Nelson Rodrigues é considerado um dos maiores nomes da literatura nacional, autor de histórias de marcaram gerações. No fim de 2020, a HarperCollins anunciou que começara a lançar novas edições de toda a obra em romance e folhetins de Nelson Rodrigues, muitos dos quais ele assinou originalmente sob os pseudônimos Suzana Flag e Myrna, com enorme sucesso. As novas edições terão textos de apoio de personalidades e estudiosos da obra de Nelson, além de notas que contextualizam a obra, com capas da designer e ilustradora Giovanna Cianelli. Nos próximos anos, a HarperCollins vai publicar mais sete obras em romance e folhetins de Nelson Rodrigues, muitos deles há anos fora de catálogo.

O primeiro título publicado por aqui foi Asfalto selvagem: Engraçadinha, seus amores e seus pecados, considerado um dos livros mais importantes do século XX. A nova edição foi publicada em fevereiro deste ano. A nova edição tem textos de apresentação da escritora Adriana Armony, estudiosa da obra de Nelson, e da escritora e atriz Maria Ribeiro. Publicado originalmente em forma de folhetim entre 1959 e 1960 no jornal Última Hora, Asfalto selvagem teve 112 capítulos que atraíram centenas de milhares de leitores. Pela primeira vez, Nelson Rodrigues assinava um folhetim com seu nome e apresentava ao Brasil a inesquecível Engraçadinha, uma das personagens mais complexas e memoráveis da literatura nacional.

Publicada originalmente em 1944, Meu Destino é Pecar inaugurou uma série de romances de Nelson Rodrigues que nasceram nas páginas dos jornais, em formato de folhetim. A criação foi a primeira assinada sob o pseudônimo feminino de Suzana Flag, e sua versão em livro arrebatou um sucesso estrondoso ao vender 20 mil exemplares em 40 dias. A obra foi a primeira obra do escritor a ganhar uma adaptação cinematográfica, realizada pelo diretor argentino Peluffo, em 1952. A história também deu origem a uma minissérie na TV Globo, em 1984, adaptada por Euclydes Marinho e com Lucélia Santos, Tarcísio Meira e Marcos Paulo nos papéis principais.

O Casamento, escrito sob encomenda do jornalista, político e editor Carlos Lacerda, foi a primeira que Nelson Rodrigues publicou como romance e o primeiro livro a ser censurado no Brasil durante a ditadura militar, não sem antes ter duas edições esgotadas em dois meses. A nova edição da obra conta com textos de apoio da atriz e cineasta Bárbara Paz e do jornalista Paulo Werneck, editor da revista Quatro Cinco Um. Em 1974, a obra ganhou adaptação cinematográfica feita por Arnaldo Jabor, com Paulo Porto e Adriana Prieto nos papéis principais. O filme conquistou dois Kikitos no Festival de Cinema de Gramado.

Nelson Falcão Rodrigues foi um escritor, jornalista, contista e cronista de costumes e futebol. É também considerado o mais influente dramaturgo brasileiro. Nascido em Recife, o autor mudou-se para o Rio de Janeiro em 1916, onde trabalhou como jornalista e repórter. Anos mais tarde, em 1941, Nelson Rodrigues escreveu sua primeira peça de teatro, chamada A Mulher sem pecado. Ao todo foram dezessete peças teatrais, nove romances, seis contos e diversas crônicas, das quais muitas ganharam adaptação para o cinema e novelas.


E aí? Ansiosos para o próximo lançamento do autor nestas novas edições por aqui? Me conta qual deve ser a próxima!

rela
ciona
dos

Lançamentos da Netflix para dezembro 6 Motivos para ler Estúpida Promessa 7 Clássicos preferidos dos leitores O que esperar da 2º temporada de Bridgerton?