Resenha: Lost Boys

17 set, 2014 Por Joi Cardoso

Título Original: The Lost Boys
Autora: Lilian Carmine
Ano: 2013
Editora: LeYa
Páginas: 434
Amazon – Saraiva

Sabe aquelas histórias fofas? Que te fazem dar aqueles suspirinhos e sorrisos durante a leitura? Lost Boys é assim, sem enrolações e nem complicado demais. Quando escolhi o livro para resenhar, eu não tinha ideia do que esperar, mas fiquei muito feliz com a minha escolha e logo mais no final eu conto o motivo.
Lost Boys da autora Lilian Carmine contará a história de Joe Gray, uma garota de 17 anos de idade (sim, eu disse uma garota!), que em breve entraria para seu último ano no ensino médio e se mudaria para o semi-internato Sagan. Joey também é nova na pequena e estranha cidade Esperanza, e em um dia sem ter o que fazer, resolve dar uma volta pela vizinhança. Em meio a sua andança, ela acaba nas alamedas do cemitério da cidade, onde Joey encontro um garoto, aparentemente com sua idade, obviamente lindo, com olhos cinzentos marcantes e com um lindo sorriso, daqueles que te fazem perder o ar. O que a surpreende é que o menino ao vê-la parece surpreso e confuso. Seriam as roupas masculinas e largas que Joey costuma usar? Não.
Intrigada pela reação dele, Joey fica ainda mais interessada e logo se apresenta. Ela descobre que ele se chama Tristan Halloway. Neste encontro ela descobre pouquíssimas coisas sobre o garoto, o que faz com que suas visitas ao cemitério passem a ser mais seguidas, aparentemente era ali que ele deveria trabalhar, mas ela nem desconfiava que Tristan tem um motivo maior, para estar sempre vagando por ali.

“- É melhor sentir dor e estar vivo do que não sentir nada. – ele disse em voz baixa. – Estar morto é uma droga.”

Eu adoro histórias sobrenaturais e é claro que eu adorei Lost Boys, os personagens são uns amores e o desenvolvimento e características de todos é minuciosa e incrível, a autora soube nos passar cada detalhe das personalidades deles. A narrativa de Joe é descolada e objetiva, eu adorei. Eu nunca tinha lido nada com fantasmas (ainda não li A Mediadora, pois é) e posso dizer que me diverti e me emocionei muito com está história, que brinca com o destino de uma forma encantadora. De alguma maneira (vou deixar o suspense no ar), Tris volta a vida por causa de Joey e logo ele estaria também matriculado em Sagan, aos pouquinhos os dois vão se apaixonando e você acaba se derretendo toda com todos os hábitos antigos e fofos que ele tem.
Em Sagan as coisas começam a se desenrolar e logo Joey e Tristan arrumam algumas confusões, encontram amigos verdadeiros e até entram em uma banda. Por alguns momentos durante a leitura eu até esquecia que se tratava de um romance sobrenatural, o que é um ponto forte no enredo, sem querer, Lilian nos presenteia com duas histórias em uma, pelo menos até as consequências de Tristan estar novamente vivo começarem aparecer.
Além de enfrentarem seus corriqueiros problemas da adolescência, como as atividades na escola, o romance propriamente dito, as festas, as apresentações da banda e tudo o mais, eles deveriam prestar contas com um ser batizado por Joey de Virgílio, o responsável de acertar o “erro” cometido por eles, já que de acordo com o óbvio, eles não haviam nascido para ficarem juntos. Caso Virgílio consiga concluir sua missão, Tristan voltará a ser um fantasma ou poderá até desaparecer de vez da Terra, deixando para trás o amor de sua vida, mas se foi o destino que os uniu, será que ele poderia separá-los novamente?

“Ironicamente, a Morte era minha única esperança”

Eu dei muitas gargalhadas com a leitura de Lost Boys, dei pequenos suspiros, por vezes vi meu coração se apertar e também fui levada às lágrimas. Óbvio que o final me deixou com aquela sensação de falta, pois a autora deixou muitas pontas soltas no enredo e muitas perguntas sem respostas, o que quase me levou ao desespero. Na edição também houveram alguns erros revisão, mas nada que tirasse o brilho ou comprometesse a história em si.

Por fim, lembram que no começo da resenha falei que ia contar a parte que me deixou mega feliz? Foi quando o desespero já tomava conta do meu ser que resolvi dar uma pesquisadinha na internet como quem não quer nada sobre o livro e descobri que na verdade, Lost Boys se trata de uma trilogia, ou seja, eu terei sim, todas as explicações que Lost Boys deixou pendente.

“A vida ao seu lado é cheia de possibilidades”

Mas o que realmente me deixou de queixo caído é que na verdade, Lilian Carmini é o pseudônimo de Bruna Brito, uma paulistana que nunca morou fora do país. Após ser negada em diversas editoras a autora resolveu publicar sua história no site Wattpad, e apenas depois, com sua história em inglês que ela ganhou notoriedade. Definitivamente a autora resolveu escrever em inglês para ser lida. Obrigada a Editora LeYa por ter apostado e publicado o livro da Lilian, a edição está linda e a capa é sensacional, com todo este ar sombrio e romântico ao mesmo tempo. As capas das continuações também são lindas e recebem os nomes de Lost Girl e Lost and Found. 
Com toques de humor adolescente, romance, suspense, drama e uma boa banda de rock, Lost Boys me conquistou com seu jeito fofo. Se você gosta de juvenis, que tenha tudo isso acima, contado de uma forma leve, atual e bem divertida, Lost Boys é uma ótima pedida. Por último, deixo a dica: a autora lutou para conseguir seu reconhecimento, por isso eu digo, deem uma chance para o que ela tem a contar.

– Confira também a entrevista que fizemos com a autora Lilian Carmine.

rela
ciona
dos