Título Original: The Book of You
Autora: Claire Kendal
Ano: 2017
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
AmazonSaraiva

Clarissa é uma jovem e promissora mulher que trabalha em uma agência de moda. Em determinada noite, no lançamento de um livro, ela conhece Rafe e acaba na cama com ele. Ela lembraria daquela noite pelo resto de seus dias, pois Rafe se mostra um perseguidor, não consegue entender que o que teve com Clarissa foi apenas um momento e que ela não gostaria de repetir aquilo. 
Ele a segue, chega a chama-la de namorada mesmo quando não há mais nada entre eles. Para piorar, Rafe trabalha na mesma agência que Clarissa, começa a cercar seus amigos, enviar presentes e busca-la em casa e no trabalho quase que diariamente, além das ligações intermináveis para seu número. Em paralelo a isso Clarissa se vê intimada para o julgamento de um caso de estupro. A garota do caso era viciada em drogas e fora brutalmente estuprada por um grupo de traficantes para o qual ela devia. Durante os dias de julgamento ela terá que se ausentar do trabalho e acha que assim Rafe deixará de perturba-la, ledo engado. 
Clarissa começa a se relacionar com dois dos jurados, uma mulher, que vira sua amiga próxima e um homem, que parece protege-la mais do que deve e com quem ela acaba nutrindo um carinho maior do que o que poderia existir entre dois jurados. 

“-Não quero que você se aproxime de mim. Não quero ver você. Não quero ter nada a ver com você. nenhum tipo de contato. Nada de presentes. Nada de telefonemas. Nada de visitas. Não venha novamente à minha casa.”


Os capítulos do livro são separados por dias e semanas, os dias são relatos do diário pessoal de Clarissa e as semanas representam o julgamento que se arrasta. A autora usa dois tipos de narrativa, a primeira pessoa do diário da principal personagem e a narrativa dos demais momentos. Não sou mulher e não faço a menor ideia de como deve ser sofrer com machismo, violência e com perseguidores, mas Claire Kendal conseguiu me passar a angústia que Clarissa sente no livro, o medo de não conseguir fugir do seu stalker, a culpa por, em diversos momentos, sentir que ela é quem provocava Rafe e, acima de tudo, o receio e a impotência da posição de mulher abusada, pois até mesmo no julgamento que ela participa, a todo momento o promotor e os advogados de defesa faziam com que a culpa parecesse totalmente da vítima e não dos acusados. A impossibilidade de pedir ajuda a alguém sem ser julgada. 

Rafe consegue passar para todos amigos próximos de Clarissa a ideia de que ela mudou, de que não está bem e de que ele é apenas um homem apaixonado e mal compreendido. Todos concordam que ela mudou, inclusive ela mesma, mas ela mudou por estar sofrendo, por estar sendo perseguida, por estar correndo risco de vida. 
Há algum tempo, comentei com vocês sobre os livros que a Intrínseca tem publicado, que ao invés de falar sobre o terror da maneira física, de violência e mortes, falam de um terror psicológico absurdo, que passa para o leitor uma angustia gigantesca. Mais uma vez eles lançam uma pancada como essa, Eu Sei Onde Você Está é mais que terror, é de um absurdo indescritível, e o pior de tudo é que na nossa sociedade atual existem muitas Clarissas perseguidas e Rafes que ejaculam em ônibus e a justiça não pune. 
Fazia muito tempo que eu não torcia tanto por um caso de amor, por uma personagem ou sentia tanto medo por alguém. Clarissa é frágil, mas ao mesmo tempo encantadora e de uma coragem gigantesca, ela é intensa, passa o sofrimento em cada palavra que escreve no seu diário, mas acima de tudo ela é uma mulher, como muitas outras que existem fora das páginas de ficção. Eu Sei Onde Você Está é um livro bem feminino, mas que todos os homens deveriam ler para ter a real noção de como suas atitudes machistas e abusivas podem afetar intensamente qualquer outra pessoa. 
É também um livro que toda mulher deveria ler, seja para saber como uma pessoa perseguida se sente, seja para ver que existem outras pessoas que também foram perseguidas e compartilham dos mesmos medos. É um grande livro, uma obra intensa, que nos deixa sem chão em diversos momentos. Essa obra precisa de uma visibilidade imensa, precisa ser propagada, para que todos vejam como um problema enorme pode despertar no nosso dia a dia e sinta na pele o que ele pode causar. 
Eu Sei Onde Você Está entra para uma das minhas melhores leituras do ano, o final é incrível, o decorrer do livro é completamente plausível e incomparavelmente bem transcorrido, não deixando brechas ou falhas no seu enredo. É daquelas histórias que resultariam em filmes que fariam um grande sucesso nas telas de cinema, um terror que emociona ao mesmo tempo que aflige. Com a ação na medida certa, em um momento onde estupros e a violência contra a mulher estão cada vez mais em alta nos debates, Claire Kendal mostra toda sua capacidade de amedrontar qualquer pessoa. Leiam e leiam, vocês precisam conhecer Clarissa!

rela
ciona
dos