No mês de terror, nada como aquele bom e velho arrepio para nos lembrar de que é sim válido ter medo do escuro (desde criança). E ninguém melhor para realizar tal feito que o “Stephen King da literatura infanto-juvenil”, como é apelidado, ou simplesmente Robert Lawrence Stine.

R. L. Stine em seu escritório com sua barata gigante e esqueleto.

Certamente a noite era de lua cheia no 8º dia de outubro do ano mil novecentos e quarenta e três em Columbus, no estado norte-americano de Ohio, com o uivo dos lobos que pressagiavam o nascimento de Jovial Bob Stine, como também viria a ser chamado, a máquina de histórias de terror que enregelaria a infância e adolescência de muita gente ao redor do globo. Mas você sabia que antes de se enveredar pelo mistério, ele escrevia livros de humor? Nas palavras do próprio: “Eu disse a mim mesmo. Esqueça as piadas. Crianças gostam mesmo é de levar sustos!”

Ultrapassando a marca de 400 milhões de cópias vendidas, Stine já escreveu mais de trezentos livros de suspense e terror voltados para o público infanto-juvenil, tendo na série Goosebumps – composta por mais de sessenta volumes, onde alguns foram adaptados para o programa televisivo que durou de 1995 a 1998, bem como um filme de 2015 e sua sequência – seu maior renome.

Franquia de histórias infanto-juvenis que deu origem a série de tv e filmes.

Filho da dona de casa Anne Stine e de Lewis Stine, um balconista no setor de expedição, R. L. Stine descobriu sua paixão pela escrita por meio de uma pequena aventura no sótão de sua casa, onde ele encontrou uma máquina de escrever. Bob tinha nove anos e era muito tímido, devido à sua infância difícil, preferindo sempre ficar em seu quarto escrevendo pequenas histórias e livros de piadas a sair para brincar na rua. Ao que parece, a timidez e por vezes o auto isolamento são uma espécie de efeito comum na vida de vários escritores consagrados.

Só sei que tenho um monte de histórias na cabeça e que não posso esperar para escrevê-las.

Apesar de seus primeiros livros terem encarnado seu eu comediante, Como Ser Engraçado sendo o inaugural, Jovial Bob Stine, nome adotado para sua estreia literária, acreditava quando criança que queria ser um desenhista de quadrinhos, mas devido sua falta de dom artístico seguiu martelando as letras em sua máquina de escrever. Como sempre esteve envolto em editoriais de jornais e revistas escolares – após se formar na Universidade do Estado de Ohio, seguiu para Nova York onde criou a revista de humor Bananas – o que serviu para aprimorar sua técnica de escrita e finalmente encontrar seu nicho e verdadeira vocação: criar histórias de terror para jovens. Em suas palavras, quando perguntado por que escrevia livros aterrorizantes: “Eu simplesmente gosto de assustar as pessoas!”

Se todos nós temos nossa cara metade, Stine encontrou sua melhor parte e se casou com ela em 1969. Jane Waldhorn viria a ser editora e escritora, trabalhando com Bob em vários de seus livros até o momento em que os dois decidiram criar sua própria editora, a Parachute Press que ajudou a criar as mais populares histórias de Stine. Como já mencionado anteriormente, Bob inicialmente escrevia exclusivamente com humor, mas foi em 1986 que R. L. teve sua grande revelação e iniciou os escritos de terror com o livro juvenil Blind Date (Encontro às Cegas) que logo se tornou um best-seller de sucesso entre os adolescentes estadunidenses.

R. L. Stine e Jane em seu casamento

A série Goosebumps (Arrepios) pode ser a mais conhecida, mas não é a única cartada na manga de Stine. Criada em 1989, a série composta por mais de 100 livros, Fear Street (Rua do Medo) logo se tornou um best-seller jovem adulto, sendo a primeira grande coletânea de histórias do autor, onde os estudantes da velha cidade de Shadyside testemunham casos aterrorizantes que podem muito bem te deixar de cabelo em pé. Títulos como O Clube do Terror, A Vidente, O Novato e O Pesadelo talvez pareçam pesados demais para crianças, mas todos os livros não passam muito das 100 páginas e possuem uma entonação cômica e divertida, muitas vezes com elementos clichês de terror para aqueles que estão mais acostumados com grandes e aterradoras histórias.

Confira a resenha de Jogos Macabros, R. L. Stine

Então eis que surge os Arrepios ou Goosebumps! Criada em 1992 a série logo se mostrou ser um sucesso instantâneo e fez de Stine um autor publicado internacionalmente; o que ajudou bastante quando o programa de tv homônimo veio ao ar sendo o hit número um nos Estados Unidos por 3 anos consecutivos. Não sei vocês, mas lembro de assistir nas tardes da minha infância e depois ir dormir com a luz do quarto acesa – após conferir se havia monstros embaixo da cama, claro. A série original de livros pode ter sido finalizada em 1999, mas como não se mexe em time que está ganhando, Stine arregaçou as mangas e trouxe para nós novas histórias em outras séries que deram continuidade aos Arrepios da década de 90. Infelizmente em terras brasileiras, não encontramos todos os títulos traduzidos e apenas as séries Goosebumps, Goosebumps HorrorLand, Castelo dos Horrores e Os Mais Procurados foram lançados por aqui, além de alguns livros inspirados no filme de 2015. Para sossegar os pais, e os leitores mirins, o próprio autor caracterizou sua série de livros como “histórias de terror, mas que também são engraçadas”.

Stine e um dos atores da série de tv Goosebumps.

Uma ótima pedida para quem deseja enveredar na literatura de horror, mas sem passar as noites em claro!

Mais uma série de sucesso, que também virou programa de tv, foi a intitulada The Haunting Hour de 1998 que durou quatro anos e venceu 3 Emmy Awards na categoria de Show Infantil Mais Notável. Uma máquina de criar diferentes histórias aterrorizantes e divertidas, não é à toa que R. L. Stine ganha o título de “Stephen King da literatura infanto-juvenil”. Em 2011 novos mundos saíram da cabeça de Stine e, sem dúvida alguma, o que mais me chamou atenção foi Young Scrooge – A Very Scary Christmas Story (Jovem Scrooge – Uma História de Natal Bastante Aterrorizante), uma ode ao clássico natalino de Charles Dickens. Bem como em mais narrativas curtas de Rua do Medo que, por sinal, foi adaptada para as telinhas como filmes na gigante Netflix. Por lá conseguimos encontrar mais das histórias assustadoras de R. L. Já preparou a pipoca?

Trilogia Rua do Medo (2021)

Pessoalmente, não sou uma entusiasta da literatura ou películas de terror, mas já conhecia por nome o senhor Stine e com essa pesquisa acerca de sua vida e suas obras, minha curiosidade venceu meus infundados medos infantis. Sem dúvida alguma irei caçar suas histórias e mergulhar na mente única que até hoje incentiva jovens de todo o mundo a saírem de suas zonas de conforto e enfrentarem seus piores fantasmas. Quem vem comigo nessa aventura de arrepiar?

rela
ciona
dos

Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário” Junji Ito anuncia série de terror pela Netflix Lançamentos de livros que chegarão as livrarias em breve