Érica é uma jovem normal que terá sua vida entrelaçada ao destino de cinco núcleos dessa história. Tudo começa quando ela encontra seus pais assassinados dentro de casa. O suficiente para mudar a vida de qualquer um para sempre, certo?

Em Moscou conheceremos dois jovens que sobreviveram a um atentado, no Cairo conheceremos uma ONG que precisa escapar de uma armadilha organizada pela ODTI, a Ordem das Doze Tribos de Israel, um grupo fundamentalista religioso que prega a vingança e a supremacia judaica, contra todos os povos que oprimiram os judeus um dia.

Em Washington saberemos que a filha de um funcionário da casa branca virará moeda de troca para este grupo de radicais e em Pequim temos um filho que procura um pai desaparecido há meses. Todas estas histórias manterão a trama de Érica, dando forma a um enredo com uma narrativa extremamente rápida.

Logo no início do livro acompanharemos fatos históricos que retratam parte da história dos judeus. Que vai desde uma época antes de Cristo até o Holocausto. O contexto é interessante para que entendamos as motivações da ODTI, que dentro de uma ideologia conspiratória, ameaça o mundo com uma terceira guerra mundial. Érica, aparentemente, é o próximo alvo dessa ordem e por este motivo acaba entrando para uma escola de agentes secretos, que lhe dará a força necessária para que ela tome enfim, as rédeas da sua própria vida.

Érica: Relatos de Conspiração é um livro de investigação jovem adulto. E vale ressaltar que a autora Larissa Barros Leal começou a escrever o mesmo quando tinha mais ou menos a idade da protagonista, cerca de 16 a 17 anos. Tendo isso em mente, é surpreendente descobrir como a história se desdobrou dentro de sua cabeça mesmo tão nova. O livro apresenta sua complexidade, revelando substorias que precisam fazer sentido no final, o que a autora acaba atando muito bem.

O livro também é narrado em terceira pessoa, que dá uma visão mais ampla da trama ao leitor, o que é um ponto positivo, visto que não podemos acompanhar a protagonista a todo o momento. Falando nela, Érica é um tanto quanto peculiar e possui uma personalidade bastante forte, que mesmo com a pouca idade enfrenta seus problemas de uma forma determinada. Quanto as subtramas e os personagens secundários alguns cativam mais que os outros, mas moldam a leitura de uma forma envolvente.

Infelizmente, dentro dos capítulos não há um aviso sobre para qual núcleo estamos sendo levados, então isso pode ficar um pouco confuso no começo da leitura, dada a quantidade de personagens. E, devido a idade que a autora começou a escreveu o livro, notei alguns termos sendo usados de uma forma um pouco equivocada que eu acredito que podem ser retirados sem afetar a trama de fato. Um dos poréns com a história se deu pelo intervalo curto dos acontecimentos, que vai da morte dos pais de Érica até o final, este curto prazo entre os acontecimentos não me pareceu verossímil, mesmo quando estamos falando de uma agente secreta adolescente.

Apesar dos comentários, gostei muito da forma como a autora trabalhou os fatos históricos no meio da ficção, fazendo uma crítica a líderes intolerantes, algo muito bacana de se incluir num livro dedicado a um público mais jovem. Trabalhar história e estes temas dentro da ficção é o primeiro passo para educarmos jovens questionadores.

De forma geral, Érica apresentará uma trama amarrada, que falará sobre terrorismo, conspiração e intolerância, mas que também trará o brilho de um protagonismo jovem para a trama. A personagem Érica é uma jovem perspicaz e justiceira, que não poupará esforços para tornar o mundo um pouco melhor. E o final é surpreendente, confesso que já tinha matado a charada um pouco antes, mas fecha a obra com bastante brilhantismo. Recomendo a leitura e agradeço a autora pelo convite de conhecer sua obra.

Dica: é importante fazer um disclaimer aqui, Larissa escolhe falar sobre intolerância religiosa escolhendo o judaísmo como ponto principal e ao longo da leitura fiquei com receio que isso pudesse ser interpretado de uma forma errada. A isso, recomendo uma leitura sensível para a autora.

  • Érica
  • Autor: Larissa Barros Leal
  • Tradução: -
  • Ano: 2017
  • Editora: Talentos da Literatura Brasileira
  • Páginas: 253
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023