Kathy H. cresceu, estudou e passou toda sua infância no internato para crianças especiais, reconhecido em todo o mundo por seus métodos únicos e sua filosofia alternativa. Toda e qualquer criança proveniente dos outros internatos espalhados pelo país admitem a sorte que Kathy e seus amigos tiveram.
Mesmo com o fechamento de Hailsham e o fato de que com o encerramento das atividades da instituição seus idealizadores não são mais vistos com facilidade, a época vivida no internato ainda é uma das memórias mais queridas e agradáveis na mente da cuidadora que, com trinta e um anos, está prestes a encerrar suas atividades e partir para o trabalho de doadora.
A personagem nos apresenta sua vida com delicadeza, sutileza e simplicidade. Aos poucos, descobriremos que todos os seus melhores amigos já não existem, foram levados pelo árduo caminho dos doadores. Com tempo e cuidado, a personagem cria uma aura de mistério com relação a todas as crianças provenientes de Hailsham, nos faz indagar quanto ao propósito de suas vidas em uma  sociedade que, apesar de reconhecer sua existência, parece não compreender como realmente tratá-las. Além disso, com uma simplicidade e adorável reflexão, descobriremos a magia, dores e alegrias do amadurecimento.

Porque no fundo não importa quão bem seus guardiões tentem prepará-lo: todas as conversas, todos os vídeos, debates, avisos, nada disso consegue, de fato, deixar as coisas bem claras, transparentes.

Não Me Abandone Jamais, com toda a sua delicadeza e simplicidade, apresenta ao leitor a passagem do tempo, a transformação de uma criança em jovem, os desafios que todos enfrentamos e que, mesmo sem perceber, nos tornam aquilo que somos no momento em que nos damos conta de que crescemos. Porém, muito mais do que abordar o crescimento e amadurecimento de uma criança, a formação do caráter e personalidade de cada um e ainda, as dores que somente nós sabemos carregar, a obra de Kazuo Ishiguro nos faz refletir sobre o que é ser humano.
Com um mistério belamente construído, que será revelado em toda sua profundidade e extensão, somente nos últimos capítulos da obra por meio da ação de uma ciência cuja ética foi amordaçada e trancada dentro de um quarto escuro, observaremos a dificuldade e facilidade com que reconhecemos a essência humana em cada um de nós. Da mesma forma, se permitem que distancie o  olhar, percebemos a perda da humanidade de uma sociedade que, por meio de escolhas e da própria busca por novos rumos, perde a si mesma nos processos que criou. É demonstrando nossas semelhanças e diferenças, o amor que sentimos dentro de nós, os desafios e tristezas que a vida nos impõem, que percebemos a força da humanidade dentro de cada um de nós.
Como podemos condenar, julgar ou justificar determinados atos quando a centelha que brilha em cada um é a mesma? Como podemos fechar os olhos para aquilo que, por nos trazer vantagens ou sucesso, acaba por influenciar negativamente a vida de outros? Com uma escrita simples e acessível, adoravelmente repleta de sutilezas e humanidade, Kazuo Ishiguro apresenta seu talento ao leitor, além de buscar formas de fazê-lo refletir sobre temas que parecem ter caído no esquecimento.
O ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 2017 conquista o leitor com uma de suas obras mais conhecidas, apresenta o talento escondido em uma escrita simples e graciosa, destaca a possibilidade de levar o leitor a refletir sobre assuntos muito mais profundos do que, a princípio, poderíamos imaginar. Não Me Abandone Jamais é para todos os leitores que se dizem humanos ou buscam, no caos de uma sociedade problemática, a humanidade que parece fugir, dia após dia, de cada um de nós.

  • Never Let Me Go
  • Autor: Kazuo Ishiguro
  • Tradução: Beth Vieira
  • Ano: 2017
  • Editora: Companhia das Letras
  • Páginas: 343
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween