Tamara Jong é uma jovem coreana que tem tudo para ser uma garota comum. Praticante de algumas artes marciais, ela vive na cidade do Rio de Janeiro com sua mãe, desde que deixaram a Coreia do Sul. Sua vida muda drasticamente quando, ao ser confundida com uma poderosa guerreira, passa a integrar um grupo rebelde pertencente a um mundo paralelo chamado Úlion, que fora invadido dessa vez pelos tirânicos Moneras.

Motivada pelo seu senso de justiça, Tamara, junto com seus amigos revolucionários e a filha do governador de Úlion, Maí-Turá, lutarão para garantir a liberdade de todas as relações interplanetárias. Juntos, esses personagens partirão por várias aventuras, cheias de ação, perigos e intrigas políticas.

A Jornada da Morte é o segundo volume de uma saga de seis livros, porém li este livro sem qualquer dificuldade de compreender as tramas políticas e as problemáticas dos personagens aqui presentes. A narrativa de José M. S. Freire é bastante direta e explora a história nos pontos necessários para esta compreensão, contextualizando o leitor sempre que preciso.

Logo no início da leitura entendemos que Tamara Jong é a grande protagonista desta história, mas sem que outros personagens deixem de ganhar holofote durante as páginas. Vários personagens ganham destaque para mim, como a própria Maí-Turá e Zorach. Outros personagens que aparecem apenas mais para o fim da leitura também me chamaram muito a atenção, mas deixarei de fora para evitar qualquer tipo de antecipação do livro.

Focando mais em Tamara, é muito legal perceber este senso de liderança que ela possui, mesmo sendo tão nova e uma total novata no grupo dos rebeldes. Dá para perceber que ela se entrega de corpo e alma para esta causa, numa guerra que nem sequer começou com ela. Tamara é uma personagem corajosa e que quando está em cena, sentimos o perigo a espreita, então é fácil temer por suas atitudes sempre que ela esta em ação e com sua espada em mãos. Com sua experiência nas artes marciais, entende-se que ela é vista como uma grande lutadora e é até temida entre os inimigos.

Conheça todas as aventuras de Tamara Jong

Em contrapartida, exposto todos os pontos positivos da trama que com certeza lhe roubarão a atenção, é importante salientar que a narrativa reservará momentos de respiro na história, onde temas centrais e importantes serão postos de lado para alguns dramas adolescentes dos personagens, porque é claro, estamos falando de personagens que estão nesta faixa de idade. Então, esta é uma história que também conterá uma certa fatia de romance, que pode ou não agradar o leitor. No meu caso, não funcionou totalmente por não ser relações que agregam totalmente a trama, mas que também não atrapalham no fim das contas.

Tamara Jong: A Jornada da Morte é uma história que vai nos apresentar universos paralelos, portais interdimensionais, novos povos e uma guerra interplanetária que garantirá diversão e um ótimo entretenimento para o leitor. Esta é uma aventura jovem adulta escrita em 2018, mas nada impede que leitores mais experientes explorem as aventuras de Tamara Jong, justamente por ter como pontos de destaque, elementos que intrigam a humidade há tantos anos.

Se você curte histórias com mistérios e que trabalha um futuro desconhecido, novos planetas e novas tecnologias, essa história é para você!

  • Tamara Jong: A Jornada da Morte
  • Autor: José M. S. Freire
  • Tradução: -
  • Ano: 2018
  • Editora: Independente
  • Páginas: 387
  • Amazon

rela
ciona
dos

Lançamentos da Netflix para dezembro 6 Motivos para ler Estúpida Promessa 7 Clássicos preferidos dos leitores O que esperar da 2º temporada de Bridgerton?