O Brasil de 1904 passava por uma das piores crises sanitárias do país e enfrentava uma severa proliferação de doenças, como varíola, febre amarela e peste bubônica, tendo como epicentro o Rio de Janeiro. As soluções previstas eram: uma reforma geral da cidade, alargando ruas e destruindo cortiços, moradia de uma grande parcela da população mais pobre da cidade, e a obrigatoriedade da vacina contra a varíola, idealizada por Oswaldo Cruz, médico, epidemiologista e sanitarista brasileiro.

Porém as “severas” medidas sanitárias irritou bastante a população, jornais lançaram editoriais contra a vacina, dentre outras manifestações. Esta rebelião popular ficou conhecida como a Revolta da Vacina

É neste contexto que conheceremos o cearense Zelito, que após a morte do irmão, parte para o Rio de Janeiro com o prazo de 6 meses para provar ao pai que poderá construir uma carreira como ilustrador, seu maior sonho. Porém, enquanto procura trabalho, Zelito se envolverá com estas manifestações vendo, talvez, uma oportunidade de ascensão.

Este é o segundo trabalho que leio de André Diniz, que na verdade é um relançamento, ganhou uma belíssima edição, com prefácio de Luiz Antonio Simas e uma seleção incrível de charges da época a respeito da vacinação.  

A obra debate um Brasil em crise (não muito diferente do que vivemos hoje), em uma realidade onde a informação e a ciência é questionada, onde mal chega para os mais informados esclarecimentos sobre a eficácia da vacina, quem dirá para a população mais pobre, que além de tudo, se vê encurralada pelo governo, que resolve expulsá-los do centro para os morros. Porém, mesmo sendo um recorte muito importante da nossa história, esta parte crítica da graphic novel é muito breve e pouco explorada. De qualquer maneira, é uma ótima porta de entrada para quem quiser conhecer mais sobre este episódio e também para relembrar aqueles que já o conheciam. 

De qualquer forma, esta é uma leitura que serve como um lembrete, mas que ainda possui muitas similaridades com a nossa atualidade, onde a ciência segue sendo questionada e os problemas sociais ignorados. Os textos complementares da edição proporcionam ainda mais informação sobre a época e enriquecem ainda mais a edição. Trazem o contexto perfeito para você saber ainda mais sobre o lado político de a Revolta da Vacina.

O drama de Zelito prende bastante o leitor, agrega ao pano de fundo e proporciona uma leitura rápida. A arte segue o estilo cordel, já conhecido de outras obras do ilustrador. Sem dúvidas uma leitura informativa e para refletir!

  • Revolta da Vacina
  • Autor: André Diniz
  • Tradução: -
  • Ano: 2021
  • Editora: Darkside Books
  • Páginas: 176
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween