Resenha: Esposa Perfeita

Título Original: The Kept Woman
Autora: Karin Slaughter
Ano: 2017
Editora: Harper Collins
Páginas: 464
Amazon - Saraiva

Um assassinato, uma cena de crime brutal, completamente confusa e sangrenta, a casa de um dos mais famosos jogadores de basquete da atualidade e um corpo. Esta é a cena encontrada pelo detetive Will Trent para que ele investigue. Uma investigação que o leva a enfrentar fantasmas próximos e reaviva diversas questões pessoais em sua mente e o deixa em um conflito particular enorme. 

Will foi criado em um orfanato e uma das crianças das quais era mais próximo se tornou sua, agora, ex-esposa Angie. Uma mulher de temperamento forte e caráter duvidoso, que se envolve com diversos tipos de criminosos e trabalha para a assessoria de Marcus Rippy, o jogador de basquete, dono da casa onde se encontra a cena do crime. Atualmente, Trent namora sua ex-amante e agora colega de investigação: Sara. Angie está desaparecida e as investigações levam a crer que ela é a principal suspeita do crime, porém a cada passo dado mais corpos são encontrados e Angie segue com seu paradeiro desconhecido. 

Esta é a tônica central da história, vários assassinatos, um provável suspeito, um triângulo amoroso e um policial em crise existencial. O livro gira em cima disso, a mecânica flui muito bem e prende a atenção do leitor com maestria. A relação entre os personagens centrais ganha bastante ênfase no enredo, este é meu primeiro contato com a Série Will Trent, então não saberia afirmar se a autora costuma explorar isto em todos seus livros ou não, mas achei que a investigação policial em si, se desprende do ritmo narrativo por alguns momentos e passamos a explorar mais detalhadamente a psique do personagem Will, o que se encaixa perfeitamente a história, mas pode decepcionar fãs mais exigentes do gênero.

"Todo relacionamento, romântico ou não, tinha certo nível de egoísmo. Aumenta ou diminui dependendo de quem era mais forte ou de quem mais precisava."


A autora Karin Slaughter se preocupa bastante em descrever as cenas com detalhamento, o que transporta o leitor para dentro da investigação e faz você sentir o horror que paira sobre ela. O mesmo ocorre quanto a parte psicológica da trama, você sente toda dor de cabeça que estes crimes e a suspeita sobre a ex-mulher causam em Trent e o quanto ele fica confuso sobre seu presente, passado e futuro enquanto investiga.

O livro é muito bom, cheio de reviravoltas e coisas imprevistas, Karin inovou bastante na sua história, fazendo seu detetive não ser mais do mesmo e não coloca nela muitos clichês dos quais estamos acostumados a ver em romances policiais. Pelo contrário, ela inova e surpreende o leitor no final do primeiro ato do livro ao transporta-lo diretamente para o passado, mostrando como toda a ação dos assassinatos aconteceu, qual foi a motivação para isso e a verdadeira história por trás do crime. Acabando com o mistério sobre o assassino, mas apimentando mais a história e fazendo o leitor questionar quem é o real criminoso e quem é o mocinho da história. 

O último ato é referente à conclusão de todo o caso e de todas as dúvidas e incertezas que a resolução antecipada causa no leitor. Achei muito bom esse recurso que a autora utilizou, mas pode desagradar a alguns leitores, como por exemplo quem lê para desvendar o mistério, você lerá quase meio livro já sabendo o que aconteceu e quem é o assassino, perdendo um pouco do clímax. Mas como Slaughter deixa claro desde o início, o livro é muito mais do que apenas uma investigação policial, os reais problemas estão o verdadeiro conflito está dentro da mente do protagonista, como ele irá se restabelecer e o que tudo isso irá causar em sua vida. Sem dúvidas, ela soube muito bem distribuir esses pontos na sua história. 

Esposa Perfeita é o oitavo livro da série sobre o detetive Will Trent, porém a série não chegou por completo aqui no Brasil. Pelo que pesquisei, as primeiras três histórias do detetive foram lançadas pela Editora Record, e agora a Harper Collins comprou os direitos da autora e está lançando seus últimos livros Esposa Perfeita e Flores Partidas, este segundo, fora do cenário do detetive. O hiato que existe, e não ter lido os sete livros anteriores do detetive, não prejudica o andamento da história, mas fiquei com a impressão de que esses problemas, acerca o passado amoroso do detetive, possam ter sidos mais abordados anteriormente e acabei me sentindo um peixe fora d'água quanto a isso. Nada que estrague a leitura, mas é notável que há informações faltando entre as linhas.



 A edição da Harper Collins é maravilhosa, eu recebi o livro através da parceria com eles e ele veio com uma sobre capa que eu achei sensacional. A capa dele é o rosto de uma mulher quase submersa, que pode não ter muito a ver com o livro, mas sem dúvidas, mais bela que a americana, que não é muito elucidativa. O trabalho feito pela Harper Collins ficou muito mais interessante, fato. O título faz parte total do enredo da história, mas para pegar esse insight você precisa entender bem o livro, inclusive achei mais interessante do que o título americano que é “The Kept Woman” algo como “A Mulher Oculta”. O trabalho feito pela editora em relação as traduções de livros é sem dúvida o melhor de editoras brasileiras, eles conseguem reproduzir exatamente o que o autor estrangeiro quis transmitir para seus leitores, sem que as informações percam ligação com a história e nós brasileiros não entendamos alguma artimanha que o autor tenha quisto passar para o leitor. Eles conseguiram reproduzir muito bem inclusive inserções feitas pela autora com coisas típicas americanas e que não fariam muito sentido para nós, alterando o texto para a realidade do brasileiro, deixando claro a emoção exposta ali. 

Não falei muito sobre Karin Slaughter, por este ser o primeiro livro que leio dela, mas me pareceu bem interessante e sem dúvida leria mais coisas da autora e de Will Trent. Para você que gosta de literatura policial, Esposa Perfeita é uma ótima pedida, e se você sente falta de saber mais sobre a vida do detetive da história, decifrar seu caráter e talvez, até fique torcendo para que o mesmo se envolva emocionalmente com alguma investigada ou colega de trabalho, está leitura é certa para você, além de um ótimo caso de polícia ainda envolve todo o lado B da vida de um investigador.

Confira outra obra da autora:

11 comentários

  1. Bruno!
    Nossa! A série com o detetive Will Trent tem muitos livros, pena que nem todos chegaram ao Brasil ainda, mas desejo que cheguem logo, porque por sua análise o livro é muito bom, carregado de mistérios e cheio de reviravoltas e ainda tem os detalhes...ah! como gosto dos detalhes porque eles sempre esclarecem tudo.
    Desejo um ótimo final de semana!
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia este livro, mas como gosto de histórias de suspense e investigação, após ler sua resenha acabei adicionando ele em minha lista de leituras, não sabia que este livro fazia parte de uma série composta por 8 livros, uma pena nem todos terem sido publicados no Brasil, que pena que você achou que faltou algumas informações que poderiam ter sido abordadas nos livros anteriores, só resta torcer para os demais livros serem publicados no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruno, apesar de ter feito pouca diferença o fato desse ser o oitavo livro eu acho estranho pegar uma história tão avançada principalmente porque faz diferença pra acompanhar a vida amorosa do personagem principal, mas curti a resenha de um modo geral, a escrita da autora parece fazer a diferença pra envolver o leitor na história e mesmo o fato do assassino ser descoberto em pouco mais da metade do livro não faz tanta diferença. A capa tá muito bonita e a resenha ótima ;)

    ResponderExcluir
  4. Acho que nunca li um livro assim, é o tipo de história que vemos muito em filmes, mas me faltam leituras.
    Gostei da indicação, só achei ruim ser o oitavo livro. Aí desanima...hahahahaha

    ResponderExcluir
  5. Não sabia que era uma série com tantos livros assim, pena não ter saído todos aqui, pois gosto de ler desde o começo, mesmo quando da para ler de forma independente sempre acho que fica faltando algo. Mas achei intrigante todos esses assassinatos e qual seria seu proposito, ainda mais por mexer tanto com a mente do personagem, só não gostei desse triângulo amoroso odeio isso.

    ResponderExcluir
  6. Já li flores partidas e adorei!
    Não sabia que este era da mesma autora, e nem que era parte de uma série.
    Eu adoro toda essa narrativa policial que me envolve completamente.
    Já quero ler também.

    beijos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  7. Oi!!
    Nossa agora fiquei bem surpresa com a quantidade de livros que essa série tem!! E ainda bem que mesmo que esse livro seja o oitavo livro da série dar para ler sem medo da estória ficar confusa. Sou apaixonada por livros de investigação, pois gosto bastante de todos os ângulos e maneiras que o autor tem para apresentar a estória para nos leitores de livros policiais!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruno,
    Quando um autor propõe uma narrativa inversa (entregando ao leitor o assassino no inicio da história) é porque ele quer inovar e sair do óbvio em livros do gênero e considerando a grande quantidade de thrillers que estão sendo publicados no Brasil essa jogada da Karin Slaughter pode ser bem revigorante para quem já for um leitor assíduo deste tipo de história. Eu, particularmente, amo livros como Esposa Perfeita e achei uma boa aposta da editora. O mistério trás muito a ser desvendado e as vidas particulares dos personagens envolvem mais o leitor na trama. Vi o trabalho gráfico da Harper Collins e adorei a ideia da sobre capa. Só achei uma pena os livros não terem sido todos lançados no Brasil.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Meus Deus, sem dúvidas a capa é maravilhosa. Gosto demais de livros sobre investigação. Com certeza um dos meus gêneros favoritos, mas nunca tive a oportunidade de ler nenhum livro da série Will Trent, apesar de babar bastante em alguns volumes. Talvez eu, particularmente, ache o fato da autora narrar tudo com muito detalhamento algo chato, mas acho que isso vai de cada um. Adorei a dica, beijos

    ResponderExcluir
  10. Depois de ler a sua resenha, me deixou tentada a dar uma chance a essa história. A capa já tinha me chamado a atenção e vi várias críticas positivas. Espero não me encaixar no "fãs mais exigentes do gênero".

    ResponderExcluir
  11. Oi Bruno :)
    Eu gosto muito e literatura policial e faz um tempo que eu quero ler esse livro em específico da série. Fico feliz em saber que ele consegue fugir dos clichês.
    Não sei porque livros com essa premissa me deixam com a sensação de sempre estar por fora de alguma coisa, de uma passado que eu não tenha percebido. Acho que por ser 8 livro da série, deve ter pensamentos do personagens que já tenham sido abordados em outros livros.
    Gosto quando o conflitos são mentais e são dos personagens e não do caso em si.
    Obrigada pela indicação ;)
    Abc

    ResponderExcluir