Olá pessoas! Hoje vamos conhecer mais um livro nacional. O livro é a estreia de JackMichel e foi lançado pela editora Chiado em outubro de 2015. Para o segundo semestre de 2016, já fechou contrato com a Drago Editorial para o lançamento de mais quatro obras suas: LSD Lua, 1 Anjo MacDermot, Sorvete de Pizza Mentolado x Torpedo Tomate e Ovo. O tema do conteúdo que escreve é variado visto que possui livros escritos nos gêneros ficção, poesia, romance e conto de fadas.
Conheça mais sobre a obra Arco-Jesus-Íris:

Na colorida época do Flower Power Satanás decide visitar o arco-íris psicodélico de Jesus Cristo e, lá chegando, o louro e jovem Jesus hippie, vestido de jeans, conta a ele como faz para fazer o bem vencer o mal e o leva a conhecer os 7 círculos de seu arco-íris, que são 7 círculos de cores diferentes: no Círculo Violeta ele encontra Sharon Tate e Charles Manson, bem como as demais pessoas envolvidas no caso Tate… no Círculo Anil ele encontra Mao Tsé-Tung e os chineses massacrados durante a Revolução Cultural… no Círculo Azul ele encontra Heinrich Himmler e os prisioneiros mortos nos campos de concentração nazistas… no Círculo Verde ele encontra a Talidomida e algumas crianças deformadas pela pílula… no Círculo Amarelo ele encontra Jim Morrison e as entidades indígenas que o levaram a morte… no Círculo Alaranjado ele encontra Oscar Wilde e os responsáveis por sua tragédia particular… no Círculo Vermelho ele encontra Thomas Blanton e as vítimas do atentado de uma igreja batista em 15 de setembro de 1963. Após constatar que o mal realmente não existe naquele paraíso, Satã vai e conta ao mundo que é tempo de Paz e Amor.

Compre o livro:
Chiado Editora | Livraria Cultura
JackMichel é o nome artístico de duas escritoras: Jaqueline e Micheline Ramos. São irmãs e nasceram respectivamente em 20 de fevereiro e em 30 de novembro, na cidade de Belém, Estado do Pará (Brasil). Sua obra é ampla e pode ser descrita entre romances, contos e poesias. O estilo de escrita de JackMichel foi influenciado por autores mundiais clássicos de diversos gêneros literários como Oscar Wilde, Hans Christian Andersen, Lewis Carrol, Edgar Allan Poe, Eça de Queirós, Machado de Assis, dentre outros. JackMichel professa o lema “Escrever é Viver.” 
Encontre elas nas redes:
Facebook | Instagram | Twitter | Google Plus | Pinterest | Tumblr

Confira nossa entrevista com elas:
1) Primeiramente, sejam bem-vindas ao estante diagonal! Da onde surgiu esta parceria de escreverem juntas?
Obrigada. Quando eu peguei na pena com 12 anos de idade mais ou menos, época em que eu lia em demasia poetas das escolas Romântica, Parnasiana e Simbolista, Jack, minha irmã e parceira literária, já rascunhava seus manuscritos. Anos depois, haja vista ambas terem amealhado muito material literário, resolvemos juntar todos os calhamaços. Então, tivemos uma ideia para mover o convencionalismo deste meio tão estático da literatura composto apenas por autores individuais: dar vida a uma terceira pessoa, “JackMichel, a escritora 2 em 1” que é o produto da junção de dois estilos de escrita bem diferentes.
2) Como é escrever em conjunto, em algum momento isso atrapalha? Vocês pensam na história juntas? Como é o processo criativo?
Veja bem… não escrevemos juntas, logo, não poderia haver confusão alguma. A concepção da narrativa é via de regra submetida ao processo criacional de ambas; já o critério utilizado para a elaboração da escrita de JackMichel se dá unindo as partes do texto posteriormente. Trocando em miúdos: por vezes, Jack escreve a maioria de um livro e separa trechos para eu preencher… outras, ela apenas cria o título da obra e eu a componho… sendo que, ao final do trabalho, o leitor atento não apercebe-se de tais enxertos, tão coesos são o zelo formal e a estilística da expressão. Algo perfeito como o café combinado com o leite.
3) O livro de estreia foi Arco Jesus Iris, do que o livro se trata? Podem falar um pouquinho dele? 
Esta obra fascinante se passa na colorida época do Flower Power, slogan usado pelos hippies dos anos 60, como símbolo da ideologia da não-violência. Então, Satanás decide visitar o arco-íris psicodélico de Jesus Cristo e este lhe conta que o bem venceu o mal. Satã não crê. Para dissuadi-lo, o Filho de Deus o leva a conhecer os 7 círculos de seu arco-íris, que são 7 círculos de cores diferentes. Nesta viagem ambos passam pelo Círculo Violeta onde encontram Sharon Tate e Charles Manson, bem como os demais envolvidos no caso Tate… pelo Círculo Anil onde encontram Mao Tsé-Tung e os chineses massacrados durante a Revolução Cultural… pelo Círculo Azul onde encontram Heinrich Himmler e os prisioneiros mortos nos campos de concentração nazistas… pelo Círculo Verde onde encontram a Talidomida e algumas crianças deformadas pela pílula… pelo Círculo Amarelo onde encontram Jim Morrison e as entidades indígenas que o levaram a morte… pelo Círculo Alaranjado onde encontram Oscar Wilde e os responsáveis por sua tragédia particular… pelo Círculo Vermelho onde encontram Thomas Blanton e as vítimas do atentado de uma igreja batista em 15 de setembro de1963. Após atestar que todos se perdoaram entre si e que o mal efetivamente não existe naquele paraíso, Satã vai e conta ao mundo que é tempo de Paz e Amor.
4) O que você pode falar para os leitores que ainda não conhecem Arco Jesus Iris? O que esperam causar ao leitor? 
Caros leitores, ao folhearem a primeira página deste livro extraordinariamente emocionante, abram também seus corações; pois ele lhes mostrará o mundo através da límpida lente furta-cor de uma luneta mágica em madrepérola, a do perdão. A autora JackMichel crê motivar a transmutação de sentimentos nas pessoas: do mal para o bem, como passam as mudanças de estado física da matéria. Algo mais ou menos assim.
5) Em seu livro, Jesus mostra a Satanás seus 7 arcos. Qual foi a ideia principal de mostrar ao Satanás estas vítimas e casos tão polêmicos em especial?
Na verdade, JackMichel utilizou-se deste estratagema para fazer emergir crimes hediondos e seus célebres protagonistas que outrora ganharam as manchetes dos jornais do mundo inteiro e, hoje, jazem esquecidos, tragados pela torrente enorme de novos fatos que não cessam de acontecer. Sou de opinião que é relevante caminhar para frente mas sem ir em detrimento do que passou, visto que o presente existe porque o passado apriori o construiu.
6) Todos os personagens do livro são realmente muito famosos e de conhecimento geral das pessoas. Vocês não acham que a escolha especifica de alguns personagens possa trazer uma certa polêmica para a obra? Isso causou algum receio para vocês antes da publicação do livro?
Sim. Porém, só quem ousa, vence e para ser notado no meio da multidão é preciso chamar a atenção. Com muita razão Oscar Wilde disse: “falem mal, mas falem de mim”… Indubitavelmente a autora JackMichel teve medo de correr riscos, haja vista o livro trazer à tona casos arquivados que causaram controvérsias em várias partes do mundo e em diversas épocas: o Assassinato de Sharon Tate, a Revolução Cultural chinesa, o extermínio nos campos de concentração nazistas, a catástrofe da Talidomida, a morte prematura de Jim Morrison, a tragédia particular de Oscar Wilde, o atentado à bomba numa Igreja Batista da Rua 16. Mas à medida que “Arco-Jesus- Íris” foi sendo escrito por mim e Jack, toda suspeição de exumar antigos fatos públicos tão polêmicos, foi vencida com o surgimento de um texto tão grandioso e apaixonante.
7) Em um dos arcos encontraremos o assassinato da atriz Sharon Tate e o próprio assassino, Charles Manson, por que este caso em especifico?
Abordar o Caso Tate no Círculo Violeta do arco-íris psicodélico de Jesus Cristo foi um meio de render preito à estrela de Valley of the Dolls, que foi brutalmente assassinada (com mais quatro pessoas) aos oito meses de gravidez pela notória Família Manson, seguidores de Charles Manson. A horrível chacina perpetrada no dia 9 de agosto de 1969, mesmo após 47 anos volvidos, choca até hoje.
8) Qual a mensagem principal que vocês querem passar em seus livros?
Em suas obras literárias a autora JackMichel tenciona transmitir mormente ao público em geral a ação instintiva da emoção, pois sabe quão é basilar tocar as fibras do coração humano, fazendo-o sentir o belo. E assim não é só na literatura, mas em todas as formas de expressão das belas-artes: pintura, música, dança, etc. Ars longa, vita brevis. 
9) Qual foi a sensação após ter a obra pronta em mãos? Dever cumprido? 
Sempre que um artista finaliza uma obra-prima, seja ela literária ou não, penso que deva sentir um misto de orgulho e satisfação muito grande em seu ego. Por certo, Michelangelo auferiu desta emoção quando concluiu a Pietà e, talqualmente Géricault, quando deu a última pincelada em Têtes de Suppliciés. E porque não dizer, também, que todos tiveram a sensação de ter cumprido um dever perante a arte mundial?
10) Por fim, deixem uma mensagem para os leitores do Estante Diagonal! 

Com prazer. Não é de minha autoria, mas vou deixar aos muito amáveis leitores do fantástico Estante Diagonal: “Nesta direção”, disse o Gato, girando a pata direita, “mora um Chapeleiro. E nesta direção”, apontando com a pata esquerda, “mora uma Lebre de Março. Visite quem você quiser, são ambos loucos.” “Mais eu não ando com loucos”, observou Alice. “Oh, você não tem como evitar”, disse o Gato, “somos todos loucos por aqui. Eu sou louco. Você é louca”. “Como é que você sabe que eu sou louca?”, disse Alice. “Você deve ser”, disse o Gato, “Senão não teria vindo para cá.” (Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas).

rela
ciona
dos

Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário” Junji Ito anuncia série de terror pela Netflix Lançamentos de livros que chegarão as livrarias em breve