Caros leitores, irei fazer uma confissão, eu costumo escrever minhas resenhas seguindo um padrão que criei e sempre acreditei funcionar muito bem para entregar a minha experiência de leitura para vocês. E com quase oito anos resenhando, alguns livros e leituras acabam pedindo, necessitando uma entrega um pouco diferente – casos raros -, justamente por não conseguir encaixar nesta estrutura. Estou aqui a horas, olhando para o documento em branco e simplesmente não flui, e foi então que entendi, que Os Segredos que Nos Cercam, era um destes casos especiais, que está me pedindo para ser entregue a sua própria maneira.

O que falar desta leitura… pausa dramática. Exatamente, as palavras fogem, porque você inicia a leitura esperando uma coisa, e quando se dá conta, está preso em uma teia de segredos, e acontecimentos que te roubam o fôlego e te levam por um espiral de emoções aos quais você não pensou que iria vivenciar. A sinopse desta obra, não faz jus ao que ela tem a oferecer, e acredito que isto seja proposital, porque é muito difícil falar dela sem entregar alguma coisa importante. Mas, irei tentar.

O pior de tudo é que sei que ficarei em êxtase quando um doador for encontrado, mas isso não vai acontecer a menos que alguém morra primeiro. Como podemos ficar felizes quando outra família acaba de perder alguém que ama?

Junho de 1975, Mary está casada com Thomas, o homem por quem é apaixonada desde os cinco anos de idade, eles estão lutando para buscar estabilidade, e aumentar a família, sim, o grande desejo de ambos é ter um filho. Enquanto ela cuida de sua pousada, ele é minerador, e pensar nos riscos que ele corre, deixa Mary agoniada cada vez que ele sai para trabalhar. Só que isso está prestes a mudar, já que Thomas prometeu repensar o seu emprego e passar a ajudá-la com a pousada. Quarenta anos se passam, estamos em março de 2016 e nos deparamos com o pequeno Jake, um garotinho de cinco anos que precisa urgente de um transplante de rim, o futuro dele está nas mãos, ou melhor, na fala de sua avó, Mary, que antes que pudesse revelar o segredo que guardou ao longo de todos estes anos, falece, deixando Beth e Michael, pais de Jake, desesperados. Eles não são compatíveis, não podem ajudar seu filho, e o último fio de esperança se vai, quando Mary, mãe de Beth morre, levando consigo o segredo sobre seu pai.

Ainda enlutada, sofrendo pela dor e saudade da mãe, ao mesmo tempo que um tanto entristecida por nunca ter tido a confissão sobre seu pai, Beth busca forças e vai até a casa de Mary tentando obter alguma pista, algo concreto que possa oferecer quem sabe uma fonte de informação, e é então que ela se depara com um recorte de jornal, uma carta sem sentido e dois nomes. E essa jornada ao passado em busca de respostas, irá virar a vida de Beth e sua família, do avesso.

A terra tinha sito tirada do eixo, e de repente tudo era diferente. Assim como os cientistas procurariam um jeito de desviar o curso de um asteroide que se aproximasse, evitando, assim, uma colisão catastrófica com o Planeta Terra, essa carta alterava a trajetória de sua vida.

Eu não posso entrar em detalhes e falar de personagens que chamaram minha atenção, me emocionaram, e partiram meu coração ao longo da leitura, mas posso compartilhar com vocês, que esse mergulho no passado e as muitas vozes que irão aparecer ao longo dos capítulos inicialmente podem te causar estranheza, te deixar pensando que a autora teria se perdido no enredo, que estivesse talvez escrevendo uma segunda história dentro da primeira, porque esse segundo núcleo, ganha muito destaque, até mais que os próprios protagonistas, até que você nota aonde tudo aquilo vai te levar e então compreende a necessidade dessa volta toda.

Mesclando passado e presente, Os Segredos que Nos Cercam, é uma emocionante história de superação, segundas-chances, perdão, encontros, amor, mentiras, tragédias e esperança… você vai preenchendo as lacunas da história em doses homeopáticas, e passa a vibrar e sofrer, junto com cada personagem, é o tipo de enredo que vai crescendo gradativamente, com reviravoltas e que carrega um certo mistério, pois o segredo que marca a história segue em suspense por boa parte da leitura. Talvez um leitor mais “atento”, “técnico” pegue o plot mais rápido, mas ainda assim, acredito que um pequeno detalhe, não será percebido e irá de te deixar sorrindo e pensando que essa pecinha do quebra-cabeça, passou despercebida.

O amor verdadeiro só vem uma vez na vida. Na verdade, algumas pessoas desafortunadas nem mesmo vivenciam isso.

Apesar de ter gostado muito da leitura, da maneira como a autora optou por construir a narrativa, de como ela trabalhou cada personagem, eu acabei dando quatro estrelas para o livro e isso se deu porque alguns detalhes me deixaram incomodada, como por exemplo a necessidade de amarrar tudo nos mínimos detalhes, como se tudo precisasse de ligação, estar conectado. Mas, isso é algo muito particular, é uma percepção minha e pode passar completamente despercebido por você. Até porque eu consigo entender que essa tenha sido a intenção da autora desde o princípio.

Fica aqui essa dica muito especial de leitura, quero frisar o quanto amei a edição da Astral Cultural, desde capa, diagramação e revisão, o trabalho está lindo. E lembre-se, que o único modo de saber se você gosta ou não de algum livro, é lendo. Portanto se tiver vontade, curiosidade, se despertei teu interesse nem que for só um pouquinho, leiam.

Até a próxima! Bye.

  • The Secret
  • Autor: Kathryn Hughes
  • Tradução: Marcia Blasques
  • Ano: 2020
  • Editora: Astral Cultural
  • Páginas: 304
  • Amazon

rela
ciona
dos

Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário” Junji Ito anuncia série de terror pela Netflix Lançamentos de livros que chegarão as livrarias em breve