Os pictus foram um povo que viveu nas regiões do norte da Escócia durante a Idade do Ferro britânica tardia e os primeiros períodos medievais. Muitas crenças sobre esse povo foram criadas, como seu tamanho diminuto, sua barbárie e seus corpos pintados de azul. Esse povo também teve uma relação de guerra muito frequente com os romanos. É com base nesse povo, que sempre fez parte do imaginário de Robert E. Howard, que o autor criou seus contos focados nos homens diminutos, e principalmente seu rei, Bran Mak Morn, que veria o fim de sua própria raça.

Para quem não conhece, Robert E. Howard é mais conhecido pela criação de Conan, o Bárbaro. Inclusive tenho muita curiosidade de ler essas histórias. Aqui temos todos os escritos do autor referentes aos Pictus e ao sei rei Bran Mak Morn reunidos em um único volume, são contos completos, fragmentos, poemas e outros textos do autor referentes a esse povo. Essa edição segue a linha de outros livros do autor que já foram publicados pela Pipoca e Nanquim. As ilustrações são de Gary Gianni e a capa ilustrada por Frank Frazetta. Tudo muito bonito e caprichado para sua leitura ficar ainda mais incrível.

Quando não é atada ao tempo, a alma, a mente, chame como desejar, é capaz de conquistar o corpo. E os sábios da minha raça, em minha juventude, sabiam mais do que o mundo exterior jamais descobrirá.

No primeiro conto A Raça Perdida, conhecemos através de outro personagem os pictos, e assim temos o primeiro contato com esse povo. Gostei muito de como somos introduzidos a esse mundo e de como já vemos, logo num primeiro momento, as características do caráter do rei. Eu gostei muito do rei Bran Mak Morn, ele se mostrou justo quando necessário, muito preocupado com seu povo e um ótimo guerreiro. Uma curiosidade muito legal é que o autor era amigo de H. P. Lovecraft, inclusive eles trocavam várias cartas. Então nada mais justo do que encontrarmos um conto dedicado à obra do amigo. Em os Os Filhos da Terra conseguimos sentir essa influência na escrita.

O autor não deixa passar em branco as batalhas contra os romanos em seus contos. Em Os Reis da Noite, temos a preparação para uma batalha e a convocação de alguns aliados. Sem falar na descrição da batalha muito detalhada. Aqui também temos Kull, um personagem que possui suas próprias histórias escritas pelo autor. Esse conto também é muito interessante, pois há uma centralidade na figura do rei. Foi muito interessante ver o papel dele entre seu povo e ver como ele se posiciona perante outros povos.

Depois da parte dos contos completos há mais textos, como fragmentos e poemas. Gostei bastante de todo o material e de como o autor apresenta esse povo, seu modo de viver e suas lutas. Essa leitura foi diferente, mas também muito legal, pois me vi estudando história logo no início da leitura para compreender melhor o contexto do que iria encontrar nos contos. Bran Mak Morn é um livro perfeito para quem gosta de fantasia e livros de espada e feitiçaria.

  • Bran Mak Morn: The Last King
  • Autor: Robert E. Howard
  • Tradução: Bernardo Santana
  • Ano: 2021
  • Editora: Pipoca e Nanquim
  • Páginas: 364
  • Amazon

rela
ciona
dos

6 livros com representatividade indígena Men: Novo filme perturbador ganha trailer nacional Adaptações literárias que estreiam em agosto Novo trailer de John Wick e novidades da franquia