Título Original: Travessuras da Minha Menina Má #2 – Les Seasons
Autor: Otávio Bravo
Ano: 2018
Editora: Chiado
Páginas: 249
Les Seasons é o segundo volume da trilogia Travessuras da Minha Menina Má do autor nacional Otávio Bravo
No primeiro volume desta história, conhecemos minuciosamente Victor, sua família, adolescência, o início da vida adulta, até o dia de sua primeira perda e como este acontecimento foi um divisor de águas. Neste segundo livro iremos acompanhar uma nova fase e talvez um novo Victor.
Estabelecido novamente no Brasil e de volta ao Rio de Janeiro, demora um tempo para que Victor reencontre novamente seu equilíbrio, devido a todas as feridas do passado. Tudo pelo que passou, também o moldou e agora ele não vê mais o mundo com os olhos de um jovem adulto cheio de sonhos. Porém, sua vida como um reconhecido acadêmico, está prestes a mudar quando, em uma fila de banco, ele avista pela primeira vez Maria Eduarda. A partir daquele dia, ele sabia, sua vida mudaria.
Maria Eduarda veio de Porto Alegre para estudar e buscar novos ares no Rio de Janeiro, longe dos tios que a criaram e ainda mais do pai, que nunca fez questão de tê-la por perto. O destino se encarrega de aproximar Victor de Maria Eduarda, colocando-a em sua turma. Mesmo com todos os obstáculos e preconceito, não demora muito para que um tórrido relacionamento de estabeleça entre os dois.

“Com Maria Eduardo comigo, venciam-se quaisquer sopros da prudência e do discernimento.”

Assim o leitor adentra na jornada de altos e baixos que Maria Eduarda proporciona a vida de Victor. Por conta desse desenrolar, a leitura, diferentemente do primeiro livro, passa a ser mais ritmada pela personalidade selvagem de Duda. Ela, aos seus 24 anos, só quer se divertir, ir a festas e percorrer o mundo e Victor, mesmo com a vontade de acompanhar sua amada e de nunca ter provado nada igual antes, já se encontra na acomodação dos seus 41. Mas tudo parece valer a pena por ela, seja gastos exacerbados ou o consumo de drogas.
Uma coisa que achei bastante interessante durante a leitura foi acompanhar Victor interagindo com a tecnologia do século XXI. Como o acompanhamos desde sua juventude, é possível perceber a relação de Victor com tudo que há de novo, pois afinal, o mundo amadurece com o personagem. Suas experiências com as primeiras facilidades que temos hoje em dia é destacada na narrativa, como por exemplo, o uso do facebook, skype, smartphones, etc. A narrativa desde segundo livro percorre no período de 2007 a 2013 e aqui, mais uma vez estaremos por dentro de alguns dos acontecimentos que marcarão esta época.
Porém, para mim, o que realmente se destaca nesta leitura são os personagens. Alguns que já começaram a ser construídos desde o primeiro livro e outros que reivindicaram seu espaço com maestria. Maria Eduarda é assim, como disse antes, um furação. No auge da sua vida, com sua fome do mundo e sua paixão estarrecedora, mas também assombrada por feridas profundas. Assim como Victor, estas feridas a moldaram e ao longo da leitura vamos descobrindo, quais foram a consequências disso para ela. Mas lhes garanto, menina má é pouco para caracteriza-la.

Acompanhar Victor, entretanto, é como estar ao lado de um amigo muito próximo. Estamos dispostos a ouvir sobre sua vida, celebrarmos cada conquista e lamentarmos por cada perda. Às vezes até queremos entrar dentro do livro para sacudi-lo, fazer tudo que fosse necessário para que ele perceba o quanto seu amor desenfreado o cega. São todos estes acertos e erros que o constroem e o tornam um personagem tão real. 
A narrativa é feita em primeira pessoa por Victor, que no futuro vem nos contando as suas aventuras ao lado da menina má. Portanto, a leitura é permeada de reflexões, sobre o que seria certo fazer em determina situação e lembranças saudosas. Esta ferramenta só nos instiga ainda mais a leitura, para que continuemos a desbravar este romance. As últimas cinquenta páginas deste segundo volume são pesadas, chocantes e te fisgam completamente. É difícil não querer saber o que acontece depois.
Uma vez que entrei de cabeça neste romance, vejo que não há mais como sair. De uma forma ou de outro, Victor é tudo que Duda precisa e Duda é tudo que Victor busca. Desde o início, muito bem construído e pensado nos mínimos detalhes, Travessuras da Minha Menina Má, chega para lhe roubar a atenção e dar um banho de construção de cenários e personagens. Ao mesmo tempo em que sem querer, – ou talvez por querer mesmo – na pele de seus personagens Otávio Bravo nos confronta com a genuinidade do que é viver, de como a vida é bela e dura com todas suas imperfeições, em todas suas fases e momentos.
Confira a trilogia Travessuras da Minha Menina Má:
1. Avant Les Seasons
2. Les Seasons
3. Aprés Les Saisons

rela
ciona
dos