Se analisarmos esse grupo único e diversificado que compreendemos como humanidade, todos os caminhos trilhados até chegarmos ao ponto temporal em que nos deparamos no exato momento do agora, encontraremos os mais diversos tipos de histórias. A história da humanidade, ao contrário do que pretendem nos vender os senhores da propaganda e grandes líderes políticos, é feita de pequenos atos de heroísmo que somados, nos impulsionam para um futuro nunca antes imaginado.
Para além dos líderes que moveram multidões, os pensadores capazes de mudar a forma de ver o mundo de uma sociedade, os heróis de guerra condecorados, a humanidade ganha corpo e graça com aqueles heróis escondidos na multidão, pessoas que fizeram a diferença e, direta ou indiretamente, mudaram o destino de milhares! É sobre heróis escondidos, grandes heroínas cujas histórias são tão inspiradoras quanto as de patrulheiros espaciais ou seres de outros planetas, que Estrelas Além do Tempo irá abordar.
Entre as décadas de 1950 e 1960, as duas grandes forças que eram a URSS e Estados Unidos se enfrentavam nos mais diversos campos, fossem eles do conhecimento, política ou economia. A corrida espacial, serve como palco para a história de três mulheres brilhantes, heroínas que, à sua maneira, mudaram o destino de uma instituição, de homens incapazes de desvendar os mistérios escondidos nos números ou mesmo na enorme complexidade que podiam ser os primeiros computadores. Nesse período, o destaque e reconhecimento que hoje atribuímos a NASA, existia apenas como uma sombra no horizonte. A instituição não sabia, mas esperava por pequenas grandes mudanças. Necessitava das mentes certas, da força de mulheres capazes de ver além, e com suas mentes brilhantes serem capazes de alcançar as estrelas.

A narrativa, dentro do contexto da corrida espacial e ânsia do governo norte americano por colocar um homem no espaço, nos direciona aos caminhos de Dorothy Vaughan (Octavia Spencer), Mary Jackson (Janelle Monáe) e Katherine G. Johnson (Taraji P. Henson). Três mulheres que, embora possuíssem o mesmo ponto de partida – o time de matemáticas que realizavam cálculos incansáveis para os mais diversos projetos da instituição – recebem caminhos diferentes, com obstáculos a serem ultrapassados e mudanças a serem inspiradas.

O momento histórico, porém, esconde também as dificuldades, preconceitos e injustiças da segregação entre “brancos” e “negros”. Por possuírem a pele na tonalidade belíssima com que  nasceram, estas mulheres não tinham acesso aos mesmo banheiros que as mulheres de peles mais claras. Enfrentavam olhares acusadores nas ruas, não podiam pegar livros em bibliotecas de brancos, mas lidaram com cada uma destas situações com a maior graça, força e determinação que você já viu em uma mulher, tornando-se primeiras em situações impensáveis para a época.
Estrelas Além do Tempo se trata de um filme biográfico, uma adaptação cinematográfica, uma obra capaz de demonstrar a determinação, força e beleza de mulheres e mulheres que, com suas mentes e olhares aguçados foram capazes de auxiliar aquilo que mais tarde se concretizou como a chegada de um homem norte americano ao espaço.
Antes de enfrentar o preconceito pela cor, estas personagens, cada uma delas, enfrentou as dificuldades impostas ao se trabalhar em ambientes extremamente masculinos. O filme, embora venha carregado dos mais diversos pontos da realidade da época, aborda com clareza a descrença, o preconceito e até mesmo as piadas enfrentadas por mulheres que, com suas mentes, óculos e saias, trabalhavam duro dentro dos muros da NASA. O preconceito pela cor vem somar-se as  dificuldades enfrentadas, impostas pela sociedade, transformando pequenas situações, como a inscrição na faculdade de engenharia, o acesso a um livro e até mesmo o uso da máquina de café, em verdadeiros obstáculos. Cada pequeno detalhe é trabalho com clareza, graça e um toque de leveza, demonstrando ao espectador um contexto histórico injusto, porém, repleto de mudanças e possibilidades.
O filme é consistente em todos os sentidos. O elenco escolhido desempenha seu papel com perfeição, recebendo merecidos momentos de destaque, bem como de suporte para nossas três personagens principais. Com um elenco de importância como o observado, além da presença de diversos personagens importantes para a trama, estranharia encontrar personagens sendo deixados de lado. Mas o mesmo não acontece aqui. Cada ator possui sua importância, seu destaque e o tempo exato de tela, conseguindo desempenhar seu papel sem deixar pontas soltas ou falta de detalhes importantes à trama. O figurino é belo, condizente com a época apresentada e com os ambientes aos quais estavam interligados. Porém é a trilha sonora, deixada nas mãos de Pharrell Williams, que arremata todo o filme com o tom que faltava.
A cada ano que passa, desejo que o Oscar me surpreenda. Espero pelo dia em que possamos sair das escolhas mornas e nos aventurar por novos mares, ou, neste caso, pelo espaço infinito. Estrelas Além do Tempo, embora não seja popular como La La Land, forte como diversos filme de guerra, seria uma surpresa agradável. Em um mundo que avançou tanto, e novamente enfrenta problemas que acreditávamos ter deixado para trás, o filme aconselha, destaca a força de mulheres, a diferença que pequenos atos são capazes de trazer. Assim como as asas de uma borboleta podem formar um tsunami, gostaria de observar estas heroínas, por muito tempo escondidas, levando um Oscar para casa!

  • Hidden Figures
  • Lançamento: 2017
  • Com: Taraji P. Henson; Octavia Spencer; Janelle Monáe
  • Gênero: Drama; Biografia
  • Direção: Theodore Melfi

rela
ciona
dos

Confira o teaser do novo filme da saga “Jogos Vorazes” Stranger Things: Livros que expandem o universo Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário”