Após fugir do internato no qual era maltratada, Louisa está vivendo na rua e tentando sobreviver quando encontra uma misteriosa senhora que lhe dá dinheiro e lhe oferece um emprego em uma hospedaria. Feliz com a possibilidade de não passar mais trabalho e ganhar seu dinheiro de forma honesta, ela parte com a senhora para Casa Coldthistle, propriedade do misterioso Sr. Morningside.

Diferente do que imaginava, a casa é na verdade um lugar onde os hóspedes vão morrer. Com ajuda de seus criados, o dono da casa faz sua própria justiça com as pessoas que estão lá, e assim as vidas desses  hóspedes chegam ao fim pelas mãos dos empregados. Louisa, agora parte do time, terá que fazer parte desses peculiares justiceiros. Contudo, entre as pessoas que estão ali para morrer, o jovem gentil Lee, desperta a atenção de Louisa, que com o tempo passa a acreditar em sua inocência. Agora o problema fica um pouco maior, como provar que ele não é culpado pelo que está sendo acusado?


Eu não sabia nada sobre essa série, resolvi lê-la por causa da autora. Madeleine Roux é autora de Asylum, uma série super elogiada e da qual eu tenho muita vontade de ler. Como Casa das Fúrias parecia apresentar a mesma pegada sombria igual a da outra série, resolvi arriscar. Encontrei um livro com uma trama interessante e que me deixou muito envolvida.

A primeira coisa que precisamos ficar cientes ao ler este livro é que ele é menos assustador do que pode parecer. Contudo, a autora sabe manter um tom sombrio em sua narrativa. Não podemos esquecer que o foco é uma casa, então Madeleine descreve muito bem este lugar para que aquele ar pesado de que algo errado está acontecendo permaneça durante a leitura. Eu gostei muito do modo como ela apresenta os elementos e como essa narrativa, aliada aos personagens, ficou muito bem escrita. A leitura é muito fluída e gostosa, o livro tem ilustrações e detalhes em azul. Com o lançamento do terceiro volume da série, a editora reformulou as capas. Elas estão mais bonitas e mantêm o ar de terror que os livros merecem, além disso eu achava as outras muito infantis.

Existe um mal que cerca este lugar. Sinto que ele vaza por todas as direções.

Conforme vamos adentrando a trama, fica claro que Louisa não está ali como uma qualquer. Sua ligação com a Casa Coldthistle vai ficando mais óbvia e sua participação nos acontecimentos mais importantes. Toda a ideia por trás dessa “pousada” é muito macabra, e deve ser por isso que imagino tudo muito sombrio e escuro. Afinal, as pessoas vão até ali e acabam morrendo, julgadas pelo Sr. Morningside. É muito interessante o modo como as mortes se dão e o papel dos criados em todo esse ritual. Eu gostei muito dos empregados, mas principalmente do dono da mansão que tem uma abordagem muito sedutora em alguns momentos. 

Louisa é uma jovem que já passou por muito trabalho, sua vida não era nada fácil. Em um primeiro momento, ela se mostra insegura e com medo, mas disposta a trabalhar e a transformar essa realidade em uma vida melhor. Conforme ela vai descobrindo o que acontece na casa e vai se envolvendo com um dos hóspedes o gentil Lee, ela se mostra também obstinada e sensível.

Me surpreendi com o final, pois há um segundo volume. Então fiquei curiosa para saber como as coisas se darão em Tribunal das Sombras e como as perguntas que ficam em aberto agora serão respondidas. Para quem gosta de jovem adulto cheio de suspense e um com toque de terror, Casa das Fúrias é perfeito!

  • House of Furies
  • Autor: Madeleine Roux
  • Tradução: Guilherme Miranda
  • Ano: 2017
  • Editora: Plataforma 21
  • Páginas: 352
  • Amazon

rela
ciona
dos

Lançamentos da Netflix para dezembro 6 Motivos para ler Estúpida Promessa 7 Clássicos preferidos dos leitores O que esperar da 2º temporada de Bridgerton?