Após ter escrito algumas resenhas aqui para o Estante Diagonal eu sinceramente pensava que já tinha passado por tudo. Passei por resenhas que foram extremamente difíceis de escrever, outras que me proporcionaram grande reflexão, escrevi resenhas que me divertiram muito e outras que me fizeram sofrer por recordar tristes finais, tenho até uma resenha preferida (essa aqui ó). Mas após tantas experiências, confesso que essa, dentre todas as resenhas que já escrevi por aqui, foi a mais fácil de escrever.
O Sal da Vida é um livro extremamente simples. Tudo teve início através de uma conversa, e não é assim que as melhores obras são pensadas? Após o término, ou seria início, da conversa com um amigo próximo, a autora passa a refletir sobre o que faz a vida ser o que ela é, porém, seria a vida o que é para todas as pessoas ou sua essência é capaz de ser alterada conforme a vivência de cada indivíduo? Através dessas reflexões iniciais a autora passa então a pensar sobre o que torna a vida especial, qual seria o Sal da Vida. É com esses pensamentos que a obra toma forma.

O acontecimento se vai, levanta voo, mas o essencial fica gravado no corpo e ressurge com o charme furtivo de uma evocação, com o frêmito de uma sensação, com a força surpreendentemente viva e às vezes incompreensível de uma emoção.

Após uma breve introdução, algo como essa que acabei de fazer, Françoise Héritier irá discorrer sobre o que torna, tornou e com toda a certeza ainda irá tornar sua vida especial. É através de suas palavras que percebemos algo que sabemos e guardamos no fundo de nossas almas, mas que muitas vezes esquecemos ou fingimos não existir. O que realmente torna nossa vida especial são as pequenas coisas, lembranças, sensações, sentimentos e experiências que vivemos e que marcaram nossas vidas. São as alegrias de criança, são as caminhadas por parques cheios de árvores, é o cheiro gostoso da casa de nossas avós, é o perfume que nos faz lembrar alguém especial ou um momento de nossas vidas. Apesar de possuir diferenças de pessoa para pessoa, a essência da maravilha da vida é a mesma, o que muda é sua forma.
A escrita da autora não possuí segredos. Através da introdução e da conclusão da obra ela conversa conosco, nos apresenta suas motivações, suas reflexões e nos aproxima de seus pensamentos, porém foi o corpo principal do livro que me surpreendeu. O livro não passa de uma enorme lista. Pode parecer estranho a princípio, porém a ideia funciona e promove a reflexão que a autora tanto
queria. Não se trata de qualquer lista, ela possui significado.
O Sal da Vida é simples, porém sua essência é tão luminosa quanto a própria vida. O livro nos faz refletir, nos faz relembrar bons momentos, nos faz perceber que é a partir de cada momento único que a vida se torna especial. A obra não é original, não é perfeita, mas como a vida, é bela. Pode não ser uma leitura obrigatória, mas para aqueles que decidirem dar uma chance para suas poucas páginas, garanto que irão finalizá-la com a mente mais leve e um novo brilho no olhar.

  • Le Sel de la Vie
  • Autor: Françoise Héritier
  • Tradução: Maria Alice A. de Sampaio Dória
  • Ano: 2012
  • Editora: Valentina
  • Páginas: 92
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023