Provavelmente eu consegui material para ter pesadelos durante um ano inteirinho. Juro, é surpreendente o quanto o ser humano pode ser cruel e realizar coisas que parecem pura ficção, é quando eu realmente acredito que a arte imita a vida e não o contrário. E baseado nisso, hoje trouxe para vocês três produções que estão disponíveis na Netflix, sobre casos REAIS, que mais parecem roteiros de filmes de terror. É assustador, é de arrepiar, é de fazer pensar e temer. Histórias que irão mexer com suas mentes e questionar, qual o limite da monstruosidade humana?

IMPORTANTE: Esse post contém temas sensíveis, violência, abuso e pode provocar gatilhos

Inacreditável, é uma minissérie com oito episódios e nos apresenta Marie, uma jovem de dezoito anos que relata ter sido estuprada em sua própria casa. O crime é horrível e a maneira como o judiciário lida com o caso é ainda pior, os policiais são desdenhosos, e até a mãe adotiva coloca em dúvida o seu relato, levando a polícia a abandonar a investigação logo em seguida com a acusação de que ela teria feito um falso boletim de ocorrência.

O primeiro episódio é perturbador e muito incômodo, principalmente pela maneira descuidada e leviana como tratam a vítima logo após ela ter sido estuprada, a colocando em situações de opressão, onde a polícia a faz reviver muitas e muitas vezes o ocorrido sem nenhum respeito. Quando a vítima se torna o agressor/culpado?

Confira a resenha de Falsa Acusação

No segundo episódio temos uma nova vítima, em um novo local, tendo como detetive uma mulher, Karen Duvall e a maneira como ela lida e conduz o caso é completamente diferente, e essa mudança de tom é muito importante para a história e para que o publico entenda a fragilidade da situação. O quanto é importante o amparo, o respeito, e o tempo da vítima. Dando espaço para que ela seja capaz de compreender o que lhe aconteceu, antes de ser capaz de passar a informação adiante.

Ao longo dos demais capítulos passamos a conhecer novas vítimas que passaram por estupros com o mesmo modus operandi, mas agora temos duas detetives investigando – Karen e Grace -, que realmente acreditam e com muita vontade de desvendar quem é o maníaco sexual.

Revoltante, cruel e ácido, é impossível assistir essa série sem sentir repulsa e empatia, querendo buscar justiça e implorar por um melhor preparo para aqueles “profissionais” que lidam com crimes tão complexos, onde as vítimas precisam de amparo e no mínimo respeito. Marie é uma vitoriosa, tudo que ela passou e precisou passar por ter escolhido denunciar é de fato Inacreditável.


The Keepers, é uma série documental com sete episódios que tenta desvendar o mistério por trás da morte da Irmã Cathy. Uma freira que dava aula de inglês numa escola católica exclusiva para meninas, na cidade de Baltimore, que foi assassinada no dia 7 de novembro de 1969, mas que só foi encontrada dois meses depois em 3 de janeiro de 1970. O caso nunca foi solucionado. E acreditasse que ela tenha sido morta por descobrir uma série de abusos sexuais cometidos/administrados por um padre local – Joseph Maskell, e um outro padre professor – Neil Magnus, dentro da escola em que ela lecionava.

Ao longo dos episódios a série recria os dias que antecederam a morte da Irmã Cathy, assim como os dias após o seu desaparecimento, e vamos descobrindo aos poucos o que de fato teria acontecido com base em entrevistas e depoimentos da vítimas que entregam o esquema de abuso sexual na escola, onde as meninas eram chamadas até o gabinete do padre que informavam as jovens que elas eram pecadoras e somente ele poderia “purifica-las”. E a verdade é que isso é apenas uma pontinha do iceberg, que escondia uma grande rede de abusos, estupros, violência, opressão e muita barbárie, envolvendo não apenas os dois padres que tinha contato direto com as jovens, como outros homens que eram vistos como autoridades, entre eles inclusive policiais.

Todos os relatos são cruéis, dolorosos e de enojar o espectador. Principalmente porque vemos os bastidores conspiratórios da igreja católica, assim como a arquidiocese que tenta de várias maneiras encobrir os casos de abusos e assassinatos. Outro ponto que também chama a atenção é que até hoje o caso ainda é tratado com banalidade e visto como acusações mentirosas, ou seja, os envolvidos estão intactos, a não ser as vitimas que não tiveram uma chance, já que após algumas investigações rasas, o caso foi arquivado.

Frustrante, revoltante e capaz de nos deixar inconformados, The Keepers é muito mais do que relembrar o assassinato de uma Irmã que teve a “infelicidade” de descobrir um esquema sólido de abuso sexual, ela se importava com as alunas e de alguma forma ameaçou aqueles que cometiam os crimes, levando-a ao final trágico que teve. Aqui temos vítimas ganhando voz, podendo gritar e colocar para fora tudo que foi silenciado durante anos e anos de opressão, medo, vergonha e desespero. E isso sim, é chocante, aterrorizante e agonizante. São mulheres que enfrentaram o pior da natureza humana e que apesar de sobreviverem, nunca mais foram as mesmas.


Bandidos na TV, é uma minissérie documental que se passa no Brasil, com sete episódios e conta a história de Wallace Souza, criador e líder do extinto canal livre, e também ex-deputado, que foi acusado de ser chefe de uma facção criminosa, que ordenava a morte de outros criminosos e depois enviava equipes para filmá-los, conseguindo assim aumentar sua audiência. Wallace faleceu em 2010, mas até hoje é tido como uma figura contraditória e marcante.

O extinto canal livre ficou famoso por sua irreverência, pela notícia afiada e precisa, imagens gráficas e reais de assassinatos, mas principalmente por seu apresentador destemido, que gritava para todos ouvirem seu ódio pelo tráfico de drogas na região que parecia aumentar a cada dia, Wallace Souza nunca escondeu seu ódio por bandidos, mas mais que isso, ele dava voz para os pobres, para todos que precisavam de ajuda e iam até seu programa pedir socorro. Ele se importava com os menos favorecidos e essa ideia de apresentador do povo, que luta por justiça foi lhe rendendo mais fama e poder. Tornando seu programa líder de audiência, aclamado pelo público que o idolatrava, e o viam como um verdadeiro herói. Wallace trazia esperança, fazia a população acreditar que a impunidade chegaria ao fim.

Tudo isso, somado a sua sede por justiça e a busca incansável para vencer o crime o levou a ganhar três mandatos como deputado estadual, atingindo recordes de votação, só que tamanha exposição também atraí outros olhares e em 2009 a carreira imaculada de Wallace começou a ruir após diversas denúncias anônimas que o acusavam de ter ligação ao crime organizado. Será que ele realmente matava para poder noticiar?

Conforme os episódios vão passando compreendemos por meio de depoimentos, entrevistas e arquivos da época, como Wallace se ascendeu e como precisou enfrentar o caos que virou sua vida, e nos damos conta de que toda a situação era ainda mais complicada do que apenas matar para conquistar mais audiência. Disputa por poder, política, mentiras, mortes, pistas falsas, lacunas, medo, tristeza, impunidade, medo e muito mais. Um emaranhado que com certeza vai te deixar chocado, arrepiado e por vezes enojado.


Bem, essas são minhas três dicas para começar a esquentar seu mês do horror. Agora me conta, você já conhecia alguma? Aproveita e deixa outras sugestões nos comentários para mim e para todos os demais leitores lindos aqui do Estante Diagonal.  Até a próxima! Bye.

rela
ciona
dos

Livros para ler neste Halloween 4 livros que falam sobre relacionamentos abusivos