Atenção! A resenha poderá conter spoilers do primeiro volume.Já faz um tempinho que a resenha de Elixir foi ao ar, e desde então eu consegui terminar de ler alguns livros, finalizei e apresentei meu TCC e ainda por cima fiz algumas promessas sobre livros que eu iria resenhar para vocês! Mas um dos livros que eu terminei, e que tinha prometido resenhar, foi a continuação de Elixir, Devoção.
Eu vou fazer de tudo para não soltar nenhum spoiler sobre a história dele, mas infelizmente, ou felizmente, rsrsrs, eu vou ter que contar alguns pequenos detalhes sobre a história para que vocês possam entender o contexto de tudo e compreender, não só o que acontece em Devoção, mas também para que vocês possam entender as minhas opiniões sobre o livro! O final de Elixir foi… Bem, podemos dizer que o final foi uma surpresinha! Devido a acontecimentos que eu prefiro não revelar, para não estragar a surpresa de quem pretende ler o livro, Sage foi capturado por um grupo conhecido por Redentores da Vida Eterna (nome estranho, eu sei!), esse grupo e outro, que eu irei falar mais para frente, foram mais abordados em Devoção, e a gente vai conhecer alguns de seus membros.

Agora Clea se vê perdida mais uma vez. Seu pai está desaparecido e dado por morto, sua mãe continua atolada no trabalho e sua alma gêmea, o amor da sua vida foi capturado e ninguém faz a menor ideia de onde esteja. Clea decide que precisa encontrá-lo, vai fazer de tudo para salva-lo daquele grupo que deveria estar repleto de pessoas com a intenção de protegê-lo, e vai fazer tudo isso sem a ajuda de Ben, seu melhor amigo e… Bom o resto vocês vão descobrir sozinhos!

Como a alma de Clea é ligada a de Sage, ela pode vê-lo em suas fotografias da mesma forma que via quando ainda não o conhecia, como aconteceu no livro anterior. Todos os dias ela tira diversas fotos para ter certeza de que ele ainda está lá, ainda está vivo. Caso ele não apareça nas fotos significa que foi morto, e sua conexão foi perdida para sempre. Se o corpo de Sage for destruído, e se o elixir que corre em suas veias for, de alguma forma, retirado, ele morrerá e sua alma será destruída, o que significa que ele nunca mais voltará para encontrar Clea. Mas devo ressaltar aqui um pequeno detalhe, um elemento que eu não dei a menor atenção durante a história, mas que no final me surpreendeu. Existe uma certa moça que nos contou alguns segredinhos no livro anterior, e um destes segredos pode, digamos assim, acontecer e mudar o destino das coisas!
Por sorte neste livro nós somos apresentados a novos personagens, personagens irritantes como uma tal de Petra, personagens interessantes e reveladores como uma tal de Sloane e ainda conhecemos um fofo e surpreendente moço chamado Nico, além de outros personagens que eu não vou citar para não esticar demais a resenha.
Desta vez a história se divide e é narrada por Clea e por Amélia, outra personagem nova. Amélia é uma das poucas novas personagens que está verdadeiramente do lado de Clea. É Amélia que auxiliará Clea na busca por Sage, e é ela que, indiretamente, fará com que Clea busque a ajuda de Ben, e assim faça com que eles retomem, de forma bem singela, a amizade que tinham.

É essa menininha fofa de 7 anos que liga o caminho de Clea ao do grupo Vingança Maldita (sim, sim, outro grupo estranho!). Esse grupo também está atrás de Sage, mas sua intenção é destruí-lo para sempre por causa de uma maldição que assombra seus membros desde o momento em que Sage tomou o Elixir. E é Amélia que une Clea a esse grupo e que descobre todo o potencial de Ben e permite que ele ajude a salvar Sage.

Em Devoção podemos compreender com mais detalhes a história do Elixir da Vida, e todas as, não riam, vidas que ele afetou. Entendemos os efeitos que esse mesmo Elixir causou, muitos anos antes, quando Sage tomou o elixir, nas pessoas que hoje formam os grupos Vingança Maldita e Redentores da Vida Eterna, também entendemos o que Amélia e sua família sem vergonha tem a ver com tudo o que está acontecendo. É com Devoção que entendemos que as vezes os vilões não são tão cruéis quanto parece, algumas vezes a maldade que eles pretendem realizar é a sua salvação.
Esse livro é muito mais emocionante do que Elixir, ele nos apresenta à diversos pontos de vista e nos insere em ambientes diversificados, histórias escondidas e razões boas e ruins. Ele brinca muito mais com os motivos e sentimentos de cada personagem e liga os pontos que ficaram esquecidos no primeiro livro. O texto, porém, segue o mesmo estilo do primeiro livro, apresentando poucos detalhes e cenas rápidas, descrevendo rapidamente os novos personagens e, mesmo nas cenas e situações mais longas, tudo acontece de forma rápida. Não existe enrolação aqui, não temos tempo a perder, afinal, temos um homem para salvar, rsrsrs.
Acho que os pontos mais fortes desse livro foram a presença da menina Amélia, que é… especial. E o final. Gente, eu não esperava por esse final! Foi tipo:
A história de Devoção compensa muito mais que a do primeiro livro, apesar de ser uma leitura rápida ela te deixa preso no universo criado pelas autoras e te enche de perguntas sobre o que irá acontecer na continuação, e final, desta história! Sinto cheiro de confusão no ar!

  • Devoted
  • Autor: Hilary Duff e Elise Allen
  • Tradução: Otávio Albuquerque
  • Ano: 2013
  • Editora: iD
  • Páginas: 317
  • Amazon

rela
ciona
dos

6 livros com representatividade indígena Men: Novo filme perturbador ganha trailer nacional Adaptações literárias que estreiam em agosto Novo trailer de John Wick e novidades da franquia