Um crime que chocou o país, que mesmo após ter sido cometido segue sem uma solução completa e faltando muitas respostas para questões fundamentais. Era a noite de 14 de Março de 2018, no Rio de Janeiro, uma vereadora e seu motorista são assassinados enquanto estavam voltando para casa, dentro do carro apenas uma pessoa consegue sobreviver, o caos político e policial estava instaurado para nunca mais ser remediado.

Não gosto muito de ler livros políticos, e este livro, por tudo que há por trás dos assassinatos, obviamente teria muita coisa política, muitas críticas ao governo atual, aos governadores e prefeitos do Rio de Janeiro. Sendo assim peguei ele com receio, queria saber exatamente sobre o crime, este era meu objetivo, me inteirar sobre as investigações e os acontecimentos por trás do duplo homicídio. E posso adiantar a vocês que o livro entrega exatamente isso.

A obra começa apresentando ao leitor quem era Marielle e Anderson, dando uma introdução à importância do trabalho da parlamentar, negra e de periferia, junto à comunidade LGBTQI. Em seguida explica como o crime ocorreu, para depois falar das minucias das investigações, comentando inclusive sobre os suspeitos que acabaram sendo descartados com o tempo. O livro na sua primeira metade menciona a família Bolsonaro pouquíssimas vezes, deixando o fato de haverem suspeitas de que alguns dos componentes do clã familiar do Presidente da República possa estar de alguma forma relacionado ao crime, apenas para os últimos capítulos da obra.

Não acho isso importante por uma defesa ao presidente e seus filhos, mas acredito que todo livro que acaba levantando assiduamente uma bandeira partidária perde um pouco da sua credibilidade, e este era um medo muito grande para mim. Já vi muitos livros que simplesmente deixam de contar a história que tinha se proposto para tecer críticas a políticos e seus partidos, ou que se utilizam de páginas para fazerem críticas ideológicas, deixando completamente de lado a proposta principal do seu enredo. Não estou dizendo que este tipo de livro não pode existir, mas ele não me agrada, mas ainda bem que os jornalistas Chico Otávio (responsável pela biografia não autorizada de Eduardo Cunha, político preso em 2016) e Vera Araújo, conseguiram formular um livro-reportagem, onde os fatos são o mote central da história, sem deixarem de dar suas opiniões.

Acho muito importante, e valorizo, jornalistas que sabem dosar a maneira como darão suas opiniões, que constroem uma narrativa livre da batalha esquerda x direita, que acabam norteando muitas das discussões no nosso país nos últimos anos.

Mataram Marielle é necessário, muito bem escrito, e pra quem está procurando um livro sobre um dos crimes que mais marcaram nosso país nos últimos anos é sim uma belíssima obra de True Crime, inclusive, com mais informações que o seriado lançado no Globoplay, por exemplo, chamado Marielle, O Documentário. O livro, explica sobre o porquê milícias são suspeitas de terem mandado assassinar a então deputada, conta como nomes como Adriano da Nóbrega e Roni Lessa entram como principais suspeitos e como eles acabaram presos, e elabora diversas vertentes de como poderia ter ocorrido o crime, desde analisar o seu mandante até chegar ao momento em que o carro dirigido por Anderson acabou alvejado no meio da rua.

Marielle e Anderson foram mortos, a polícia muito provavelmente sabe por quem e por que, não consegue provar, ou não quer. Independente do seu viés político, é um crime que precisa ser elucidado, não querer isto não é ir a favor do presidente ou contra bandidos, é ir contra a humanidade. Todos os crimes devem ter seus culpados presos e devemos sim clamar por justiça à Marielle e Anderson! Livros como Mataram Marielle são muito importantes, trazem histórias reais e só sabendo dos erros cometidos, que permitiram que estes assassinatos ocorressem, é que poderemos melhorar para termos mais segurança.

Gostei muito da leitura, foi melhor do que eu esperava, ele não é completo, já que nem a verdadeira história está completa ainda, mas apresenta até fotografias dos envolvidos e diversos dados retirados de pesquisas feitas pelos jornalistas. Ele entrega tudo que eu queria, deixando um pouco de lado a política e dando a importância necessária ao trabalho de Marielle e às consequências da sua morte, além de ser um livro bem rápido de ser lido. Para aqueles amantes da literatura sobre True Crime, que têm crescido nos últimos anos aqui no Brasil, é uma obra muito boa.

Seguimos torcendo para que esta história possa ter um final, que não será feliz, pois seu início já foi trágico, mas que a memória dos mortos na ocasião mereça que tudo que envolveu os assassinatos seja descoberto e que seus algozes sejam presos, todos eles.

  • Mataram Marielle
  • Autor: Chico Otavio e Vera Araújo
  • Tradução: -
  • Ano: 2020
  • Editora: Intrinseca
  • Páginas: 224
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023