Resenha: Caçador em Fuga

Título Original: Hunter's Run
Autores: George R.R. Martin, Daniel Abraham, Gardner Dozois
Ano: 2017
Editora: Leya
Páginas: 304
Amazon - Saraiva

Mais um livro de George R.R. Martin, desta vez em parceria com outros dois escritores de ficção cientifica, premiados nos Estados Unidos, mas que eu ainda não conhecia, Gardner Dozois e Daniel Abraham.  O primeiro inclusive já fez um livro em parceria com Martin, O Príncipe de Westeros, que foi um sucesso de vendas por aqui e que eu adorei.

A ideia do livro se iniciou em 1976 com um projeto de Dozois, sobre um homem que se veria em um lugar incomum e aterrorizante para ele. George Martin ficou sabendo da história se interessou muito pela narrativa, então, em 1981, criou todo o cenário que envolve a obra, mas desistiu e devolveu-a para Dozois, que somente em 2002 decidiu passar para Daniel Abraham finalizar livro, lançando oficialmente em 2008. Caçador em Fuga é um livro realmente escrito a 6 mãos e durante 30 anos.
                     
Caçador em Fuga é um livro sobre ficção futurista no espaço e que trata da história de Rámon Espejo, um sul-americano que vive no planeta São Paulo, lugar já colonizado por humanos e que convivem servindo aos extraterrestres e ajudando-os na exploração de novos planetas. Espejo logo se envolve em uma enorme confusão em um bar, assassinando alguém muito importante da região, passando assim a ser perseguido por toda polícia e autoridades do condado. Ele se vê obrigado a ir para as florestas mais distantes do planeta, onde encontra de tudo e acaba capturado por uma nave alienígena, ali ele é obrigado pelos membros da raça a ir atrás de outro humano fugitivo. É nesse cenário que a aventura se desenrola.

"Ele tinha deixado de se ser um nada na terra para ser um nada na colônia."



Muitas partes do livro apresentam indícios de uma obra dos anos 80, principalmente quando envolvem medos e incertezas da população daquela época no seu mote principal. Um exemplo disso é a escravização dos humanos pelos extraterrestres, que o mundo recém começava a se familiarizar e o medo do personagem principal de encontrar um misterioso ser em algum momento, o chupacabra, o que hoje em dia já parece mais lenda do que se tivesse atingido o público naquela época.

"Ali, no terreno fofo, viu pegadas frescas com quase dois palmos de largura. Uma pata de quatro dedos com marcas profundas de garras. De chupacabra. Em algum lugar, por ali, estava uma porra de um chupacabra."

George Martin já mostrou em suas obras a capacidade que tem em criar cenários fictícios, sejam eles na terra ou no espaço. São Paulo, onde a história acontece, é totalmente criado por ele. Os escritores tiveram muito cuidado em descreve-lo de forma minuciosa, passando ao leitor uma visão explicita do que está presente na fauna e na flora do lugar. Aqui vale ressaltar que durante a maior parte do tempo de criação, de 76, quando Dozois inicia o processo, passando por 81 quando Martin começa a mexer nele, pouco se sabia sobre outros planetas. Não existia internet e a globalização da astronomia era muito menor que hoje em dia, deixando o projeto de criação muito mais duro e o resultado, pesando esses poréns, muito mais fantástico. 

Durante a leitura você nota algumas semelhanças com o que vê na TV em Game of Thrones, é impossível não associar uma coisa à outra. Para mim muito da paisagem e das roupas descritas, principalmente as dos humanos, remetem diretamente a imagens da série, que talvez até passassem pela cabeça do autor enquanto criava São Paulo para este livro. 

"Por que conseguiria matar um homem cuja morte não lhe traria benefício algum, mas não conseguia acabar com o homem cuja morte lhe traria o mundo? Quando a própria vida dependia disso?"

Isso me causou um grande problema e vai o meu senão sobre o livro. Na minha opinião ele é muito mais visual do que o seu conceito descritivo, você até consegue imaginar o que os autores descrevem, porém seria muito melhor se você pudesse ver imagens para comprovar o que é dito. Sem contar que diversos detalhes apresentados no texto são extremamente irrelevantes e cansativos para o contexto e provavelmente mesmo em uma série de TV, muitos dos detalhes apresentados no livro passariam batido.


Martin tem um enorme potencial em produzir coisas para a TV e acho que Caçador em Fuga poderia ser um episódio de uma série ou até mesmo um filme de sucesso, mas como livro, não me pegou completamente. Achei que faltou enredo, o livro não apresenta nenhum grande mistério a ser solucionado e em nenhum momento tem aquele ápice de tensão ou suspense, você apenas acompanha a leitura do começo ao fim, sem se emocionar nem se aterrorizar. Em nenhum momento estive preso pelo livro ou me senti parte dele. As poucas partes de terror se devem à descrição ótima das cenas de ação e assassinatos. 

Eu gosto mais de livros de terror e suspense e talvez por isso não tenha me identificado tanto com o enredo, mas a impressão que ele me deixa é essa, seria um ótimo filme e muito bem estruturado para isso, porém de modo geral faltou emoção, faltou um algo a mais para me prender ao livro.

Não poderia deixar de falar sobre a edição do livro, a Leya fez uma capa simplesmente maravilhosa, a capa, contracapa e lombada do livro se unem em uma única imagem, transportando o leitor para dentro do cenário criado antes mesmo de abrir o livro. Quando você abre, encontra o mapa do planeta com os locais citados durante a leitura destacados, o que torna a experiência muito mais interessante e faz você entender exatamente o caminho que Espejo faz durante sua aventura. Nota mil para a editora, precisamos de mais trabalhos dessa qualidade por aqui.

32 comentários

  1. A sinopse é realmente instigante!
    Já vi várias resenhas do livro e todas falaram que não se identificaram muito!
    Parece que a leitura é um pouco cansativa demais, eu amo fantasia, porém não seu se leria.
    Gosto bastante de narração, entretanto gosto quando é bem escrito e não muito longo porque cansa demais.

    ResponderExcluir
  2. É, ele não arrebata como livro. Arrisco dizer que eles queriam fazer um filme disso quando começaram a pensar nos anos 70, aí desistiram é pra não perder o roteiro fizeram o livro.

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nenhum dos livros do George Martin, mais claro tudo que leio sobre seus livros são coisas positivas ~mesmo seu probleminha em matar geral!
    Como assim durante 30 anos! MDS
    Depois de ler sua resenha posso dizer que é um livro a menos na minha lista, porque um bom livro sem um bom suspense não dar certo né...Quem sabe mais pra frente ele não vire uma série né, porque gente como você mesmo disse "Martin" em um enorme potencial em produzir coisas para a tv.
    ~Game of Thrones AMO MUITO! ~ <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... Os livros do Game of Thrones são muito bons por exemplo, mas também tem diversas coisinhas bem chatas neles, que em uma série de tv não se sente, e talvez fiquem muito melhores na tv. Acho que seria o caso deste.

      Excluir
  4. Olá Bruno ;)
    Não conhecia o livro ainda, mas sempre quis ler Game of Thrones, mas não gosto muito de ficção científica :/
    É interessante que a ideia do livro surgiu há anos, se iniciando em 1976, e que só tenha se concretizada anos depois.
    Parece mesmo que a história seria melhor como um filme ou uma série, concordo com sua crítica. E também gosto mais de livros de terror e suspense, por isso acho que Caçador em Fuga não me agradaria tanto.
    Mas valeu a indicação, e boa resenha.
    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      É, uma pena o livro não ter me pegado mesmo.

      Excluir
  5. Oi Bruno, joia? Já havia visto uma resenha deste livro e não me interessei muito, tanto pela sinopse quanto pelo fato de estar embirrada com o R. R. Martin por não publicar logo Os Ventos do Inverno... hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha, esse R.R. é mesmo um preguiçoso.

      Excluir
  6. Gosto muito de livros de ficção cientifica, e fiquei ainda mais curiosa para conferir a história deste livro, após ler que foi escrito por George R.R. Martin e mais dois autores, uma pena você não ter gostado muito da história do livro, eu pretendo ler Caçador em Fuga futuramente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, ele não vai muito ao encontro do que eu mais gosto de ler, talvez esse tenha sido o problema. Leia e depois vem aqui comentar novamente, dizendo a sua opinião sobre ele, estou curioso pra achar alguém que goste dele.

      Excluir
  7. Confesso que o livro não me chamou muito a atenção não. Não fiquei muito feliz por saber que o livro tem muita com Game of Thrones. Eu amo a série, mas até hoje não tive coragem de ler os liros :P
    Mas acho que se fosse um filme ou uma série, eu também assistiria...

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os livros de R.R. são bem fora do comum, talvez por isso ele seja tão aclamado, a divisão dos capítulos dos livros de Game of Thrones são muito incríveis, por exemplo.

      Excluir
  8. Eu acho que eu não iria gostar muito desse livro. A história dele não me interessou muito. E saber que faltou enredo e que o livro não tem muito mistério, não me animou nem um pouco. Eu já li Game of Thrones e assisto a série, e gosto muito dos dois. Mas não sei se iria gostar de um livro que tem tanta semelhança assim com a série. Então esse eu passo =/
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não tem semelhança com a série, o que dá pra notar é o estilo de escrita parecida com o da série, por ser o mesmo autor.

      Excluir
  9. Olá.
    Ainda não li nada do autor, mas tenho muita vontade. Assisto a série e tenho os livros de Game Of Thrones, mas ainda não comecei a fazer a leitura.
    Caçador em Fuga, me chamou a atenção pela capa e título, mas não sei se um dia irei ler.
    Excelente resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      É um livro rápido de se ler e que mostra pouco do RR Martin, não mostra muito como ele escreve porque mais 2 escrevem junto com ele.

      Excluir
  10. Oi, Bruno!!
    Como não li nenhum dos livros do autor não tem como comparar com esse livro. Achei bem legal a estória a capa que ficou linda, sem duvida adoraria ler essa estória.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, talvez sua percepção da obra seja diferente da minha e valha a pena.

      Excluir
  11. Oi.
    Eu sempre tive muita curiosidade em conhecer a despesa de ser autor porém ainda não tive a oportunidade achei a premissa do livro bem interessante principalmente porque adoro o Game of Thrones a série Estou louca para começar a ler os livros e tenho certeza que irei adorar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai adorar mesmo, leia, depois passa aqui pra deixar sua opinião sobre eles.

      Excluir
  12. Olá Bruno,
    Quando li Game of Thrones demorei um bom tempo para conseguir pegar gosto pela leitura, porque autor acrescenta tenta coisas que deixa leitor um pouco confuso.
    Não sei se leria caçador em fuga, gosto de um bom terror e parece que no livro não rolou muito né
    Mas uma pena que a leitura não tenha sido tão prazerosa para ti.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tive essas dificuldades para ler GOT, ele troca muito de época de uma hora pra outra e de personagem, não segue o plano empregado na televisão, aliás, GOT sentou perfeitamente para TV.

      Não vejo Caçador em Fuga como um possível sucessor de GOT, mas sem dúvida também ficaria melhor na tela do que foi nas páginas, também prefiro um bom terror, e não sei se darei outra chance pra R.R. Martin no futuro.

      Excluir
  13. Admito que não me sinto atraída pela leitura dos livros deste autor, e possível perceber que a trama e muito bem descrita, no entanto tornando-a cansativa, e pelo fato de não ter costume de ler nada do gênero isto me deixa ainda mais desanimada. Mas claro que vejo muitos elogios positivos a respeito desta obra, porém deixo passar com toda sinceridade, pois sei que não irei me cativar com está trama.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, a atração que R.R. Martin causa está mais ligada a Game Of Thrones do que à experiências anteriores com livros dele. Realmente deixa um pouco a desejar.
      Mas a edição toda do livro, os mapas, a imersão feita em suas páginas o torna um pouco melhor.

      Excluir
  14. Tentei entrar na onda de Game of Thrones em 2012 e comecei pelo livro, porque sempre quero ler os livros antes de assistir à adaptações. Li as primeiras 120 páginas 3 vezes e desisti!
    Acabei não assistindo a série e não me empolgando com mais nada do autor...
    Quem sabe um dia! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, acredito que se empolgaria muito mais com a série do que se empolgou com os livros, eles tem algumas falhas e principalmente são extremamente cansativos e confusos, deixando qualquer leitor decepcionado e louco.

      Excluir
  15. É até interessante humanos servindo extraterrestres gosto de historias com eles, mas pelo visto deixa a desejar, pra mim teria que ter mais ação e reviravoltas, sem falar no mistério que valorizo muito em uma obra, confesso que não me despertou interesse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, concordo plenamente com você.

      Excluir
  16. Oi Bruno,
    Nossa, minha história com GoT é longa, desde o inicio da série que tento ler o primeiro volume, mas fiquei perdida com tantos personagens e, as vezes, ficava me perguntando quem era quem mesmo. Hoje, já mais inserida no mundo de GoT, voltei a ler o primeiro e - finalmente - estou prestes a terminar! E, o mais importante, estou pegando um gosto por essa leitura, tenho amado, as vezes me obrigo a largar o livro para fazer as coisas que tenho de fazer hahahaah Acho que cada leitura deve ter seu momento mesmo.
    Nunca li um livro de ficção científica, mas como é do Martin e, como vc disse, há semelhanças com a escrita de GoT, acho que darei uma chance e já tem o bônus de ter menos páginas que a série, menos um calhamaço para ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senti a mesma coisa lendo GOT, existe uma diferença entre o livro ser complicado e, na minha opinião, mal construído, e ele ser ruim, o livro é ótimo, talvez melhor que a série, mas muito chato e complicado de ler, realmente quem já está inserido na história por assistir à série tem uma facilidade maior, mas ainda assim é complicado.

      Isso, de uma chance ao livro, não acho que é a melhor leitura para conhecer ficção cientifica, mas vale a pena.

      Passe aqui depois para dizer o que achou.

      Excluir
  17. Oi Bruno,
    Sou louca para ler As Crônicas de Gelo e Fogo há anos! Que muito conhecer a escrita do aclamado George R. R. Martin. Quanto a esse livro, vou deixar passar por enquanto essa leitura, já vi muitos comentários dizendo que a trama não é bem desenvolvida. No geral gostei da trama, é bem inovadora, mas não sei não se vou chegar a ler, senti que faltou algo para me despertar o interesse - a pitada de suspense que prende o leitor e o deixa ansioso para ler o livro logo.
    Essa curiosidade de levar 30 anos para o livro ficar pronto é chocante. Os caras levam três décadas para escrever e ainda deixam um final aberto, sem desfecho e sem dicas de que terá uma continuação. Que situação kkkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Bruno!
    Soube que esse livro demorou 30 anos para ser escrito! Imagina...
    Gosto de ficção, mas não quando tem final aberto, mesmo sendo do George Martin...
    Bom ver que as outras raças são mais dominantes do que os terráqueos, adoro livros com alienígenas.
    Interessante que aqui nós é que fomos dominados por outras raças, fantástico.
    O protagonista perde a memória e é feito prisioneiro, gostei.
    Nossa! Ramon será a isca para capturar outros humanos, engenhoso.
    Pelo jeito vai ter ação e mistério.
    Gostaria de ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir