O voo 416 tinha acabado de sair do aeroporto de Los Angeles, na Califórnia, com destino à New York, seu objetivo era atravessar de oeste à leste o terreno americano, para aterrizar em segurança a beira de outro oceano. Mas aquele seria o trajeto mais tenso já pilotado por Bill, o comandante do avião, que em meio às nuvens receberá um e-mail que definirá o futuro daquela viagem: sua família havia sido sequestrada, sua mulher e seu filho estavam amarrados e enclausurados, e a vida deles dependia que Bill derrubasse o avião.

É isso, uma escolha difícil de se fazer, eu diria até mesmo que é impossível, deveria ele matar todos em um avião lotado para salvar sua família? Ele decide então brigar, sua resposta na mensagem é: este avião não vai cair e minha família não vai morrer. Apesar de decidido na resposta do e-mail, ele está longe de ter certeza se aquilo dará certo, e principalmente, se ele estava realmente decidido a brigar daquela forma.

Em Queda é um livro muito original, não pelo fato de tratar sobre o sequestro de um avião, mas sim pela sua forma de narrativa, que ocorre em plano sequência, relatando fatos diretos, sem passagens de tempo, o que aumenta a tensão entre obra e leitor. Fazendo a ansiedade de quem lê aumentar a cada nova página, principalmente pelo fato de que as coisas no voo vão degringolando e o perigo de que o avião realmente caia, ou que a família do piloto seja morta, cresce a cada nova linha.

Mas, apesar de original e de uma narrativa bem interessante, o livro não me agradou totalmente, vi uma obra com muito potencial mas que na verdade não conseguiu me prender como eu esperava, que gostaria de um enredo mais robusto e melhor elaborado, que desse mais detalhes sobre a trama. Isso é muito importante para mim em histórias e achei que neste livro ficou bem aquém do desejado, mas claro, isso é uma preferência minha.

O livro também traz alguns mistérios interessantes, como a dúvida sobre a decisão que o piloto irá tomar, quem seria o sequestrador (ou sequestradores), onde o avião deveria cair exatamente e os motivos que motivaram aquele ataque. Porém também achei que o livro entrega pouco sobre estes fatos, não que ele não finalize cada um destes pontos, mas poderiam ter sido muito melhor explorados, com mais relatos, mais pistas, mais informações sobre o que estava acontecendo.

Nem sempre esconder informações do leitor torna o suspense mais atrativo, as vezes queremos saber mais sobre isso, isso faz quem lê se sentir parte da história, parte das investigações e do perigo, fazer muito mistério em relação à trama faz com que o leitor se sinta longe dela, e a conexão entre livro e espectador não aconteça. Pelo menos foi assim que eu me senti, completamente a parte da história, e olha que eu tinha ótimas expectativas pra ela, estava mega ansioso por essa leitura, mas acabei me decepcionando.

Em Queda é o primeiro livro da escritora americana, T. J. Newman, vi um potencial interessante na sua escrita, principalmente por notar que ela busca novos caminhos para seus roteiros, é super comum primeiros livros de autores terem falhas e não agradarem a todos leitores. Aconteceu comigo, por exemplo, com Charlie Donlea, em A Garota do Lago, onde ele cria um final que chega muito perto de estragar seu livro, ele notou que deu uma mancada ali e nunca mais tentou enganar os leitores.

Então se, assim como eu, você também não gostou de Em Queda, não deixe de comprar o próximo lançamento de Newman, ela tem qualidade e com certeza irá melhorar estes detalhes na sua próxima obra, agora é torcer que a autora lance novos livros, já que ela não lançou mais nada ainda, mesmo lá nos Estados Unidos.

 

  • Falling
  • Autor: T.J. Newman
  • Tradução: Marina Della Valle
  • Ano: 2021
  • Editora: Planeta de Livros
  • Páginas: 272
  • Amazon

rela
ciona
dos

6 livros para seis signos Lançamentos da Netflix para dezembro 6 Motivos para ler Estúpida Promessa 7 Clássicos preferidos dos leitores