Resenha: Não Pare!

14 maio, 2014 Por Joi Cardoso

Título Americano: Don’t Blink!
Autora: FML Pepper
Ano: 2012
Editora: E-book
Páginas: 288
Compre: Amazon

Sabe aqueles livros que te deixam sem fôlego do começo ao fim? Que te deixam sentada na pontinha da cadeira de tanta ansiedade por não saber o que pode te aguardar nos próximos capítulos? Não Pare! é exatamente assim.
Nele encontraremos muita ação, segredos e um amor impossível, tudo reunido em um único livro e o melhor, tudo muito bem escrito e conduzido com maestria pela querida autora nacional FML Pepper. O livro conta a história de Nina Scott, uma menina prestes a fazer 17 anos de idade que nasceu com uma deformidade nas pupilas. Suas pupilas são estreitas como de um gato mas eram facilmente camufladas pelas lentes de contato que sua própria mãe desenvolveu. Stela trabalha na área de oftalmologia a anos e é referência no seu meio profissional. As duas vivem uma vida de ciganas, desde que Nina se conhece por gente sua vida é levada assim e sua mãe é sua única família.
Nina não entende e nem aceita por que as duas precisam viver assim, desde que nasceu ela não vive mais de um ano no mesmo lugar e sempre que se mudam tem que ser de forma rápida e inesperada. As duas já se mudaram para quase todos os países Europa, como consequência disso Nina conseguiu aprender diversas línguas diferentes, mas do que isso valia para ela se nunca conseguiu criar raízes em lugar algum, como ela usaria isso se ninguém conversava com ela? Nenhum amigo, nenhum divertimento, nenhum namoro, nada. Ela só queria ter uma vida normal e tranquila, mas isso não parecia possível.

“Definitivamente, eu estava flertando com a morte.”


Ela é uma menina sozinha ao lado de sua mãe que à negava qualquer tipo de informação pelo tipo de vida que levavam e de seus familiares. A superproteção de sua mãe era assunto proibido e ela também nunca conhecerá seu pai, na verdade, ela nunca teve qualquer informação sobre ele e seu paradeiro. Muitas eram as dúvidas e inseguranças de Nina mas Stela nunca lhe dava nenhuma resposta de conforto o que só piorava as coisas.
Nina também apresentava episódios de tonturas e calafrios inexplicáveis, e sempre que isso acontecia, alguma pessoa em sua volta, morria ou se fere gravemente. Era como se ela tivesse uma liga para acidentes bizarros, sempre que um desses acontecia de forma mais convincente Stela dava um jeito de se mudar. Em sua última estada em Amsterdã Nina quase foi atingida por uma lâmina na face por um artista de rua e isso foi o suficiente para Stela sair rapidinho em retirada, assim, por fim elas vão parar em Nova York, com a promessa que as duas não se mudariam nunca mais. 
Em sua nova cidade, Nina faz algumas amizades na escola e até consegue um bom emprego, acaba conhecendo o angelical Kevin, que estava sempre disposto a ajudá-la e protege-la e o mesmo a salva de um “quase” atropelamento em um de seus momentos de tonturas, e em um encontro nada amigável também conhece o assustador Richard, um garoto marrento e rude, tinha sérias cicatrizes pelo corpo todo e possuía lindos olhos azuis. Os tais acidentes inesperados começam a cercar Nina novamente também em Nova York mas com medo de uma nova mudança, ela resolve esconder se sua mãe. Inexplicavelmente seu anjo da guarda Kevin e os olhos marcantes de Richard sempre pareciam presentes. Coincidência ou não?
Rapidamente, Nina se vê atraída pelos dois garotos, mesmo Richard fazendo questão de deixar muito claro todo sua repugna por ela, mas algo nele a atraia, mas ela não sabia dizer por que. Ele é grosseiro e gosta de ser assim. A complexidade do personagem sempre me deixou com uma pulga atrás da orelha, alguma coisa em seu comportamento me deixou intrigada e envolvida. Por que todo este desprezo em relação a Nina?

“Como ele conseguia ser tão… tão bonito…tão exuberante… e absurdamente insuportável?”

Já Kevin era um verdadeiro Príncipe, perfeito demais para o meu gosto. E isso me deixou desconfiada, ainda mais quando “inocentemente” ele tenta alertar Nina sobre as “más intenções” de Richard. E é claro que ela acreditou. Mas algo inusitado estava por vir. Mas não se preocupem a história não se trata de um triângulo amoroso, e logo a máscara de um cairá. 
Os personagens são super bem desenvolvidos, Nina, tem toda a sua inocência excessiva que me incomodou bastante com suas atitudes e narrativa chatinha, certos momentos imaginei ela como uma adolescente mimada, mas eu parei, respirei e relevei pois era exatamente o que ela era, com toda a super proteção da mãe, ela não tinha culpa. Não tinha como Nina ser de outra forma. E isso foi muito bem construído pela autora.
O livro é narrado nos dias atuais, na terra existem dimensões separadas. Em sua trama Pepper divide o mundo da seguinte forma: Plano (Céu), Intermediário (Terra), Zyrk e Vértice (Inferno). Os habitantes da dimensão de Zyrk são seres que conseguem viver entre os humanos, mas não sentem nada relacionado ao toque, não foram criados para terem laços afetivos com ninguém, foram condenados a muito tempo atrás a uma maldição e eles só sentiriam as coisas ruins da vida e nada de bom, um simples toque, um beijo, um carinho, sexo e o principal, o amor era totalmente desconhecido. Eles não conheciam isso e não poderiam jamais sentir.

Os Zyrkinianos são responsáveis pelo equilíbrio das dimensões no mundo e todos são chamados de “resgatadores”, em outras palavras, eles eram a morte. Cada um deles era designado a um humano, cada pessoa tinha sua hora e data marcada e cabe ao seu resgatador finalizar e completar a missão, seja diretamente ou indiretamente.

Uma leva de reviravoltas começam acontecer e um grave acidente proposital acontece quando um desses dois rapazes tenta matar Nina, descobrimos obviamente junto com ela, que um deles é de Zyrk…mas ela é salva. Vocês poderiam dizer quem resolveu salvar Nina? ele a salva, a sua morte, o seu resgatador! Mas por que? se este era seu objetivo de enfim matá-la uma hora ou outra, por que não deixou simplesmente isso acontecer? Por que a salvou? Bem, isso vou deixar que vocês, descubram e fiquem encantados com esta fantasia que Pepper criou assim como eu fiquei, é simplesmente sensacional e genial, diferente e totalmente original.

“Você entregaria sua vida nas mãos da própria morte?”

O mais interessante no enredo é saber que Nina é uma menina totalmente inexperiente, o que é normal para a sua idade, mas devido aos recentes acontecimentos ela é obrigada a amadurecer na marra e se depara com um universo totalmente novo mas quanto mais ela conhece sobre este mundo novo mais ela coloca sua vida em risco. Podemos acompanhar também outros personagens crescendo e o principal se descobrindo, seria capaz um resgatador se deparar com sentimentos que estava predestinado a nunca sentir? ele seria capaz de lidar com isso? Tudo era muito novo para ambos e você vai amar conhecer os novos sentimentos crescendo sutilmente a cada momento deles juntos. Desejo, ciúmes, atração, dúvidas! Em quem confiar? é a grande dúvida de Nina e a nossa também! Pois mesmo o perfil do “mocinho” estando já bem desenhado em nossa frente, ele insiste em colocar nossa confiança à prova.
A proposta de Não Pare! é algo novo para mim, eu ainda não tinha lido nada sequer semelhante com o mundo criado pela autora, os livros para Jovens Adultos (Y.A) são os meus favoritos, o que me deixou ainda mais interessada na leitura, que foi muito fluida e rápida. Sem contar que o final termina um baita gancho para o próximo livro – Não Olhe! e eu não vejo a hora de ler e descobrir mais sobre o destino de Nina e sua morte!

“– Não vê? Eu tremo – e deu uma gargalhada nervosa – A Morte tremendo! Como pode isto? – E me apontou as enormes mãos – Elas tremem perto de você! Nunca tremeram!”

Ahhh…diferente de outras resenhas decidi não deixar explícito quem seria o par romântico de Nina na trama, mas deixo por fim, a música que embala esse romance sutil mas que aos poucos se torna arrebatador e perigoso. A própria Pepper escolheu a trilha e sinceramente? não poderia ser a música e letra mais perfeita.

Confira a série Não Pare!:

rela
ciona
dos