Nossa Parte de Noite | Mariana Enriquez

18 out, 2021 Por Clara Vieira

Escrever sobre Nossa Parte de Noite, novo livro de Mariana Enriquez, mostrou-se desde o princípio como um desafio. Como poder falar sobre um livro tão intenso e diverso sem entrar em detalhes ou dar spoilers? A dificuldade já começa em apresentar a sinopse. O livro se inicia com uma viagem de carro entre pai e filho, Juan e Gaspar, rumo à fronteira entre Argentina, Paraguai e Brasil. Logo fica evidente que o pai está tentando proteger o filho de um mal relacionado a uma seita ocultista denominada a Ordem, mal este que parece estar relacionado à morte da mãe de Gaspar. Isto, no entanto, é apenas o princípio de uma história na qual acompanhamos essa família, assim como o mal que os assola, durante locais e épocas variados. Este, inclusive, é um dos traços únicos do livro de Enriquez: sua narrativa não-cronológica, e que, em seus seis capítulos, alterna pontos de vista diversos, com trechos em primeira e terceira pessoa. 

Este formato de narrativa permitiu, inclusive, a construção de um mistério envolvente ao redor de toda a história, que vai se desvelando conforme obtemos informações de outros personagens, de outros contextos históricos, de outros lugares. Minha sensação ao ler foi a de estar envolta em uma camada de névoa, e conforme essa névoa ia se desfazendo, sentia terror com a compreensão do que havia por trás. Terror porque Nossa Parte de Noite foi uma das histórias que mais me assombrou desde que comecei a ler este gênero literário. Talvez os fãs de carteirinha do gênero não fossem assim tão impactados, mas acredito que ainda assim este é um livro que está longe de ser adequado para iniciantes ou pessoas que prefiram um terror mais leve. Vale aqui inclusive deixar claro o aviso de gatilho para cenas de tortura, violência física (incluindo menção a estupro) e psicológica.

Nossa Parte de Noite, além de conter as cenas acima mencionadas, também se passa em um contexto histórico muito violento na Argentina, iniciando sua narrativa no fim da ditadura que ocorreu neste país entre os anos de 1976 a 1983. Este contexto histórico dá à narrativa uma ambientação tensa e violenta, que se mistura com a violência vivida pelos protagonistas. Nesse sentido, Enriquez não hesitou em denunciar em sua narrativa as graves agressões cometidas pelos militares à época, com torturas, sequestros, perseguição a homossexuais e opositores políticos, dentre outros aspectos. 

Este não foi, no entanto, o único pano de fundo histórico utilizado pela autora, que teceu uma intrínseca rede relacional entre fantasia e realidade, a ponto de ser difícil distinguir uma da outra. Em diversos momentos me percebi tendo que pausar a leitura para pesquisar se um determinado acontecimento era real ou inventado pela escritora. Descobri inclusive que algumas das descrições mais atrozes eram verdadeiras, tal como a morte de Omayra Sánchez, garota colombiana que faleceu em condições sofridas. Quais, deixo aqui para descobrirem ao lerem “Nossa Parte de Noite”. Além disso, muitos costumes culturais são descritos nessa história, como o consumo de mate e churros e o culto a São Morte, tornando esta leitura uma forma de aprender costumes de outro país ao mesmo tempo em que se entretém.

Não basta falar de terror para descrever este livro, no entanto, Nossa Parte de Noite está recheado de personagens profundos, bem desenvolvidos, cujas falhas nos enredam em uma série de reflexões, relacionadas a assuntos tais como: o poder e a violência cometida para se obter e perpetuar esse poder; como as crenças das pessoas refletem (e ao mesmo tempo as tornam) quem são; até onde se iria por uma pessoa amada; como criar alguém envolto em segredos pode influenciar a vida desta criança. Além de tudo, é uma história com diversidade, tendo personagens homossexuais e bissexuais. 

Acredito que Nossa Parte de Noite possa agradar fãs de Stephen King, por aspectos e pela atmosfera presentes na história que por vezes remetem ao escritor, que é uma das referências de Mariana Enriquez. Indico ainda este livro para todos os fãs de um terror bem escrito e desenvolvido, com um pano de fundo rico e que desenvolve personagens profundos, falhos e interessantes. 

  • Nuestra parte de noche
  • Autor: Mariana Enriquez
  • Tradução: Elisa Menezes
  • Ano: 2021
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 544
  • Amazon

rela
ciona
dos

6 livros para seis signos Lançamentos da Netflix para dezembro 6 Motivos para ler Estúpida Promessa 7 Clássicos preferidos dos leitores