Título original: Mom and Me and Mom
Autora: Maya
Angelou
Ano: 2018
Editora: Rosa
dos Tempos
Páginas: 175
Ao
longo de muitos anos ouvi comentários sobre a força existente na figura de Maya
Angelou
. Ouvi exemplos de resistência, das batalhas que travou para conquistar
seu lugar de direito em meio a uma sociedade que, ainda hoje, não é capaz de
compreender que a cor de nossa pele não é fator determinante para indicar quem
somos, como agimos, como devemos ser tratados, onde possuiremos livre acesso e
onde nossa passagem será negada. 

Esse exemplo de mulher é muito mais do que
alguém para nos guiar em meio as mudanças bruscas nos rumos da vida, ela é um
nome importante para o movimento feminista, além de ser uma mulher negra que
atingiu notoriedade em meio aos mais diversos ambientes artísticos,
demonstrando a luta de uma legião que, assim com ela, encontraram mais empecilhos
em sua jornada do que uma mulher branca encontraria.

Cantora,
atriz, dançarina, ativista, cineasta, escritora e um exemplo de figura materna,
Maya Angelou sempre acompanhou minha jornada pelo universo literário através de
uma distância segura, porém, quando o momento se demonstrou propício, ela se
apresentou com toda a força e luz existentes em seu ser e me encantou com sua
escrita adorável e acessível, me fez derramar lágrimas por todo o sofrimento
que a vida lhe afligiu, me fez reviver os desafios de sua vida e, acima de
tudo, me fez acreditar que no fim, todas nós somos capazes de chegar onde esta
louca e insana vida nos quis desde nosso primeiro suspiro.

“Ela
havia me libertado de uma sociedade que me teria feito pensar que eu era a ralé
da ralé. Ela me libertou para a vida. E, a partir daquele momento, tomei as
rédeas da vida e disse: ‘Estou com você, pequena.'”

Mamãe e
Eu e Mamãe
ressalta toda a força de Maya Angelou, mas consegue, em suas breves
175 páginas, ir muito além da biografia da autora que lhe deu origem, vindo a
carregar consigo uma parte da vida de sua própria mãe, uma mulher tão forte
quanto Maya, cuja personalidade cativante, conselhos preciosos, desafios
diários e histórico peculiar não poderiam ser esquecidos por um mundo que,
tantas e tantas vezes, se esquece das figuras que verdadeiramente deveriam
transformar-se em seus exemplos.
A trajetória destas mulheres é delineada através
de uma narrativa cativante e acessível, nunca escondendo, porém, as sombras que
invadiram momentos específicos de suas vidas, as dores que marcaram sua
história e os momentos de felicidade que preencheram seus corações e
demonstraram que o amor é mais forte do que todo e qualquer desafio imposto
pela vida ou sociedade.
A obra
encontra-se repleta de lições, de mensagens para carregarmos por toda a vida,
mas existe algo que permeia toda e cada página. A essência das palavras de Maya
Angelou está baseada na relação entre mãe e filha. É o amor infinito de uma mãe
que segura o filho pela primeira vez ou aquele que transborda após a construção
árdua de uma relação entre mãe e filha, é a confiança existente entre as duas
partes, a certeza de que, mesmo em nossas falhas e erros, teremos um porto seguro
para o qual voltar e, em nossas conquistas, teremos alguém repleto de orgulho e
carinho que nunca duvidou que que conseguiríamos. São os conflitos e as
lembranças que guardaremos para o resto da vida, as discussões, os sonhos,
alegrias e cada momento precioso que torna essa relação tão mágica e única.
Mamãe e
Eu e Mamãe
é uma homenagem a uma mulher forte que, em toda sua graça, luta e
beleza auxiliou na criação de outra mulher forte. É o exemplo de narrativas
reais que, ao serem separadas e interligadas novamente, destacam o poder que
determinadas pessoas possuem na construção daquilo que somos ou viremos a se
tornar. Maya Angelou é um exemplo de mulher negra e feminista e, para além da
curiosidade que este livro pode gerar com relação a sua vida ou desafios que
veio a superar, possibilitando que chegasse onde chegou, sua obra deveria
apresentar-se como leitura obrigatória para todo ser humano.

rela
ciona
dos