Calmaria Forçada é o livro de estreia da autora nacional Rosane Montalvão, publicado pela editora Geração.

Aqui conheceremos Alana, uma bailarina que está passando por um momento muito triste. Seu filho cometeu suicídio e isso tirou todo o brilho de sua vida. Há muitas perguntas por trás da morte do filho e isso assombra Alana todos os dias. Em contraponto, seu marido Daniel, tenta levar a vida a sua própria maneira, jogando para baixo do tapete toda a dor que ambos carregam. Com a instabilidade emocional de Alana, ele resolve interná-la num hospital psiquiátrico, ao mesmo tempo que precisa lidar com seus próprios demônios.

Antes de tecer mais comentários sobre essa leitura é importante salientar que essa história possui vários gatilhos, como violência e temas sensíveis, portanto, se você é um leitor que possui certa dificuldade para lidar com esses tipos de assunto, é bom ter cautela.


A narrativa de Calmaria Forçada é breve e objetiva, o que ajuda muito na leitura. Aos poucos esse terror psicológico vai se desenvolvendo e cada vez mais vamos mergulhando neste enredo perturbador e surpreendente. A forma que isso acontece é através de capítulos intercalados por Alana e Daniel, dois narradores não confiáveis que ajudam a confundir a cabeça do leitor sobre suas intenções e sanidade.

A minha experiência com essa leitura foi bem interessante, a sinopse pouco entrega sobre a trama, o que me ajudou e muito para que o livro me fisgasse desde o começo. O mistério envolvendo a morte do filho do casal protagonista é levado de uma maneira bem precisa pela autora, e os personagens são igualmente bem estruturados, fazendo com que a complexidade de cada um, seja elementos essenciais da história e nas surpresas que nos aguardam.

Neste ritmo, somos levados para os horrores que Alana passa neste local, que mais se parece com um hospício, que é nada seguro como prometeram. Aqui o terror criado pelo autora é digna de cinema, que repugna, preocupa e causa um certo receio ao leitor pelo bem estar da personagem. Algumas cenas são bem cruas e aos poucos vamos percebendo que dificilmente essa será uma história com um final feliz.

A trama desenvolve temas bastante obscuros da nossa existência, como vida e morte, sanidade, dor, traumas e religião de certa forma. A autora flerta com elementos do gênero muito bem, confundindo o leitor com o real, imaginação e sobrenatural, pois a partir do momento que tudo pode ser interpretativo, a leitura começa a ficar bastante bizarra.

A edição está belíssima, em capa dura, soft touch, corte colorido e com uma ótima diagramação. Vale super a pena, e eu ainda recebi um kit lindo de divulgação, com caneca e ecobag, que nunca é demais.

Se você procura um bom thriller psicológico, que mexe com as expectativas do leitor, Calmaria Forçada é um bom livro, é breve e entrega bastante. Só como disse, tenha cautela para não se impressionar com as páginas criadas por Rosane Montalvão.

  • Calmaria Forçada
  • Autor: Rosane Montalvão
  • Tradução: -
  • Ano: 2021
  • Editora: Geração
  • Páginas: 160
  • Amazon

rela
ciona
dos

Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário” Junji Ito anuncia série de terror pela Netflix Lançamentos de livros que chegarão as livrarias em breve