Em Heartstopper – Vol 1, Charlie Spring sempre foi um rapaz tímido e inseguro, mas sempre se dedicando aos estudos. Por ter se assumido gay, o bullying que recebeu acabou por fazê-lo ter medo de se abrir para as pessoas. Charlie vive um relacionamento escondido, e bastante tóxico, e isso só faz com que as inseguranças deles sejam ainda maiores, principalmente pela outra parte não fazer questão de se assumir e fazer Charlie se sentir como se fosse um segredo sujo. Mas as coisas acabam mudando quando Nick Nelson acaba se aproximando dele.

Não estou com raiva disso! Estou com raiva porque você nunca deu a mínima pros os meus sentimentos. A gente só se pega quando você quer, onde você quer… Quando está a fim de dar uns beijos em um cara!

Nick é um jogador de rúgbi popular na escola. Muito gentil e amigável, Nick acaba por se aproximar de Charlie por eles sentarem juntos na mesma aula. Uma amizade acaba surgindo entre eles e Nick até mesmo convida Charlie para jogar no time de rúgbi. Com o tempo, Charlie acaba criando sentimentos por Nick, mas tem um problema: Nick é heterossexual.

Após o final dramático do primeiro volume, que não falarei para não dar spoiler, em Heartstopper – Vol 2, temos um Nick descobrindo sobre si mesmo. Ele está bastante confuso, pois passou a vida toda acreditando ser hetero, mas quando Charlie surgiu em sua vida, ele acabou por se questionar: será mesmo que eu sou hetero ou eu sou gay? Dispostos a se descobrir mais, Nick se abre para os sentimentos que tem por Charlie, mas os dois deixam o relacionamento escondido até que Nick esteja pronto para se revelar para todos. Ele quer se entender primeiro, se encontrar.Ver a interação entre Charlie e Nick é simplesmente incrível! Nesses dois volumes, vemos dois personagens que encantam muito o leitor. Cada um deles tem sua contribuição para a história. E não só eles como também os personagens secundários, pois todos fazem a dinâmica da história fluir muito bem.

Foi gostoso acompanhar Heartstopper, essa história fofa e doce na medida certa. O traço da Alice Oseman faz toda a diferença e deixa os protagonistas mais carismáticos do que já são. A autora dá um pequeno toque a mais durante a leitura com as pequenas folhas desenhadas. Dá um ar de que o tempo vai passando e ainda fica bem romântico. Combina muito com a história!

É incrível como uma história em quadrinho consegue trazer tantos sentimentos. Heartstopper, que além de trazer a temática óbvia LGBTQIA+, fala sobre bullying, homofobia, as descobertas do primeiro amor e a auto aceitação, independente do gênero. Recomendo muito essa história e espero de verdade que vocês possam curtir acompanhar Charlie e Nick em suas jornadas.Ah! Heartstopper virará série da Netflix! Estou muito empolgada para ver esses dois juntos. Tenho certeza que será sucesso! E se vale como curiosidade: Acabei descobrindo que o Charlie é irmão de uma personagem (Tori) de um outro livro da autora, o Um Ano Solitário lançado pela Rocco. Já estou de olho nesse livro e espero gostar de acompanhar a história de Tori. Há outras publicações da autora por aqui também, como: Rádio Londres e Sem Amor.

  • Heartstopper
  • Autor: Alice Oseman
  • Tradução: Guilherme Miranda
  • Ano: 2021
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 288
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de ficção mais vendido de 2021 Lançamentos de livros previstos para fevereiro Um livro para cada fase da lua Os melhores quadrinhos de 2021