Helen e Otávio são residentes de um internato de elite e através das vivências de nossos dois protagonistas iremos perceber que a boa vida desses jovens é apenas uma fachada, indispensável para ocultar a sujeira do mundo em que pertencem. Em meio a tudo isso eles ainda precisam lidar com seus próprios fantasmas, traumas e vícios.

Nana Lees, autora de Heroína, este jovem adulto pesado e perturbador, mas extremamente necessário, resume bem a problemática que a maioria desses jovens enfrentarão ao longo do livro. Todo mundo precisa de ajuda. E é aos poucos que iremos adentrar neste mundo obscuro e descobrir quais as lutas que cada jovem está enfrentando.

Helen é herdeira de um grande líder no negócio de armas, porém ela odeia tudo isso. Ao ponto de renegar o nome da própria família. Além disso, é uma jovem que sofre de ansiedade e que não consegue achar um caminho correto a seguir, quando tem a sua mercê todo um império que a banca. Ela até tenta manter as aparências e se mostrar indiferente a tudo e a todos, mas quando uma pessoa que ela ama precisa muito da sua ajuda, ela terá que deixar esta máscara de lado e utilizar o que for preciso para ter este caminho facilitado.

Nem que para isso ela precise voltar a falar com Otávio Lichere, herdeiro de um dos maiores traficantes da elite do país. Helen e Otávio tiveram um passado e é para este universo cheio de segredos sujos e podridão que estamos prestes a mergulhar.

Antes de qualquer coisa, é importante salientar que essa é uma história que abordará temas pesados e que poderão desencadear certos gatilhos. Então se você é uma pessoa mais sensível a temas como estupro, violência e suicídio, talvez este não seja o tipo de leitura ideal para você. Além disso, teremos os personagens falando abertamente sobre drogas e sexo, ok?

A escrita de Nana é ótima, com uma precisão na narrativa e regada a sentimentos, somos envolvidos pela história de uma forma única, ao ponto que entendemos na pele o que cada personagem de fato está sentindo. A leitura de Heroína foi uma experiência avassaladora, cheia de nuances agridoces. Chegou a ser angustiante devido a onda de problemas que cada jovem, com tão pouca idade (mas tão vividos) precisam enfrentar. O que mais me agrada neste livro, é o fato da autora imprimir nestas páginas os diversos problemas psicológicos que cada jovem enfrenta e o quanto a sociedade insiste em virar as costas para eles.

Em meio aos temas pesados inclusos no dia a dia escolar, Heroína trará histórias sobre amadurecimento, resiliência, cura e perdão. Aos poucos seremos puxados para a montanha russa de sentimentos vividos por estes jovens, envoltos a um antro de falsidade e de interesses. Eu amei o modo como Nana explora muito bem cada personagem, qual seu papel e peso na história. Nenhum personagem está ali só por estar e é incrível descobrir como cada vida se enlaça a outra, revelando segredos e mais segredos.

A história de Nana também também revela um leque de representatividade, mas não porque é uma história focada apenas nisso, mas sim por que as pessoas são o que são e estão vivendo as suas vidas. Helen é uma personagem considerada fora dos padrões e sofre bullying com isso dentro do internato, por ser exatamente uma pessoa que não se “encaixa” dentro dos padrões que se espera dos jovens no meio em que vivem. Questões sobre sexualidade e preconceito também serão abordados neste universo. E é aqui veremos como esta sociedade engessada pode ser preconceituosa e cruel com aqueles que pensam e agem de forma diferente.

O relacionamento de Helen e Otávio me prendeu de uma maneira única, mas falar muito sobre eles juntos talvez seja entregar muito do que descobriremos ao longo das páginas, mas eu amei o fato de que a autora não precisou pegar pesado em cenas apelativas simplesmente pra deixar óbvio a química entre os dois. Juntos os dois funcionam melhor, se entregam totalmente a vida e encontram um no outro o porto que tanto precisam. Acho que a ajuda mutua que este relacionamento proporciona é o que mais me cativou e o que me fez torcer por cada um.

E apesar de sofrerem com problemas muito diferentes, eles se encontram em posições iguais dentro da histórias, peões dentro de um mundo em que não concordam viver, custeado com vidas e muito dinheiro. Otávio inclusive foi um personagem que me trouxe pra lá e pra cá! Somos embalados por cada revelação envolvendo a sua vida e cada descoberta é um choque, então aquele jovem problemático e de escola rica, passa a ganhar a empatia do autor, ao ponto que por muitas vezes desejei pegar ele no colo e proteger ele de tudo e de todos.

Heroína tem cerca de 800 páginas e é um livro muito gostoso de acompanhar, mas acredito que um público mais geral possa estranhar o enredo mais longo, que pode parecer cansativos por algumas partes, mesmo assim, esta é uma história que sempre há algo acontecendo e como estamos falando de jovens dentro do mundo adulto, com todas as sujeiras que você possa imaginar, teremos muitas sequências de ação. Inclusive, posso até citar que o livro ganha um tom mais investigativo no decorrer das páginas.

Heroína é um retrato cruel que te leva a reflexão sobre toda a podridão do ser humano. Abordará os temas que já mencionei, como também depressão, luto, aceitação e as diferentes formas que as pessoas se refugiam nas drogas. Os personagens são viscerais, palpáveis e tudo que você irá encontrar aqui dentro é passível de identificação, sabem? É um livro foda, que te chacoalha e que te prova que para o outro, a luta também pode ser diária, seja por monstros reais ou pelos os que vivem escondidos dentro de nós mesmos.

Heroína está disponível gratuitamente através do Kindle Unlimited

Ao final minha cabeça explodiu quando enxerguei o sentido do título da obra, algo que desconfiei durante a leitura, mas acabei deixando de lado. Enfim, adorei demais! Parabéns Nana por ter se entregado tanto para esta história e saber utilizar cada palavra com uma precisão incrível! Você consegue emocionar e chocar na mesma medida e ainda fazer poesia com tudo isso. Se você curte livros como a série Amores Improváveis, alguns da Colleen Hoover e até Elite que já virou série na Netflix, este é o livro pra você.


Resenha em vídeo

  • Heroína
  • Autor: Nana Lees
  • Tradução: -
  • Ano: 2019
  • Editora: Independente
  • Páginas: 805
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros para ler neste Halloween 4 livros que falam sobre relacionamentos abusivos