Hoje bati um papo com o autor nacional Edison Moraes, onde falamos sobre sua história com os livros e seu livro de estreia Ibymarã, primeiro livro de uma série. Em seu livro conheceremos uma família ao voltar de uma viagem, até que presencia um evento estranho que os leva para uma cidade bastante diferente. Lá tudo que conhecemos se estabelece de forma diferente, política, economia, ecologia, gênero, homens e mulheres são realmente iguais em todos os aspectos socioculturais. Logo a família tem dificuldade de se adaptar nesta cidade, mas lentamente, vão superando cada diferença e tomando esta cidade como um novo lar.

1 – Primeiramente, você pode se apresentar para os leitores do Estante Diagonal?

Meu nome é Edison Moraes, sou bacharel em Matemática e bastante curioso e questionador. Costumo fazer muitos ensaios mentais sobre diversos assuntos, sempre pesquisando variados temas, mas com forte queda pelas Exatas. Me casei em 2000 com uma autêntica dama e me tornei pai de uma princesa em 2002. Sou Espírita e amo animais, sendo dono de um cãozinho e de uma cadelinha.

2 – Como surgiu a vontade de ser escritor e antes disso, como foi sua relação com a literatura? 

Sempre tive vontade de escrever, tendo escrito alguns contos. Gosto bastante de ler ficção científica, principalmente as obras de Isaac Asimov, e de assistir seriados como Star Trek e Doctor Who. Mas o que eu queria mesmo é escrever uma história de ficção científica que fosse bastante “pé no chão” e que acrescentasse algo em nossa cultura, indo além de apenas uma “história legal”. Ybymarã foi o resultado dessa tentativa.

3 – Vi que você tem muito interesse por exatas, de onde veio a inspiração para escrever Ybymarã, como surgiu esta vontade de escrever sobre um mundo completamente diferente do qual conhecemos?

De onde surgiu a vontade de escrever ficção científica eu não saberia dizer. A inspiração para escrever Ybymarã veio da observação da própria sociedade. Me perguntava se isso era o melhor que seres humanos podiam fazer. Há muitas pessoas tão brilhantes e com ideias tão geniais que parecem mágicas. Por outro lado, há pessoas preocupadas em construir coisas que destroem; um duplo
desperdício de tempo, dinheiro, recursos e… vidas. O que será que nós, humanos, poderíamos construir se fôssemos um pouco mais cooperativos uns com os outros?

Saiba mais sobre Ybymarã

4 – No livro você trará uma visão diferente sobre política, economia, identidade de gênero, entre outros temas, certo? Como surgiu esta ideia e que tipo de pesquisas você precisou aplicar para criar sua história?

A ideia surgiu lá pelos idos de 1980, quando assisti ao seriado Cosmos, de Carl Sagan. Ele disse que, se a Idade Média não tivesse existido, muitas descobertas teriam sido feitas antes. Na época, não imaginava escrever um livro, mas a ideia foi amadurecendo até que, em 2019, pôde ser colocada no papel. Foram feitas muitas pesquisas sobre todos os assuntos, em diversos meios. De certa forma, minha experiência de vida e observações pessoais também foram importantes. Além disso, todos devem ter seu lugar no mundo, só que parece que nossos sistemas políticos e econômicos estão exauridos e obsoletos; daí a ideia de pensar em algo diferente.

5 – Foi um processo que levou quanto tempo? Desde a ideia inicial até sua finalização.

Bom, a semente foi plantada por volta de 1980; então diria que o processo completo durou quase 40 anos. Mas os elementos necessários foram reunidos apenas em 2019. A história em si começou a ser escrita em janeiro e foi finalizada em dezembro desse mesmo ano.

6 – O que o leitor pode esperar desta leitura? Fale um pouquinho sobre ele.

Algo que pode ser observado em críticas sociais é que os problemas são apontados e analisados, mas, geralmente, não são propostas soluções. Em Ybymarã, há a proposta algumas possíveis soluções, que estão descritas de forma mais detalhada nos apêndices. Ybymarã também traz muitas referências ocultas e tenta ser, ao mesmo tempo, uma crítica social, um caminho alternativo e uma história pós-apocalíptica (inclusive com referência aos quatro cavaleiros do Apocalipse).

7 – Tem planos para que Ybymarã se torna uma série ou ganhe uma sequência, ou estamos falando de um livro único?

A história foi pensada para ser contada em cinco volumes, sendo que “A Cidade do Outro Lado” é o volume central. O próximo, que já está sendo escrito, conta eventos ocorridos muito antes. A decisão de começar pelo meio foi a de que a cidade pode facilmente ser identificada como um lugar bem melhor para se viver, mas ainda assim próxima de nossa realidade.

8 – Alguma curiosidade interessante que você possa contar sobre o livro? Personagens, inspirações etc.

Não há, verdadeiramente, personagens principais na história, embora o foco seja a família que é apresentada logo no início. As personagens são heterogêneas, mas, de modo geral, não dá para definir vilões e mocinhos de forma absoluta. Ybymarã é uma cidade multifacetada, construída em diversos “setores” bem diferentes entre si, fato que pode, para alguns, lembrar um parque temático.

9 – Onde pode encontrar seu livro? E existe outros trabalhos seus como autor publicados?

O livro foi publicado pelo “Clube de Autores” e pode ser encontrado em sites como Amazon, Agbook, Lojas Americanas, Livraria Cultura e também no próprio site do Clube de Autores, tanto na forma física como digital. Não tenho outros trabalhos publicados, apesar de ter escrito dois livros técnicos e outro comentando uma obra Espírita já existente.

10 – Deixe um recado para os leitores do Estante Diagonal.

Não corra atrás do seu sonho, mas trabalhe honestamente para que ele aconteça. Sonho realizado sem labor é sonho vazio.

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween