Resenha: O Menino Múltiplo

Título Original: L'enfant Multiple
Autora: Andrée Chedid
Ano: 2017
Editora: Martin Claret
Páginas: 265
Amazon - Saraiva

Em O Menino Múltiplo se prepare para embarcar nas páginas de um livro que, como um carrossel, te levará para dar algumas voltas. Escrito pela romancista Andrée Chedid de origem libanesa, em 1989, a Martin Claret é primeira editora brasileira que a trazer um dos trabalhos dela para o nosso país.

A história começa em Paris com Maxime, que aos 40 e poucos anos decide administrar um Corrossel. A inspiração veio da sua infância com o Tio Léonard, um homem considerado excêntrico entre seus familiares tão "normais". Obviamente, Maxime foi muito criticado por sua família pelo investimento. O pior é que, de fato, a família dele podia estar certa e depois de cinco anos, talvez ele tivesse que abandonar essa ideia absurda. 

Outro personagem da história é Omar-Jo, um menino de onze anos, que é obrigado a sair da sua terra natal após um grave incidente na Guerra do Líbano (1987). Apesar das cicatrizes físicas e emocionais que Omar-Jo carregava, ele é menino cheio de esperança e dons artísticos que, assim como Maxime, teve influências de uma figura mais velha em sua família, no seu caso, o avô Joseph.

"-Maxime é um poeta! Quem além de um poeta teria deixado tudo para trás pra comprar um Carrossel? Quem mais teria escolhido, como companheiro um palhaço, um estranho, um estropiado como eu?"


Será nas voltas desse Corrossel e da história, que traz um pouco do passado e do presente dos personagens, que Maxime e Omar-Jo irão se encontrar. Juntos eles vão preencher o que estava faltando em suas vidas, de como de certa forma um ajuda o outro em suas novas condições. Um livro que na própria capa resume bem: "alteridade, amor e tolerância fazem parte do enredo poético". O Menino Múltiplo é uma história linda, que em alguns momentos é bem triste, mas também muito real. 

Adorei a ordem em que a história foi contada, onde a vida dos personagens são destrinchadas aos poucos. Conhecemos a história de cada um na mesma velocidade que os personagens se conhecem. Adorei como o Omar-Jo traz Maxime de volta para os seus sonhos e destrói suas armaduras de homem revoltado com a vida. E apesar da história seguir em um ritmo um pouco lento em algumas partes, Andrée Chidid, as vezes, nos pega de jeito numa reviravolta. Aliás, o final do livro é lindo e de chorar! 

As histórias da Andrée Chidid são estudadas por alguns linguistas e tradutores brasileiros. Por isso, a editora colocou duas introduções de estudiosas sobre a obra do O Menino Múltiplo. Uma delas é a tradutora Carla Renard. Confesso que isso me intimidou um pouco e muitas coisas eu não entendi, porque como esses "artigos" vêm antes da história, você não tem muita noção do que ele está falando. Sem contar os termos mais "rebuscados" que envolvem o universos das pesquisadoras. E a história em si da Andrée Chidid não é tão complicada. Pelo contrário, ela tem suas técnicas e desenvolve um história que envolve muito sobre culturas diferentes e talvez seja necessário para algumas pessoas a contextualização histórica, mas não é algo difícil de chegar numa conclusão sozinho.



Eu entendi a intenção da editora em valorizar ainda mais o fato desse ser o primeiro livro da autora no Brasil, explicando porque depois de quase 20 anos essa história ainda tem a sua importância. Mas eu colocaria isso no final, depois da história, para não espantar talvez leitores não acadêmicos. Eu sei que isso normalmente acontece com autores mais conceituados e clássicos, mas também não gosto muito que o primeiro contato com a obra seja através da interpretação de terceiros. Acho que isso deve ser algo que o leitor deve ter acesso (e buscar) depois da leitura do original. Para mim é importante que o leitor chegue nas suas próprias conclusões (ou dúvidas). 

Enquanto eu lia a história, eu fiquei pensando o quanto esse livro seria perfeito para um presente de Natal. O trabalho do design da capa feito pela Martin Claret passam bastante da essência do que o leitor irá encontrar nessas páginas. Ainda por cima, a edição é em capa dura! E, claro, nós amamos livros assim. E como eu já disse, a história, apesar de ter seus momentos tristes, é muito lindinha e super combina com essa época do ano.

23 comentários

  1. Oi Nina! Quando me avisou que já havia saído a resenha, eu vim correndo.haha Eu comecei a espiar o livro, pois sabia que não ia conseguir ler ele agora e realmente travei nas primeiras páginas com todas aquelas informações. Até pulei e li o primeiro capítulo.hehe Confesso. Por isso achei super bem colocado o que disse. Não sei pq a escrita me lembrou um pouco Pax. Já leu? Vou ver se estou viajando quando ler esse.

    Amei as fotos! E a resenha ficou excelente! Continuo achando que a história é encantadora.

    Super beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li, Pax!! Mas quero muito. A história é realmente muito lindinha <3 Obrigada por ter passado aqui, Mari

      beijos

      Excluir
  2. Oi Nina, a capa tá linda e sim, amamos capa dura rsrs e isso deve dar um charme a mais a edição. Ainda não conhecia a autora, mas curti a resenha, a história parece nos apresentar novas culturas de forma bem sensível e viajar entre passado e presente. Sobre os "artigos" que a editora incluiu antes, concordo com você que deveriam vir ao final pra não atrapalhar a impressão do leitor sobre a história, mas já que não vieram e aqui sua impressão torna-se super importante, pois se eu resolver ler, eu pulo esses artigos iniciais e vou direto pra história pra só depois retornar pra eles ;) Ótima resenha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lili! A edição está maravilhosa, mas recomendo que pule mesmo essa parte dos artigos. Deixa para ler depois hehe Obrigada pelo comentário <3 beijos

      Excluir
  3. A capa ficou uma graça, adoro quando as editoras lançam em capa dura.
    Não conhecia a autora, mas a leitura não faz muito meu estilo apesar de parecer ser uma linda história.
    Creio que quando quiser sair da minha zona de conforto é uma leitura que faria.

    beijos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  4. Que capa fofa! Nunca ouvi falar da autora, talvez pelo fato de ser o primeiro livro dela em terras tupiniquins! hahaha
    Não me atraiu tanto assim a história por agora, mas não descarto a possibilidade de ler no futuro!

    ResponderExcluir
  5. Inicialmente a capa deste livro me chamou a atenção, pois achei ela muito bonita! Que bom que a forma como a história foi contada, nos permite conhecermos a história de cada personagem na mesma velocidade que os personagens se conhecem. Fiquei muito curiosa para ler este livro após ler sua resenha e adicionei ele em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Mari. Depois passa aqui para contar como foi sua experiência de leitura!

      Excluir
  6. Só pela arte da capa e pelo fato de ser capa dura já dá vontade de comprar!
    :)

    ResponderExcluir
  7. Oi!!
    Gostei muito de conhecer esse livro que esta lindo demais e a estória é maravilhosa! Realmente esse livro é um excelente presente para o Natal!
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, Marta? Quando comecei a ler e todo esse cuidado da editora em fazer a edição em capa dura... Seria um presentão <3 beijos

      Excluir
  8. Nina!
    Nunca li nenhum livro de autor libanês e deve ser bem diferente mesmo.
    Achei a história um tanto triste e dramática,ao mesmo tempo que mostra a superação das personagens.
    Gosto muito da estratégia de passado e presente.
    Fiquei intrigada com o lance da tradução, mas deve ser difícil por causa da língua, né?
    Desejo uma ótima semana produtiva!
    “Saber quando se deve esperar é o grande segredo do sucesso.” (Xavier Maistre)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que não, Rudy. O livro original é em francês! :)

      Excluir
  9. Fiquei com vontade de ler por ser uma historia linda e real, embora triste e comovente, mas nem tudo são flores né rs. Essas partes lentas acabam desanimando a leitura, mas por outro lado tem reviravoltas que animam rs. Acho que é uma historia que deixa o leitor refletindo sobre sonhos e perseverança.

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro até a pouco, mas pelas resenhas que procurei ler além da sua, acho que é um livro encantador, onde passado e presente se misturam e onde o amor, a amizade fazem descobrir a importância da vida.

    ResponderExcluir
  11. Oi Nina,
    É incrível como o ser humano nem sempre sabe o que lhe falta até dar de cara com algo que irá mudar sua vida. Maxime e Omar-Jo estavam destinados a se encontrarem e esse encontro vai sendo contado aos poucos permitindo ao leitor criar uma relação com ambos e com a narrativa. A história parece simples, mas com grandes lições, por isso me incomoda um pouco que a edição venha tão cheia de "estudos". Isso tira um pouco a simplicidade do livro e pode fazer alguns leitores desistirem de conhecer a história.

    ResponderExcluir
  12. Oi! Apesar da sua indicação, esse não é o tipo de história que costuma me prender, infelizmente. Confesso que achei bem legal o livro ter um personagem que vai atrás dos sonhos apesar de tudo (e a capa também é digna de aplausos) mas vou deixar a dica passar. Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Nina :)
    Eu não conhecia o livro e nem a autora.
    Simpatizei com a premissa do livro. Adoro quando a história vai sem pressa e acompanhamos a história de cada um dos personagens e como eles se cruzam sem pressa *-*
    Estou tão acostumada com livros lindos e cruéis que com certeza esse deve trazer o mesmo sentimento dos outros pra mim.
    Concordo com a parte da editora de colocar introduções. O leitor ele tem que ir sem juízo de valor quando for ler o livro é aproveitar o máximo pra depois tirar as conclusões sobre a leitura.
    Pelo menos a edição está linda *-*
    Obrigada pela indicação ;)
    Abc

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Primeiramente tenho que dizer: esteticamente falando esse livro é lindo!

    Conheci o livro mês passado através de um IG, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha.
    É ótimo que a história nos apresente a vida das personagens de forma gradual, gosto também que a história explore não apenas os lados felizes, mas também os tristes.
    O livro foi escrito faz 20 anos? É isso mesmo?
    Achei que era recente, não conhecia a autora.

    ResponderExcluir
  15. Parece ser o tipo de livro que além de emocionar, traz também todo aquele amor que não só a época do ano nos remete, mas também o amor que deveríamos ter. Juntando os dois pontos: os opostos. O velho e o novo. Ambos trazendo suas cargas emocionais, sonhos, passado,presente e futuro se encaixando nesse grande quebra cabeças que é a vida de cada um de nós!
    Como não conhecia o livro, estou encantada tanto com a capa, quanto com o título e resenha!
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Historia que envolve criança que tiveram uma infância bem triste é muito envolvente. Esse livro me deixou bastante curiosa com a história é bem interessada pela leitura.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir