1984 | George Orwell

11 maio, 2021 Por Joi Cardoso

Mil novecentos de oitenta e quatro, ou 1984, é o romance mais conhecido do autor George Orwell, publicado originalmente em 1949. Aqui somos levados para a nova Grã-Bretanha, hoje conhecida como Pista de Pouso Número 1, uma província da Oceania. A realidade distópica revela um mundo em guerra e uma sociedade regida por um regime ditatorial e totalitário, chamado Socialismo Inglês ou Ingsoc.

É neste contexto que conheceremos Winston, um homem aprisionado nesta sociedade dominada pelo Estado. Ninguém escapa da vigilância do Grande Irmão (personificação da figura de maior poder neste regime), teletelas estão por toda parte observando os cidadãos e querer possuir uma mente livre é considerado crime gravíssimo. Porém, Winston é infeliz com sua vida e possui várias questões contra o governo, assim ele acaba se rebelando pela busca de liberdade, colocando sua vida em risco ao se envolver amorosamente com uma colega de trabalho chamada Julia e através dela, com uma organização revolucionária secreta.

É na rotina de Winston que iremos entender pouco a pouco como esta sociedade funciona, além de perceber todas as frustrações do protagonista, que mesmo muito correto e habilidoso com suas tarefas para com o Partido, os odeia secretamente, mas é impedido pelas leis transparecer qualquer tipo de expressão (até facial) suspeita. Mesmo antes de Winston virar um rebelde de fato, nós sabemos que ele caminha nesta direção, através de seus pequenos atos rebeldes, como a ideia de escrever um diário, em um ponto cego de sua casa, longe das teletelas.

É irônico analisar que é, justamente, pelas palavras que a verdade é manipulada dia após dia nesta realidade. O trabalho de Winston é reescrever artigos de jornais do passado entre outros textos, de modo que o registro histórico sempre apoie a ideologia do Partido. As guerras são reescritas, a história é reescrita e se não há registro sobre o pior, este acaba virando o mundo perfeito. Assim o governo manipula a história e também, de certa forma, a literatura, fazendo com que toda informação pública seja distorcida e a língua manipulada. Acabamos percebendo isso através do declínio desta população se manifestando em meio as dificuldades de expressão, sejam de pensamentos ou sentimentos.

Este método de manipulação se chama Novilingua, onde palavras já conhecidas ganham novos significados, tornando tudo ambíguo e passível de interpretação (se você tiver coragem de fazer isso). Eliminando palavras do dicionário o Partido controla ainda mais as pessoas sobre o pensar, não possuindo conhecimento suficiente para cometer o que eles chamam de Pensamento Crime, em outras palavras, questionar o governo. Esta ideia também reflete no conceito de guerra no livro, como, segundo este regime, não há objetivo na guerra a não ser manter o poder entre as classes mais altas, limitando o acesso a educação e a bens materiais entre as classes inferiores, ou seja, um dos movimentos estratégicos do Partido é prezar o retrocesso da Razão.

Guerra é Paz. Liberdade é Escravidão. Ignorância é Força.

Ao final da leitura podemos refletir sobre tudo que Winston viveu e de que modo estas análises podem nos acompanhar nos dias de hoje. O desfecho do personagem, assim como a ideia da Novilingua e do Duplipensar fica em aberto e você pode interpretar o que de fato aconteceu com ele. Eu adoro esta discussão e sempre levantarei esta questão com quem puder e quiser conversar sobre 1984 comigo. Lamento não ter lido o livro antes, mas que bom que este dia finalmente chegou. Leitura mais do que recomendada, necessária.

1984 é o tipo de obra que te mostra como o futuro pode ser ameaçador. E fazer as conexões com as coincidências que uma mente construiu lá em 1949, refletindo nos dias de hoje, é realmente assustador, sejam estes atos motivados pelo governo ou pela imprensa. O que nos resta é ler, estudar e conhecer nossa história para que futuros aterrorizantes como os de 1984 não se façam reais. Pena que George Orwell não chegou a conhecer todo o sucesso que sua obra faria, lançado poucos meses antes de sua morte, 1984 é influente ainda nos dias de hoje, um importantíssimo clássico moderno que debate os perigos do poder.

A obra ganhou diversas adaptações para a televisão, quadrinhos e teatro, e neste ano acabou recebendo inúmeras edições, logo após toda a obra do autor cair em domínio público. Agora não há desculpas para você não fazer esta leitura, que na minha opinião deveria ser obrigatória. Para finalizar, uma curiosidade, é por causa de 1984 que John de Mol, em 1999, criou o reality show Big Brother na Holanda. Dá para entender a ideia né? Pessoas confinadas num mesmo ambiente, sendo vigiados por câmeras 24 horas por dia…

  • Nineteen Eighty-Four
  • Autor: George Orwell
  • Tradução: Bruno Gambarotto
  • Ano: 2021
  • Editora: Biblioteca Azul
  • Páginas: 392
  • Amazon

rela
ciona
dos