Livros que abordam a complexidade da transição da adolescência para a vida adulta sempre foram histórias que me interessaram, meu apego a esta época se deve ao fato de que nunca de fato, soube lidar com esta fase e eu precisei fazer uma travessia solitária e cheia de questões. Foi desta forma que me foi acertada a escolhe de ler, enfim, o “pai” do contemporâneo jovem adulto.

The Outsiders foi publicado originalmente em 1967, quando a autora Susan E. Hinton ainda estava no colegial. Baseado na experiência de um amigo próximo, a autora usou de sua indignação para contar uma história que abordaria temas mais simples como amizade, até os mais complexos como a diversidade da estrutura familiar e disparidade nas condições socioeconômicas. É assim que conheceremos a divisão de dois grupos rivais de “Vidas Sem Rumo”. De um lado teremos os Greasers – pessoas sem posses conhecidos em Oklahoma por suas jaquetas de couro e seus cabelos com gel – e do outro, os Socs – que é uma abreviação para sociáveis, ou seja, pessoas de poder aquisitivo maior.

É com este pano de fundo de conheceremos Ponyboy Curtis e seus amigos. Caçula de uma família integrada apenas por ele e por seus irmãos mais velhos, Sodapop e Darrel, todos fazem parte dos greasers. Logo nas primeiras páginas entenderemos mais ou menos como são os conflitos contra greasers e socs, pois após sair sozinho à noite, Ponyboy quase é pego pelos socs. As agressões entre ambos os grupos é recorrente e as brigas entre os grupos não necessariamente precisam ser motivados por algo, basta ter nascido do lado “errado” da cidade.

Aliás, esta confusão existencial é parceira de Ponyboy durante toda sua narrativa, um garoto que se vê inserido dentro de um grupo formado por jovens conformados, mas que buscam amadurecer. Cada greaser possui seus próprios monstros e desafios diários, cada um com sua jornada, iremos decifrando suas vulnerabilidades, assim como também entenderemos os socs, que mesmo de um lado mais privilegiado, também se veem numa condição esquecida.

The Outsider nos apresenta jovens ignorados pela sociedade, numa realidade violenta, como se estes jovens não pudessem escolher quem desejam ser no futuro. Os temas e os sentimentos são atemporais, mesmo 50 anos depois. O modo como a autora trabalha sentimentos de desesperança e uma vida sem grandes perspectivas, nos dá uma ideia de que o tempo da brilhantina, apesar de estiloso, também não foi só maravilhas. A marginalização desses personagens provam que a sociedade sempre prejulgou os mais pobres e isso é gritante na narrativa de Susan, que com pouca idade já entendia como a sociedade funcionava.

A força da amizade e o conceito de família debatido no livro, é hoje, uma discussão que ainda se mostra extremamente importante para a nossa geração mais jovem. Famílias podem ser construídas e constituídas do jeito que quisermos. Aqui jovens são excluídos e isolados pelas próprias famílias e um grupo de amigos pode ser a luz que tanto buscam para continuar sobrevivendo. Acho que esta é uma das lições mais lindas do livro.

Por fim, foi difícil me despedir de Pony e sua família, seus amigos Johnny, Dally, Two-Bit e Steve, mas carregarei grandes lições dessa jornada. Aprendi com cada personagem, com cada despedida, com cada sacrifício e escolha. Crescer sem dúvidas não é fácil, nossos amigos sempre podem nos salvar e a gente não precisar aceitar os ciclos que nos são impostos. Às vezes, por mais que as condições sejam adversas, a gente só quer observar o pôr-do-sol, correr atrás de oportunidades e permanecer dourado. A mensagem é: seja quem você quiser e onde quiser, ainda temos muito tempo.

Vale lembrar que The Outsider ganhou uma adaptação em 1983, dirigido por Francis Ford Coppola, e conta com um elenco de ouro, com Diane Lane, Tom Cruise, Emilio Estévez, Matt Dilon e Patrick Swayze. The Outsiders, livro e adaptação, revolucionou o gênero no cinema, após sua estreia outros filmes que também trabalhavam temas parecidos fizeram muito sucesso na década de 80 e muitos deles eu tenho certeza que você conhece!

A edição lançada pela Intrínseca é comemorativa aos 50 anos da obra. Em capa dura, corte colorido e extras com entrevistas com a autora e os atores do filme, sem dúvidas este livro é um presente para os fãs e também para os que gostam de clássicos tão importantes.

  • The Outsiders
  • Autor: S. E. Hinton
  • Tradução: Ana Guadalupe
  • Ano: 2020
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 240
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween