Após o final do livro Renegados, a vida segue em frente para os heróis, enquanto os vilões anarquistas se preparam para uma investida.

Arqui-inimigos já começa em meio à uma luta e perseguição com Adrian e sua equipe: Ruby, Oscar, Danna e Nova. Apenas um dia normal do dia a dia deles. Nosso protagonista Adrian continua, às escondidas, sendo o herói Sentinela e Nova tenta buscar uma maneira de pegar o capacete de vilão Ace que está na sede dos Renegados. Com Nova tendo ganho a confiança dos Renegados, ela acaba pegando uma nova função da sede onde pode chegar pertinho dos artefatos que os Renegados coletaram/coletam ao longo do tempo e é lá que o capacete está.

Porém, as coisas se complicam para os dois protagonistas, pois foi inventado um soro que tira os poderes dos prodígios. Uma arma assim, pode mudar toda a dinâmica da sociedade: aqueles que forem prodígios e infligirem a lei podem ter seus poderes retirados. Mas quem decide quem merece ou não ter os poderes retirados? Nas mãos erradas, alguns Renegados que não cumprem a própria lei podem causar mais estragos do que fazer o bem.

“E quando eles… e quando nós tivermos o poder total, o que vai nos impedir de nos tornamos vilões?”

Essa ambiguidade que existe nos protagonistas Nova e Adrian é algo muito interessante de se acompanhar. Por Adrian não seguir as regras dos Renegados quando está de Sentinela, ele sabe que está do lado do “mal”, mesmo que isso acabe ajudando muitas pessoas. Nova também tem essa parcela de consciência quando ela quer vingança pelo que aconteceu com seus pais ao mesmo tempo que sabe que há Renegados que fazem o bem. Com isso, esses dois personagens se completam de maneiras incríveis, mesmo que nenhum deles saibam os segredos do outro. Além dos protagonistas, os personagens secundários dão as caras nesse livro e a autora continua dando espaço para eles relatarem um pouco da própria história.

E que final de livro bombástico! Renegados terminou com revelações surpreendentes e agora Arqui-Inimigos termina em um momento dramático e super tenso! Fiquei com o coração na mão pelo modo como esse livro terminou e estou muito ansiosa para descobrir o que vem a seguir.

Apesar de ter gostado desse final, Arqui-Inimigos foi uma leitura gangorra com seus altos e baixos: alguns momentos as coisas caminhavam de maneira interessante e em outras andavam lentas demais. Mas para compensar, a leitura foi melhorando com o tempo até culminar nessa parte final dramática que falei. Confesso que estou morrendo de medo do que virá no terceiro livro que se chama Supernova. Há tantos segredos e eles estão tão próximos de serem revelados que não sei se quando tudo explodir irá, sobrar amizade/amor para cultivar.

Agora é o momento de aguardar o lançamento de Supernova, onde acredito que a autora Marissa Meyer conseguirá manter um ritmo melhor na narrativa por conta do conflito gigantesco que virá. Espero não me decepcionar! Ah! Não posso esquecer de comentar que um fato muito curioso acontece nesse livro em relação ao poder de Adrian e espero muito que a autora explique essa parte no próximo livro. “Não parecia perigoso. Nem parecia ameaçador. Só parecia que estava esperando por ela.”

Ah! Não posso esquecer de comentar que um fato muito curioso acontece nesse livro em relação ao poder de Adrian e espero muito que a autora explique essa parte no próximo livro.

  • Archenemies
  • Autor: Marissa Meyer
  • Tradução: Regiane Winarski
  • Ano: 2021
  • Editora: Rocco
  • Páginas: 432
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023