David Boring é meu terceiro contato com o artista Daniel Clowes e sem dúvidas ele já virou um dos meus quadrinistas preferidos. Eu gosto muito do fato dele saber expressar o que seus personagens (cheios de problemas) realmente estão sentidos, seja numa história que explora as incertezas do fim da adolescência, como em Ghost World ou através de Paciência, uma ficção científica melancólica, mas genial.

Em David Boring conheceremos David, um garoto de 19 anos entediado e insatisfeito. Ele trabalha como vigia, divide o apartamento com uma amiga e tem uma fixação em bundas. Bizarro né? Mas existe. Além disso, iremos acompanhar a sua relação conturbada com a mãe, a admiração que possui pelo pai, um quadrinista desconhecido e o despertar do seu primeiro amor, Wanda.

A história se direciona, após o desaparecimento inexplicável dessa garota e será através da narrativa em primeiro pessoa de David, que o enredo se dividirá em três atos, onde teremos como foco episódios afastados da vida do personagem, mas que contribuirão com informações para entendermos um pouco mais como David virou o David que conhecemos no começo da graphic novel.

Cada ato tem suas peculiaridades, o que é muito interessante. No segundo, por exemplo, David irá parar numa casa ilhada com a família, onde todos precisam viver isolados. O que o leva até lá são coisas bastante inusitadas, que vou evitar falar para evitar spoilers, mas que provam o quando Clowes gosta de trabalhar com situações que beiram ao absurdo.

Há também alguns quadros coloridos durante a leitura e elas se destacam por pertencerem ao único quadrinho deixado pelo pai de David. A presença de O Raio Amarelo na narrativa, ilustra a admiração que o personagem tem pelo pai, mesmo que ele mal se lembre dele. É um detalhe interessante, pois percebemos que parte desta relação contribuiu muito para conhecermos o David de hoje.

David Boring é um protagonista esquisito, excêntrico e que alimenta manias peculiares. Mesmo assim, é fácil de criar uma certa empatia por ele, pois como é de praxe do quadrinista, ele flerta com um destino agridoce. Em essência, teremos a história do protagonista indo atrás de uma garota, mas que paralelamente surpreenderá o leitor quando estiver imerso em um enredo cheio de conflitos, narrando as consequências de um amor doentio e a vida sem regras de um jovem americano.

Clowes irá lhe surpreender com as reviravoltas da história de David, então se preparem para uma leitura que brinca com diversos gêneros, incluindo o horror. Inclusive indico a leitura para maiores de 16 anos, pois a história conterá cenas eróticas e violentas. Este é o tipo de graphic novel que brincará com a diversão e o sombrio lado a lado, então se vocês querem conhecer algo de um cara que é referência dentro dos quadrinhos underground, David Boring é brilhante.

Preciso destacar o trabalho gráfico incrível que a Editora Nemo vem fazendo com as edições lançadas no Brasil. Sou apaixonada pelo capricho, pelas cores vivas que acompanham os volumes e todos os detalhes. Sou uma grande fã dos quadrinhos da editora e pretendo continuar acompanhando.

  • David Boring
  • Autor: Daniel Clowes
  • Tradução: Jim Anotsu
  • Ano: 2019
  • Editora: Nemo
  • Páginas: 144
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023