Vanessa se mudou recentemente para o interior de Minas Gerais e comparada a sua cidade anterior, nada de muito interessante acontece por lá. Mas as coisas mudam quando Binho, o mentiroso compulsivo da turma, jura que ganhou uma capivara de estimação. É assim que Vanessa, Léo, Nick e Zé Luís se juntam para desmascarar o amigo, mesmo que precisem passar a noite inteira atrás de uma capivara, que eles nem sequer sabem se existe.

O livro todo é narrado nas 12 horas que acontece a história, durante estas horas iremos conhecer cada um desses personagens, os capítulos são apresentados de forma regressiva, conforme vamos avançando na história e cada um dos personagens apresenta um ponto de vista diferente, através deles seremos apresentados ao mundo desses adolescentes, com segredos revelados, romances mal resolvidos, mas também para os conflitos que cada um enfrenta e a busca interminável por um lugar no mundo.

A premissa simples criada por Luisa Geisler apresenta muito mais do que uma aventura entre adolescentes, mas vai explorar este grande eco que é estar numa fase em que tudo em nossas vidas são incertezas. Eu particularmente amo este tipo de premissa e poderia indicar ótimos livros que também trabalham o tema. Mas aqui farei uma breve comparação com um filme em particular que tem tudo a ver com Enfim, Capivaras. Eu não sei se a Luisa se inspirou neste filme, mas eu acredito que todas as nuances interpretativas que existem em O Clube dos Cinco existem neste livro.

Na trama do filme também temos um mentiroso compulsivo, o prodígio pressionado pelos pais e assim por diante. A questão é que em ambas as histórias, os jovens precisam ou tem a oportunidade de refletirem sobre si mesmos e nós leitores, apesar de percebe-los muito diferentes, acabamos entendendo que na realidade, todos dividem dramas pessoais muito parecidos.

Todos compartilham algo em comum: a dificuldade em se encaixarem. Vanessa é a garota nova na cidade, Nick precisa lidar com toda sua confusão existencial, Léo é o garoto privilegiado, mas infeliz e Zé Luís é o filho da empregada apaixonado pela filha da patroa. Todos a sua maneira, formam um grupo desenforme e que juntos cativam o leitor através da identificação, pois cada um se assemelha muito a quem já fomos um dia.

Nick e Vanessa acabaram sendo as personagens que mais cativaram a minha atenção. A um “Q” de sororidade na relação de amizade entre as duas garotas, mas Nick se destaca por toda a questão sexual que a envolve e isso acaba sendo um presente para o jovem leitor.

Sem dar spoiler, Enfim, Capivaras deixa em aberto “o que vem depois”. Como acompanhamos nossos personagens apenas por 12 horas desse dia peculiar, é impossível não imaginar ou querer saber o que estes adolescentes tiraram desta aventura, onde todos tiveram a oportunidade de se enxergarem um no outro. Então se vocês curtem esta premissa eu tenho certeza de que esta será uma leitura proveitosa.

Para concluir, li este livro no final de 2019, dias antes da autora Luisa Geisler ter seu convite retirado da programação da Feira do Livro de Nova Hartz, um município do RS. A justificativa fora que Enfim, Capivaras possuía um linguajar inadequado e por incentivar jovens e adolescentes a fazer “coisas” que todo adolescente já fez ou disse nesta fase. Após saber do que se trata o livro, enxergo esta atitude como uma tentativa de menosprezar a inteligência do público jovem. Querer afastar dos jovens livros que questionam, e principalmente, que realmente retratam a realidade do dia a dia de um adolescente é um tipo de censura.

É uma pena que este tipo de coisa aconteça ainda em 2019, então, se vocês querem ir contra isso e descobrir os motivos por trás desta censura, indico que leiam e apoiem uma autora nacional!

  • Enfim, Capivaras
  • Autor: Luisa Geisler
  • Ano: 2019
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 176
  • Amazon

rela
ciona
dos

Men: Novo filme perturbador ganha trailer nacional Adaptações literárias que estreiam em agosto Novo trailer de John Wick e novidades da franquia Novidades sobre Halloween Ends, último filme da franquia