Quando John e Mary Smurl adquiriram a casa geminada localizada em uma região tranquila da Pensilvânia, buscavam cercar-se de vizinhos que se conheciam e mantinham relações de companheirismo, de um quintal onde pudessem compartilhar bons momentos com a família, de um espaço em que pudessem acompanhar o crescimento de suas netas, além de estarem sempre à uma porta de distância de seu filho Jack, bem como da esposa deste, Janet.

Ao mudarem-se para a nova residência, os Smurls ansiavam por um convívio carinhoso, pela construção de doces lembranças, pelo fortalecimento dos laços familiares entre cada membro deste corajoso e perseverante grupo. Contudo, o que encontraram na casa geminada da Chase Street, West Pittston, Pensilvânia, foram situações peculiares, momentos de tensão, acontecimentos inexplicáveis e uma história de gelar a espinha!

Logo os sorrisos transformaram-se em expressões de preocupação, objetos particulares começaram a desaparecer sem deixar vestígios, cômodos tornaram-se gelados, presenças invisíveis eram sentidas mesmo no mais belo e ensolarado dos dias. Em pouco tempo, Mary e Janet Smurl presenciaram a materialização de formas sombrias que invadiam seus lares, Jack Smurl percebeu-se irritadiço e esgotado, as meninas passaram a ouvir sons estranhos e batidas nas paredes de seus quartos. Com o passar dos meses, John, Mary, Jack e Janet Smurl direcionaram-se por todas as explicações e análises possíveis, procuraram estabelecer o mais tênue traço de lógica, observaram de maneira racional e sistemática cada detalhe de cada evento presenciado pelos membros da família, bem como por seus vizinhos e amigos.

Entretanto, nada foi capaz de explicar os assombrosos momentos que vivenciaram desde o período da mudança para a nova residência. Quando todas as tentativas e estratégias foram empregadas, quando todas as explicações caíram por terra, quando os ataques e acontecimentos sombrios se intensificaram, a família percebeu que era hora de pedir ajuda e que, talvez, estivesse lidando com uma espécie de assombração ou opressão sobrenatural.

Em Vidas Eternas, título pertencente a coleção Arquivos Sobrenaturais, acompanharemos em detalhes 30. Com escrita simples e acessível, a obra delineia o curso tomado por um dos casos mais complexos atendidos por Ed & Lorraine Warren.

Apesar desta premissa, para além de apresentar um caso sobrenatural de assombração, opressão e quase possessão, o livro também possibilita ao leitor a construção de quadros acerca da região onde se localiza a residência, de quem eram os membros da família Smurl, de como se comunicavam, no que acreditavam e sobre quais bases fundamentavam suas relações familiares. Deste modo, busca-se demonstrar que estas pessoas eram comuns. Eram pessoas que possuíam uma religião e exerciam sua religiosidade. Eram unidas e amáveis, dificilmente brigavam ou discutiam. Nunca pensaram em brincar com tabuleiros Ouija, em convocar espíritos ou tentaram se comunicar com aquele curioso e, por vezes questionável, território conhecido por “além”. Com isto, todos os eventos vivenciados, presenciados ou comentados ao longo do livro, pretendem assombrar o leitor, demonstrando seu peso e complexidade, suas peculiaridades e detalhes, bem como, curiosamente, encontraram seu fim.

Para os curiosos por eventos sobrenaturais e atividades paranormais, Vidas Eternas apresenta-se como um livro acessível, interessante, razoavelmente simples em formato e estratégias de escrita, sombrio e assombroso na medida certa, além de maravilhosamente introdutório. Para os aficionados pela franquia Invocação do Mal, Vidas Eternas oferece a oportunidade de acompanhar os relatos, depoimentos e trajetória real de uma família que pode, ou não, vir a inspirar futuros filmes.

Para os leitores acostumados com este estilo de livro, curiosos e sempre interessados em conhecer mais casos, aspectos e contextos do sobrenatural, Vidas Eternas poderá contribuir com depoimentos preciosos de pessoas que estiveram na casa da Chase Street, que presenciaram situações peculiares ou que perceberam o sofrimento e desafios vividos pela família Smurl. Porém, para leitores exigentes, interessados em abordagens sérias e embasadas em dados, informações e análises concretas, Vidas Eternas pode decepcionar. Uma vez que se fundamenta, quase exclusivamente, em depoimentos de vizinhos e amigos, bem como da própria família Smurl, além de empregar estratégias de escrita que visam manter o interesse do leitor e criar ganchos para os próximos capítulos, a obra passa a constituir-se por meio de uma atmosfera levemente novelizada, contribuindo para o descontentamento de leitores que prezam por abordagens sérias e alinhadas aos princípios de obras de não ficção parcialmente acadêmicas.

Confira a série Arquivos Sobrenaturais

Em resumo, Vidas Eternas é um livro interessante, instigante, acessível e maravilhoso para introduzir e assombrar leitores que pretendem iniciar sua jornada neste mundo confuso e sombrio das leituras sobrenaturais. Trata-se de uma obra repleta de detalhes acerca de um caso atendido por Ed & Lorraine Warren. Define-se pela exposição e apresentação dos acontecimentos inexplicavelmente assustadores vivenciados por uma família comum, tranquila, amável e unida. Possui pequenos deslizes e defeitos, que, no entanto, não reduzem seu valor. Aqui encontramos uma história digna das noites mais geladas e sombrias, da atmosfera assustadora e misteriosa do mês de outubro, mas também, de ser conferida no seguro e aconchegante espaço de um quarto iluminado.

  • The Haunted
  • Autor: Robert Curran, Jack e Janet Smurl
  • Tradução: Eduardo Alves
  • Ano: 2019
  • Editora: Darkside Books
  • Páginas: 256
  • Amazon

rela
ciona
dos

Adaptações literárias que estreiam em agosto Novo trailer de John Wick e novidades da franquia Novidades sobre Halloween Ends, último filme da franquia Pachinko e outras resenhas de livros para você amar