Claudine “Claude” Henry é uma adolescente que tem fixação pela França, sempre rouba a blusa do Nirvana do pai e pretende ser uma escritora famosa um dia. Prestes a terminar o ensino médio, Claude sempre teve uma vida tranquila, sem grandes percalços e dramas. No entanto, pouco antes de sua formatura, tudo muda: seu pai lhe dá a notícia que ele e sua mãe pretendem se separar. Para ser mais exato, ele que decidiu isso. É então que o chão de Claude desaba.

Toda a vida tranquila de Claude vira de cabeça para baixo. O pai ainda pede que Claude não conte para ninguém a má notícia, nem mesmo para sua melhor amiga Saz, pois eles ainda não estão preparados para tornar a situação pública. E seus planos de fazer uma viagem de carro com Saz vai por água abaixo, pois a mãe a levará para uma ilha na costa da Geórgia. A mãe de Claude é escritora de livros históricos não-ficcionais e pretende escrever um livro sobre seus antepassados que viveram na ilha, além de ser um momento ideal para ficar longe de tudo.

Claude não fica nada feliz com toda a situação, porém a ilha acaba se mostrando mais do que ela esperava e mais do que ela precisava. É como se a ilha tivesse o estranho mistério de ser aquilo que você mais precisava e Claude descobrirá isso.

E por algum motivo começo a pensar na Claude que eu era antes deste verão, a garota que não sabia que as pessoas vão embora e que o amor pode mudar de ideia.

Além de Claude temos outros personagens que se fazem presentes e o principal deles é Jeremiah “Miah” Crew, um rapaz misterioso que trabalha na ilha. Com Miah, Claude verá um lado diferente da vida, além de viver aventuras e se apaixonar de verdade. Claude verá surgir um lado seu que nunca imaginou.

Antes de começar a ler Sem Ar, eu vi alguns comentários não tão bons sobre o livro. Enquanto lia, fui percebendo o motivo. O livro tem um ritmo bem lento e a protagonista Claude divaga muito com seus pensamentos e isso é algo que se repete bastante durante a leitura. Consegui até sentir um certo distanciamento de Claude, as vezes parecia que ela não estava presente na história. No começo, eu realmente tive dificuldades em criar um bom ritmo e um laço emocional com Claude, mas aos poucos fui me conectando com a história e foi difícil largar o livro. Acabei devorando o livro e terminando a leitura bastante emocionada.

Sem Ar fala sobre a dor da separação dos pais, mas também sobre o crescimento pessoal. Terminar o ensino médio, se separar dos amigos ao ir para uma universidade, o poder do perdão, a descoberta do amor, do sexo e do próprio corpo, etc. Claude terá todos esses enfrentamentos enquanto está presa na ilha com a mãe e terá que descobrir sobre si mesma no processo.

Os capítulos finais foram os mais intensos para mim. O final da história me tocou e emocionou, pude sentir muito o crescimento de Claude ali. E fica a dúvida: o que vem a seguir? O mistério do futuro não nos é revelado, pois só vivendo para saber o que acontecerá. Nada vem pronto e estabelecido, pois a vida não segue um roteiro. Tudo pode mudar e acontecer.

Aqui nós rimos. Aqui brigamos. Aqui amamos e sonhamos. Aqui foi onde o fogo começou. Aqui foi onde o primeiro tijolo caiu. Aqui foi onde o chão desapareceu. Aqui foi onde construí um chão novo sob meus pés. Aqui foi onde eu comecei.

Sei que eventualmente terá mais pessoas que acabaram não gostando da história, mas deixo aqui meu apreço pelo livro e minha recomendação para que vocês a leiam. Jennifer Niven tem uma escrita poderosa, quem já leu Por lugares Incríveis e Juntando Pedaços da autora sabe disso. Apesar da leitura truncada em certos momentos, chega um em que tenho certeza que você se identificará com os personagens e torcerá por cada um deles.

  • Breathless
  • Autor: Jennifer Niven
  • Tradução: Alessandra Esteche
  • Ano: 2021
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 392
  • Amazon

rela
ciona
dos

Os melhores contos de terror para você ler Livros para ler neste Halloween