A Guerra Civil Espanhola foi um confronto entre as forças nacionalistas fascistas e comunistas que queriam tomar o poder do Chile na década de 1930. Durante três anos, de 1936 a 1939, início da Segunda Guerra Mundial, o povo Espanhol viveu momentos difíceis e tensos. Para fugir desse conflito, mais de 2 mil espanhóis tiveram ajuda do governo Chileno e do poeta Pablo Neruda, para embarcar em um navio e receber abrigo no Chile.

É com base nesse fundo histórico que Isabel Allende narra a jornada do protagonista, o médico Víctor Dalmau, que também tem inspiração na vida real. O engenheiro e jornalista Víctor Pey fez parte do grupo de espanhóis que foram escolhidos por Pablo Neruda para embarcar no navio Winnipeg rumo ao Chile. Ele acabou se tornando amigo do poeta e da família Allende. Foi com base em seus relatos que a autora construiu a narrativa.

Aquele dia de verão, 4 de agosto de 1939, em Bordeaux, ficaria para sempre na memória de Víctor Dalmau, Roser Bruguera e outros dois mil e tantos espanhóis que partiam para aquele país comprido da América do Sul, agarrado às montanhas ara não cair no mar, sobre o qual nada sabiam.

Esse é meu segundo contato com Isabel Allende. Eu reparei nas duas leituras que fiz que a autora gosta de inserir elementos históricos em suas tramas, o que é muito legal, pois aprendi muita coisa nas duas leituras. Com o início centrado na Guerra Civil Espanhola, a autora vai mostrar 10 anos da vida dos protagonistas, Vitor Dalmau e Roser Bruguera.

Vitor Dalmau é um jovem médico no Exército Republicano. Roser é uma jovem pianista, aluna de Marcel Lluíz Dalmau, que passa a fazer parte da família Dalmau depois de um tempo. Ela acaba se apaixonando por Guillen Dalmau, irmão de Vitor, que morre em decorrência da guerra. Com o avanço da guerra, a cidade é tomada pelo terror, com isso Vitor pede ajuda a seu amigo Aitor Ibarra para que ele a mãe e Roser, agora grávida de seu falecido irmão, irem em direção a França, local para onde milhares de refugiados estavam se dirigindo. Com isso, começa a luta de Vitor e Roser, que com confiança e amizade, serão o pilar um do outro em um contexto de guerra e exílio.

Por mostrar um período muito grande da vida de Roser e Vitor, eu achei a narrativa resumida e corrida em muitos momentos. Como o livro está dividido em três partes: Guerra e êxodo; Exílio, amores e desencontros; e Retornos e raízes, e cada uma delas apresenta um período significativo da vida dos personagens, muita coisa acontece em poucas páginas. Contudo Isabel Allende não deixa nenhuma informação faltar, fica bem claro tudo que está acontecendo.

Na primeira parte conhecemos a família Dalmau melhor. A autora mostra um panorama de cada integrante da família, inclusive explora muito bem a vida de Roser até o momento de ela chegar a família. É aqui que compreendemos o contexto da guerra e vemos a primeira parte da jornada, chegar na França. Essa foi minha parte favorita. A segunda parte é focada na travessia feita da França até o porto de Valparaíso, no Chile, e os primeiros anos longe da terra natal. O Navio Winnipeg, era uma espécie de cargueiro com no máximo 100 passageiros. Com mudanças, os mais de 2 mil espanhóis foram acomodados na embarcação. Essa parte mostra como o trajeto foi difícil e como a chegada e adaptação em um novo país é complexa e cheia de inseguranças. Já a terceira parte vai abordar aspectos envolvendo a volta a Espanha (isso não é spoiler, pois está na sinopse do livro) e em como essa volta também é cheia de inseguranças.

A ideia de Isabel Allende com o livro, além de celebrar os 80 anos desse momento, foi trazer à tona um assunto que ainda é muito presente, os refugiados. Dona de uma fundação na fronteira do México, ela vê diariamente como os migrantes passam por situações terríveis e desumanas, esperando conseguir asilo. A autora trabalha muito bem isso, quando Vitor e Roser chegam no Chile, mas eu gostei muito de ver o modo sutil e bonito que ela trabalhou a vida deles no país.

Também gostei muito do modo como a autora apresenta os personagens. Mesmo com a narrativa mais acelerada em alguns momentos, conseguimos ver como os dois personagens principais são queridos, preocupados e atenciosos um com o outro. Durante esse recorte de 10 anos da vida deles, várias pessoas passam e são importantes em suas vidas. Isabel Allende apresenta esses personagens de forma simples e marcante, ela realmente sabe como criar interações significativas para a história.

Com uma história grandiosa fora e dentro do livro, Longa Pétala de Mar mostra um momento importante na história. Para quem gosta de temas envolvendo a imigração e inspirados em acontecimentos reais, este livro é uma bela representação da realidade.

  • Largo pétalo de mar
  • Autor: Isabel Allende
  • Tradução: Ivone Benedetti
  • Ano: 2019
  • Editora: Bertrand Brasil
  • Páginas: 280
  • Amazon

rela
ciona
dos

Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário” Junji Ito anuncia série de terror pela Netflix Lançamentos de livros que chegarão as livrarias em breve