As experiências que vivemos ao decorrer da nossa infância e início da adolescência são fundamentais para a construção do eu e do que nos tornamos ao crescer. Em O Peso do Pássaro Morto acompanhamos a vida de uma menina à mulher, dos 8 aos 52 anos, que tem sua fase de meninice delimitada por uma grande perda e que com isso, carrega um sentimento de melancolia ao longo da vida. 

Sem sabermos o seu nome, somos imergidos na vida da personagem e participamos do seu desenvolvimento, que é marcado por sofrimentos cruéis, que às vezes parecem tão distantes da nossa realidade, mas que está presente na vida de tantas mulheres. De uma força e delicadeza tão grandes é impossível não se sentir envolvido e impactado com a história da personagem.

porque no tempo da minha
memória
somos para sempre. não existe morrer dentro, é como uma
canção.
as canções não morrem nunca porque elas moram dentro
das pessoas que gostam delas. você conhece aquela da
rua?

O Peso do Pássaro Morto é um livro nacional e romance de estreia da autora, Aline Bei, que não se engane, apesar de ser um romance poético bem fininho, possuindo 168 páginas, essa obra é extremamente pesada e precisa ser ingerida em doses bem suaves. 

Em diversos momentos, ao longo da leitura, eu precisei parar, respirar, conciliar todos os sentimentos conflitantes e me distrair um pouco, antes de retornar a leitura. Contudo, quando cheguei ao final da leitura foi impossível conter um choro silencioso e sofrido pela vida da nossa personagem e de tantas outras mulheres. 

A obra é dividida em nove capítulos, em diferentes idades da protagonista, sendo eles aos 8, 17, 18, 28, 37, 48, 49, 50 e 52 anos. A narrativa ocorre na primeira pessoa, consequentemente, no início temos contato com uma escrita que é bem típica de uma criança até chegarmos a uma escrita mais madura. 

Isso é algo que me chamou bastante atenção na escrita da autora porque há um amadurecimento na escrita, o que eu considero bem diferente e além disso, a narrativa segue um fluxo de pensamentos da personagem, o que caracteriza muito bem as fases da vida, sendo a infância e adolescência cheias de informações e com o avançar da idade, um avanço na fluidez da narrativa. 

– claro. – respondi
entendo que o tempo
sempre leva a
as nossas coisas preferidas no mundo
e nos esquece aqui
olhando pra vida
sem elas. 

Outro ponto interessante do livro é o título, O Peso do Pássaro Morto, que não só está diretamente relacionado com a questão em foco da obra, a perda, como também foi assim escolhido, devido a lembrança de infância da autora, do momento em que seu canário morreu em suas mãos. 

O Peso do Pássaro Morto é o tipo de leitura que todos deveríamos fazer, ao menos uma vez na vida, e que tem a capacidade de nos marcar e refazer como leitores. Caso você tenha interesse em conhecer mais conteúdo da autora, ela está se dedicando o seu segundo livro e escreve para o site Livre Opinião – Ideias em debate. Fica a dica!

  • O Peso do Pássaro Morto
  • Autor: Aline Bei
  • Ano: 2017
  • Editora: Nós
  • Páginas: 168
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween