As Sombras do Mal é o primeiro livro da trilogia As Fitas de Blackwood, dos autores Guillermo del Toro e Chuck Hogan. Os dois retomam a parceria de sucesso numa trilogia macabra e arrebatadora sobre um mal ancestral que vaga pela Terra desde o início dos tempos.

Depois que um crime bárbaro acontece, os agentes do FBI, Odessa Hardwicke e Walt Leppo, encontram uma cena assustadora no local do crime. Há uma única sobrevivente, contudo misteriosamente Walt é dominado por um instinto assassino e tenta matar a criança. Sem ver outra alternativa, Odessa atira no parceiro. Assim que ele morre, a detetive vê uma misteriosa sombraAs Sombras do Mal |Guillermo del Toro e Chuck Hogan sair do corpo do colega.

Assim ela é dispensada do cargo e parte para uma parte mais burocrática dentro do FBI, mesmo sabendo que não tinha o que fazer a não ser atirar no colega, Odessa não consegue parar de pensar no que viu saindo de Walt. Assim, durante uma missão de organizar os pertences de um agente aposentado, Odessa encontra fitas antigas, que acabam levando ela até Hugo Blackwood, um enigmático homem que sabe o que está assombrando a humanidade: os incorpóreos, espíritos que se apoderam de suas vítimas e estão em busca do caos e da morte.

Minha experiência de leitura foi marcada pela dualidade: adorei a parte investigativa, mas não me envolvi muito com a parte sobrenatural. A partir do momento em que Odessa encontra o detetive aposentado e as fitas de Blackwood, eu fiquei extremamente envolvida com a trama. A investigação, a busca por respostas e o envolvimento de Odessa e Hugo foram muito bem apresentados e me senti muito envolvida por essas partes. Contudo a história envolvendo os incorpóreos não me envolveu, acredito que seja pela falta de profundidade. Fico otimista que seja opção dos autores trabalhar melhor alguns pontos nos próximos volumes.

Odessa é uma personagem que ficou devendo, senti nela insegurança em muitos momentos importantes, mas eu acredito que deva ser pelos seus traumas. Contudo ela é muito correta e pensa rapidamente, como uma boa detetive. A relação dela com Blackwood é interessante, pois em um primeiro momento eu não senti uma conexão com o trabalho em conjunto dos dois. Hugo é misterioso, enigmático e às vezes sarcástico. Ele que leva a narrativa.

A narrativa vai apresentar três linhas temporais, isso para compreender toda a trajetória de Hugo com os incorpóreos. Então temos o presente que se passa em Nova Jersey, em 2019; o passado que se passa em Delta no Mississipi, em 1962; e o passado do passado, na grande Londres, em 1582. Para cada período temos como foco um personagem diferente, mas conseguimos ligar os acontecimentos e ver como os incorpóreos chegaram em 2019.

Mesmo gostando mais da primeira linha narrativa, não posso deixar de comentar sobre a linha temporal de 1962, com foco em Earl Solomom, um dos primeiros homens negros a fazer parte do FBI. A partir disso, há uma discussão muito pertinente sobre racismo. A linha narrativa de 1582 serve como suporte para o entendimento do sobrenatural da trama, uma espécie de apresentação do surgimento da origem das criaturas e quais são os objetivos delas.

As Sombras do Mal é um bom início de trilogia. Um suspense policial, com uma pegada sobrenatural que envolve e que vai agradar fãs do gênero. Encerrando alguns acontecimentos e deixando perguntas sem respostas, o próximo livro já está predestinado a ser cheio de mistérios a serem investigados.

  • The hollow ones: the blackwood tapes
  • Autor: Guillermo del Toro e Chuck Hogan
  • Tradução: Stephanie Fernandes
  • Ano: 2020
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 320
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023