Liz Lighty tem um sonho: estudar na renomada Pennington College, onde fará parte de sua conhecida orquestra e se tornará médica. Ela tem tudo programado até o dia em que recebe a notícia que não vai mais conseguir a ajuda financeira que esperava. Desesperada e tentando conseguir bolar outro plano, sua amiga lembra que ela possui uma chance ali mesmo na escola: a bolsa de estudos que a escola oferece para o rei e a rainha da festa de formatura. Mas Liz é negra, pobre e estranha demais, apesar de morar em uma pequena cidade rica, para vencer e brilhar em sua escola que é conhecida pelas suas festas de formatura, ela precisa superar as meninas parecidas e brancas que sempre ganham a coroa.

Ao decidir concorrer a rainha da formatura, há mais uma mudança drástica em sua vida, ela vira o centro das atenções na escola. Agora ela precisa lidar com as concorrentes que fazem de tudo para serem malvadas com ela e com os muitos eventos envolvendo seu novo papel na escola, tudo com a finalidade de ganhar pontos no final. As coisas não são fáceis de lidar, mas uma garota nova na escola, que também está concorrendo a rainha do baile, Mack, está fazendo com que tudo seja suportável.

Essa nova amizade, novo amor, será o responsável pela vitória ou pela ruína de Liz!

Eu não sei se as pessoas mudam de verdade com o tempo, mas, pelo bem dessa competição, estou disposta a ter esperanças.

Uma das coisas mais legais em livros é o modo como nosso interesse pela leitura de um determinado livro aparece. Com Espere Até Me Ver de Coroa foi a junção formatura/adolescente negra e lésbica. Essa é uma combinação que nunca vi retratada em filmes e livros do gênero que já assisti e li. Era óbvio que o livro iria abordar assuntos pertinentes e relevantes. 

Quero começar falando de Liz e da importância dessa personagem nesta realidade apresentada. Ela é pobre, negra e lésbica, e talvez nem tudo fosse um problema neste contexto se a cidade dela não fosse formada por pessoas ricas e muitas vezes preconceituosas. A problemática envolvendo o fato de ela ser negra foi muito bem trabalhada na minha opinião, lembrando que não estou no meu lugar de fala. Mas sempre que algo relacionado a isso aparecia, eu me via questionando e refletindo. Então acho que o propósito do livro foi comprido.

Outro tema que aparece aqui, e super normal neste tipo de livro, é a amizade. Vamos ver Liz se aproximando e fazendo amizades novas, como a Mack, e resgatando amizades antigas que estavam adormecidas. Aqui a autora pega um pouco no clichê, mas eu até gostei do modo como as coisas evoluem. É claro que quando o assunto é amizade/ensino médio/formatura não podemos esquecer das rivalidades. Mais uma vez encontramos coisas básicas do assunto, contudo o modo como essa rivalidade é trabalhada e as troca entre as personagens rivais foi diferente em vários momentos da trama. O que fez o livro ganhar pontos comigo. 

Leah Johnson constrói uma trajetória muito bonita para Liz. Ao mesmo tempo que está focada em seu objetivo, a protagonista acaba em um processo de autodescoberta. Uma menina lésbica que sofre também este tipo de preconceito na escola. Gostei que a Mack foi um bom suporte pra ela durante o livro. Além disso, outro diferencial aqui é o relacionamento familiar e a preocupação de Liz com sua família. Não podemos esquecer que ela está em uma classe social inferior aos de seus colegas, e essa questão também aparece de forma muito natural na narrativa.

Umas das coisas que sempre me cativam, principalmente em filmes, é todo o glamour das festas de formaturas nos Estados Unidos. Contudo, essa celebração é quase sempre retratada com algum acontecimento negativo relacionado a ela. Aqui, consegui aprender mais sobre as regras e todo o processo anterior à escolha da rainha. Eu sabia que as roupas tem um padrão e que o casal tem que ser formado por masculino e feminino, contudo eu não conhecia as regras envolvendo os eventos antes da premiação. É tudo muito rigoroso e cheio de objetivos. Eu consigo compreender a beleza de todo o processo, mas também fica bem claro porque muitas vezes o mesmo “tipo” de pessoa ganha o prêmio. E é neste ponto que a autora trabalha com maestria ao falar abertamente sobre o padrão das meninas selecionadas e como a presença de Liz ali pode marcar a história da escola. 

Espere Até Me Ver de Coroa é aquele livro com clichês adolescentes, mas cheio de debates super importantes sobre família, amizade, sexualidade, rivalidade, padrão e preconceito. Para quem gosta de livros com temas importantes tratados com responsabilidade, sem fugir de um bom romance leve, este livro é perfeito.

  • You Should Me In a Crow
  • Autor: Leah Johnson
  • Tradução: Solaine Chioro
  • Ano: 2020
  • Editora: Alt
  • Páginas: 336
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween