Esplêndida, A História de Emma é o primeiro volume da trilogia Damas Rebeldes, da autora Julia Quinn. O segundo livro, Brilhante, A História de Belle, também já foi publicado pela Arqueiro, o terceiro já possui título e capa, Indomável, A História de Henry.

Emma é americana e está passando uma temporada em Londres na casa de seus primos. Por ser de outro país, ela possui costumes diferentes e até mesmo pensa diferente em muitos assuntos. A ideia é que ela passasse a temporada de festas em Londres para quem sabe achar um marido. É claro que essa ideia foi de seu pai, pois ela não pretende arrumar nenhum londrino.

Ao sair de casa vestida de criada, Emma salva a vida de uma criança que ia ser atropelada por uma carruagem. Isso causa uma comoção na mãe e no tio da criança, o duque de Ashbourne, um solteiro convicto. Para piorar a situação, o duque se sente atraído pela moça, e resolve dar um beijo, pois ela é somente uma empregada mesmo. Para surpresa de Alex e para o pavor de Emma, nessa temporada londrina, os dois vão ficar mais pertos do que imaginam. Será que esses corações teimosos vão se render ao amor?

Bravura não era algo que Alex estava acostumado a ver em mulheres, mas aquela jovem criada misteriosa acabara de demonstrar exatamente isso. Ele estava interessado nela, tinha que admitir.

Uma coisa curiosa sobre a minha relação com os romances de época é que eu leio menos do que eu gostaria, mas minha experiência envolve muito a Julia Quinn, já são mais de 10 livros lidos da autora. Esplêndida é o primeiro livro escrito pela autora, e para um primeiro livro já gostei muito do que ela apresentou na trama. Apesar de ser um livro com muitos acontecimentos mais para o final da trama, dá para perceber que a escrita da autora sempre foi muito gostosa, leve e divertida.

O que eu mais gostei no livro foi o fato de termos uma protagonista ruiva e americana. Isso causa todo um alvoroço na sociedade londrina. Emma é divertida, inteligente e muito decidida. Eu achei muito interessante a problemática por trás dessa protagonista, o fato de ela querer comandar os negócios da família mostra quão a frente de outras mulheres no quesito independência ela está. Essa é sua preocupação a todo momento, e mesmo apaixonada por Alex, esse seu objetivo não muda. Ela faz a todo momento, falas engraçadas para confundir a cabeça das mulheres londrinas sobre costumes estadunidenses, eu amei!

Alexander Ridgely é o verdadeiro solteiro convicto que só quer curtir a vida. Apesar de ser bem educado o livro todo, ele peca no momento que acha que a Emma é uma empregada e beija ela, me deixou com um pouco de raiva. Ele vê ela como uma qualquer e por isso se aproveitar dela não teria problema, mesmo a autora escrevendo essa cena de forma delicada, isso me incomodou.

Contudo, fora esse deslize, ele é encantador. Gostei muito de como ele se entrega ao que está sentindo sem resistir muito, mas sabe que devido a escolha de Emma, não casar para cuidar dos negócios da família, ele mantém seu discurso de não querer casar também. Chega a ser cômica essa postura de dois apaixonados.

Já conhecemos bastante também Belle, a prima de Emma. Ela é a protagonista do próximo livro e tem um papel muito importante nos acontecimentos desta trama. Esplêndida mostrou que Julia Quinn já começou seus livros com muito talento. O livro tem tudo que fãs de romance de época tanto gostam, romance cão e gato, personagens cativantes, um pouco de confusão e cenas sensuais. Vou ansiosa para a leitura do próximo livro da trilogia.

  • Splendid
  • Autor: Julia Quinn
  • Tradução: Ana Rodrigues
  • Ano: 2021
  • Editora: Arqueiro
  • Páginas: 336
  • Amazon

rela
ciona
dos

6 livros para seis signos Lançamentos da Netflix para dezembro 6 Motivos para ler Estúpida Promessa 7 Clássicos preferidos dos leitores