Eu confesso que já fazia um tempo que essa HQ estava esperando por uma releitura, ali no armário onde eu guardo todos os meus livros, com o maior carinho, mas sem muito espaço. Como eu mencionei no último post, eu estou cheia de ideias e títulos que eu quero resenhar para vocês, e o Umbrella era um deles! E após reler esse exemplar eu venho aqui realizar uma resenha para vocês!

The Umbrella Academy – Suíte do Apocalipse é a coletânea dos seis primeiros títulos, divididos em capítulos na versão brasileira, da série de quadrinhos lançada em 2007. A história fora toda pensada e moldada pelo vocalista da falecida My Chemical Romance, Gerard Way, que para quem não sabe frequentou a Escola de Artes Visuais de Nova Iorque e foi palestrante convidado da Oxford Union. No time nós temos o brasileiro Gabriel Bá, que produziu as artes da HQ, foi ele que produziu todos os desenhos presentes no interior dos exemplares. Gabriel é irmão gêmeo de Fábio Moon, e os dois são os responsáveis pelas tirinhas presentes no 10 Pãezinhos. Além disso os irmãos já venceram o prêmio Eisner nos anos de 2008 e 2001.
Foi no mesmo ano em que Tom “Brigador” Gurney nocauteou a Lula Alienígena de Rígel X-9… Aconteceu às 21h38… Veio de uma cotovelada voadora atômica.
Toda a história começa quando 43 crianças extraordinárias nascem, em sua maioria de mães solteiras que não apresentavam qualquer sinal de gravidez. Muitas dessas crianças, após o nascimento, foram abandonadas pelas mães e outras entregues a adoção. É nesse contexto que surge O Monóculo, também conhecido como Sir Reginald Hargreeves. Monóculo era um cientista, empresário e milionário mundialmente famoso, que através de métodos misteriosos tentou rastrear e adotar o maior número possível destas 43 crianças. De todas estas 43, Monóculo encontra apenas 7, e uma vez encontradas, o cientista as leva para sua mansão, e nunca mais é visto. Ele descobre quais são as habilidades especiais de cada uma das crianças, e com o passar dos anos treina cada uma para que evoluam suas habilidades e estejam aptas a salvar o mundo quando fosse necessário.

Assim é formada a Umbrella Academy, uma família disfuncional, composta por 7 crianças especiais, um “pai” que não aceita ser chamado de pai, uma “mãe” composta por um manequim e outros personagens que vão surgindo ao longo da história como um chimpanzé com a capacidade cerebral evoluída. Comandada por Monóculo as crianças iniciam suas atividades de super-heróis muito cedo, e desde pequenas sofrem com a falta de amor, compreensão e diálogo presente na família. Com o passar do tempo muitas coisas acontecem e os membros acabam se separando, seguindo caminhos diferentes.
Agora só nos vemos em casamentos e funerais.

Vinte anos depois da separação da equipe, com a morte de Reginald Hargreeves, a família é reunida. No funeral conhecemos melhor alguns personagens de Umbrella Academy, como Spaceboy, ou 00.01, que possui corpo de macaco e apenas a cabeça de seu corpo original. Rumor, 00.03, que possui a capacidade de tornar tudo o que fala em verdade. Kraken, 00.02, que possui a habilidade de segurar sua respiração por tempo indeterminado. Seance, 00.04, possui habilidades psíquicas e é capaz de falar com os mortos. E por fim temos 00.05, o qual não é apresentado o nome ou codinome durante a HQ. 00.05 é capaz de viajar no tempo. O número 00.06, também conhecido como Ben, havia falecido a algum tempo, e a sétima irmã, Vanya, não conversava com os membros da família a muito tempo e não se dirige ao funeral.

Todos os membros da família acreditavam que Vanya não possuía nenhum poder especial, seu falecido “pai” sempre dizia que ela não tinha nada de especial, era apenas comum pois nunca foi capaz de acompanhar seus irmãos durantes as missões quando eram jovens. Vanya, cresceu com grande paixão por música e aprende a tocar violino, sendo este seu maior consolo. É justamente nesse pequeno detalhe que a história toda irá se direcionar. Pois um vilão descobre que ela é a chave para o fim do mundo. Tudo o que ela precisa é tocar seu violino para então destruir construções e matar milhões de pessoas. E assim toda a história começa.
Faniquito?! Você chama isso de faniquito?! Eu estou prestes a destruir o mundo!
The Umbrella Academy é uma HQ muito gostosa de ler. As cores usadas em cada ilustração foram muito bem escolhidas e belamente inseridas a todo o desenho produzido por Bá. Os diálogos são curtos e precisos, e os comentários presentes ao longo da história seguem a mesma linha. Ao final de cada capítulo nos deparamos com algumas informações adicionais, diretamente ligadas a algum detalhe específico apresentado durante aquele capítulo, esses detalhes não são ligados a história da HQ, mas são pequenas curiosidades que em certos casos nos fazem rir, e em outros nos fazem pensar.

Este é o tipo de livro rápido, não apenas por se tratar de uma história em quadrinhos, mas por possuir trechos curtos e diretos de escrita, dependendo do tipo de leitor que você é, poderá passar de uma hora a duas horas curtindo a história, e principalmente as ilustrações muito bem elaboradas a cada página. Uma vez finalizado, o livro te deixará com um gostinho de quero mais!
Lembro de ter achado bem interessante todo o universo apresentado pela HQ na primeira vez em que li o livro. Porém nesta releitura acredito ter aproveitado muito mais, senti que consegui prestar mais atenção aos traços de Bá, as cores de Dave Stewart e perceber onde estavam as piadas, as ironias e os momentos de grande valor da história! Essa é definitivamente uma história que merece ser lida e compartilhada!


Título Original: Apocalypse Suite
História: Gerard Way
Arte/Cores: Gabriel Bá | Dave Stewart
Ano: 2007
Editora: Devir
Páginas: 192
Amazon

rela
ciona
dos