Título
Original:
 The Tiger Saga #1: Tiger’s Curse
Autora: Colleen
Houck
Tradução: Raquel Zampil
Ano: 2011
Editora:
Arqueiro
Páginas: 342
Desde 2014, quando li uma resenha desse livro e bati os olhos na capa maravilhosa que ele possui, fiquei extremamente curiosa e ansiosa para conhecer sua história, seus detalhes e toda a pesquisa que diziam que a autora havia feito. Sempre
fui apaixonada por fantasias, por romances sobrenaturais, por livros capazes de unir de uma forma maravilhosa e instigante histórias impossíveis à culturas e tradições
existentes em nosso mundo cheio de cor e criatividade. 

Por diversos motivos, que eu sei explicar perfeitamente, e outros que estavam totalmente fora de meu controle, esse livro ficou um bom tempo aguardando em minha estante, esperando pacientemente para que essa pessoa aqui iniciasse a leitura dessa saga. Quando o momento finalmente chegou, quando meus olhos puderam apreciar cada palavra, minha mente absorveu cada capítulo como água, e mesmo com alguns pontos negativos, estou feliz por finalmente ter iniciado essa série!

Lokesh
arrancou um talismã de madeira de seu pescoço e o colocou debaixo do braço do
prisioneiro. O sangue gotejou da faca para o amuleto e o símbolo ali gravado
fulgurou com um vermelho abrasador antes de pulsar com uma luz branca estranha.

Neste livro os leitores serão apresentados à uma adolescente chamada Kelsey, personagem que narra o livro e nos acompanha durante toda a história. Kelsey, é órfã, perdeu seus
pais em um acidente de carro e desde então vive com uma carinhosa família
adotiva que a trata com respeito, a quantidade certa de espaço e amor. Na medida em que as férias se aproximam a personagem, como muitos adolescentes dos Estados Unidos, sai em busca de um emprego, e é em sua busca que ela encontra e aceita a vaga para trabalhar, durante algumas semanas, no circo que acaba de se instalar na cidade. Suas atribuições no novo emprego consistem em cuidar da bilheteria nos momentos que antecedem ao início do espetáculo, realizar a limpeza do local após o término das apresentações e cuidar dos animais.
Ao aceitar o trabalho, Kelsey também recebe um lugar para dormir juntamente com outras funcionárias do circo, assim nossa personagem principal passa muito tempo com todas as pessoas que trabalham por lá, e com apenas alguns dias de serviço já se torna amiga de todos, mas é com um belíssimo tigre branco que a personagem criará uma relação especial. Pouco se sabe sobre o passado do encantador tigre branco, tudo o que seu treinador sabe informar é que ele aparentemente é calmo e bem treinado, porém se recusa a aprender qualquer novo truque, realiza apenas os truques que conhece e nada mais. 

Conforme os dias passam, Kelsey passa mais e mais tempo com o animal, sempre que pode ela senta próximo a jaula do tigre e lhe conta histórias, o observa, faz companhia. Assim, a ligação entre os dois cresce, e a personagem se sente segura e confortável perto da grande fera, ganhando cada vez mais sua confiança. Porém tudo muda quando um misterioso homem, conhecido como Kadam, aparece no circo com uma oferta de compra para o tigre branco. Sua intenção é comprar o animal e leva-lo de volta para a Índia, onde será relocado para uma reserva e poderá viver com seus semelhantes. Mas o que antes entristecia a nossa personagem principal, acaba por deixa-la muito animada, já que o querido Senhor Kadam oferece a oportunidade de viajar com o tigre para a Índia e garantir que ele se adapte em seu novo lar.

No primeiro momento, a tarefa oferecida a Kelsey parecia ser simples e livre de qualquer falha, já que seu único dever seria acompanhar o animal durante sua viagem de volta para casa e quem faria todo o trabalho perigoso seriam funcionários contratados por Kadam. Porém nada é o que parece nessa história, e na medida em que Kelsey e seu tigre pisam em solo indiano, muitas coisas irão acontecer e ditar o rumo de nossa história. O que ela não sabia é que o tigre branco é na verdade um antigo príncipe indiano, chamado Dhiren, que foi amaldiçoado e traído, e viveu o resto de seus dias, até o momento em que foi encontrado por Kelsey, na forma de um tigre perdido. Mas ao descobrir seus segredos e conhecer o homem por trás do olhar do tigre, Kelsey nos levará para uma aventura repleta de mitologia, magia e mistério, e a viagem simples para a Índia se transforma em algo maior e mais emocionante do que poderíamos imaginar.

“Mas tudo isso
pode ser repelido se serpentes encontrarem o fruto proibido e a fome de Índia
satisfazerem… A fim de não ver todo o seu povo perecer. ”

A Maldição do
Tigre
é aquele livro que consegue fazer os olhos de leitores apaixonados por história, cultura e pesquisa inseridas em uma ótima narrativa, brilharem com mil estrelas do céu. Durante toda a história nós seremos apresentados aos mais diversos detalhes, costumes, cultura e curiosidades sobre a Índia, o único ponto fraco na edição é que muitos detalhes mencionados não possuem nota de rodapé e ficam um pouco confusos de entender pelo contexto, mas esse é apenas um detalhe pequeno, e não prejudica em nada a leitura. Collen Houck fez um belíssimo trabalho ao integrar toda sua pesquisa, todos os detalhes e curiosidades da Índia em uma história repleta de magia, aventura e mistérios a serem desvendados. O que mais gostei nesse livro é que ele nos apresenta uma cultura que raramente é abordada na literatura. Raramente ganham destaque livros que nos apresentem as cores e belezas que a cultura indiana possuí, por esse motivo, caí de amores por essa história!
Como todo bom romance sobrenatural, A Maldição do Tigre nos proporciona bons momentos de romance, mistério, magia e aventura. O livro não peca quando os assuntos são cenas e situações onde os personagens devem passar por desafios, onde eles se aventuram por cavernas, templos e florestas, ou mesmo quando a mitologia e a magia se mostram vibrantes e instigantes durante a narrativa. 

Porém é com o desenrolar da história, e com a progressão do relacionamento do casal que começam a surgir situações e pensamentos irritantes por parte da nossa querida Kelsey. A partir do momento em que Kelsey e Ren se tornam algo mais, a personagem feminina inicia seu mimimi, passa a agir como alguém que não sabe o que quer, pensando certas coisas em um momento e mudando de ideia no outro. É verdade que em certos momentos eu entendia e até mesmo concordava com as coisas que ela pensava,
dizia ou fazia, mas durante a maior parte das situações apresentadas eu achei tudo muito forçado. A impressão que tive foi que a autora quis acrescentar aquele drama familiar de certos romances, mas acabou pesando a mão nesse quesito, me deixando irritada com as atitudes da personagem e morrendo de pena do pobre príncipe Ren.

“Nesse momento,
um rugido ensurdecedor e de partir o coração sacudiu as árvores. Virei-me no
assento e fitei a estrada deserta à minha frente. ”

Em resumo, A Maldição do Tigre é um livro fofo, emocionante na medida certa, um livro que compensa seus pontos fracos através da inserção de uma
pesquisa maravilhosa e muito bem inserida à história. A história nos cativa através de aventuras
nunca antes abordadas, com personagens secundários formidáveis e queridos que ganham um espaço especial em nosso coração, além do fato de nos fazer amar mais certos personagens por estarmos irritados com outros. Collen
Houck
está de parabéns por ter trazido um tema já conhecido mas sob um novo olhar, com um contexto totalmente novo. A autora conquista com sua narrativa que fez leitores e leitoras se apaixonarem por um tigre branco amaldiçoado, a bravura de uma garota comum, as aventuras e mistérios que permeiam cada detalhe dessas páginas. Agora só me resta ler a continuação para ver se essa história
irá progredir ou se irá se manter no mesmo patamar que o primeiro livro.

Confira a Saga do Tigre:

1. A Maldição do Tigre

2. O Resgate do Tigre

rela
ciona
dos