação está ótima, a capa aterrorizante, realmente é pra sair da zona de conforto, vai pra minha lista de desejados...
    Beijos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero realmente que consiga ler Vania, vale cada página!

      Excluir
  6. Nao curto muito livros desse gênero, mas a resenha me deixou super curiosa :3 Eu adoro o blog, acho ele bem planejado e com o layout muito lindo!
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Quando você disse a palavra 'intenso' logo no início da resenha, você já prendeu minha atenção.
    É o tipo de livro que eu mais amo, aquele que mexe com você e te prende intensamente!!!
    Acho que qualquer mero mortal que se aprofundar na história de um serial killer acaba se envolvendo demais. Deve ser muita loucura e muitas pontas soltas pra que deixemos de lado!
    Sua resenha foi MUITO completa. Sua empolgação foi passada por suas palavras, parabéns pelo texto, sério mesmo.
    E agora? Eu quero ler o livro, como faz? HAHAHAHA Vou deixar aqui na minha lista, assim que der, eu compro!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oinnn obrigada Lara. Fico muito, muito feliz que tenha conseguido passar exatamente parte das emoções que senti ao ler Eu Vejo Kate. Recomendo a leitura!

      Excluir
  8. Jooooi!

    Me socorre porque eu pirei com a sua resenha, e estou louca pra ler o livro! Amo serial killers, sou muito intrigada por essa temática, e Eu Vejo Kate parece ser um excelente livro, que trabalha muito bem os desafios de escrever sobre os assassinos. Por ser narrado por três personagens diferentes, já dá um tom bem legal a história, ainda mais por um deles ser o Nathan. Outro fator muitoooo interessante é o fato de existir um imitador, o famoso copycat das séries policiais, adoro. Isso me atraiu muito!

    A autora parece ter feito muuuuita pesquisa antes de escrever o livro e estou apaixonada pela premissa. Espero muito ler logo, sou fã da Cláudia antes mesmo de ler o livro hahaha.

    Adorei a resenha, preciso do livro a-g-o-r-a!
    Beijos!
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela sabe muito bem o que faz Caah, e me surpreendi ainda mais quando fiz uma entrevista com ela. Ela escreveu o livro em 12 dias! Demais! Agora preciso do meu exemplar, pois este que passou aqui foi apenas num booktour.

      Excluir